Delegados apontam ‘corrupção’ como fonte de crise no governo Beto Richa

Associação dos Delegados de Polícia do Paraná (Adepol) lançou um jornal este mês para denunciar o que eles consideram corrupção endêmica no governo Beto Richa (PSDB); entidade presidida pelo delegado João Ricardo Képes Noronha, na capa do informativo, já diz o que pretende ao fazer um apelo: "Governador, chega de corrupção!"; Adepol lembra que a corrupção na Receita Estadual tem o primo de Richa, o lobista Luiz Abi Antoun, como "comandante do esquema" que, segundo o Ministério Público, irrigou a campanha de reeleição do tucano com R$ 4,3 milhões oriundos de propina; delegados também destacam corrupção na educação, que consistia no pagamento às empreiteiras de escolas que nunca foram construídas, bem como no conserto de viaturas das polícias civil e militar; no jornal, Adepol recorda ainda do massacre de 213 professores no dia 29 de abril de 2015.

Associação dos Delegados de Polícia do Paraná (Adepol) lançou um jornal este mês para denunciar o que eles consideram corrupção endêmica no governo Beto Richa (PSDB); entidade presidida pelo delegado João Ricardo Képes Noronha, na capa do informativo, já diz o que pretende ao fazer um apelo: “Governador, chega de corrupção!”; Adepol lembra que a corrupção na Receita Estadual tem o primo de Richa, o lobista Luiz Abi Antoun, como “comandante do esquema” que, segundo o Ministério Público, irrigou a campanha de reeleição do tucano com R$ 4,3 milhões oriundos de propina; delegados também destacam corrupção na educação, que consistia no pagamento às empreiteiras de escolas que nunca foram construídas, bem como no conserto de viaturas das polícias civil e militar; no jornal, Adepol recorda ainda do massacre de 213 professores no dia 29 de abril de 2015; detalhe importante: não consta que o delegado Képes Noronha tenha alguma simpatia pelos “petralhas”.

A Associação dos Delegados de Polícia do Paraná (Adepol) lançou um jornal este mês para denunciar o que eles consideram corrupção endêmica no governo Beto Richa (PSDB).

A entidade presidida pelo delegado João Ricardo Képes Noronha, na capa do informativo, já diz o que pretende ao fazer um apelo: “Governador, chega de corrupção!”.

Na parte interna do jornal, a Adepol lembra que a corrupção na Receita Estadual tem o primo de Richa, o lobista Luiz Abi Antoun, como “comandante do esquema” que, segundo o Ministério Público, irrigou a campanha de reeleição do tucano com R$ 4,3 milhões oriundos de propina.

Os delegados de Polícia do Paraná também destacam corrupção na educação, que consistia no pagamento às empreiteiras de escolas que nunca foram construídas, bem como no conserto de viaturas das polícias civil e militar.

A Adepol recorda ainda do massacre de 213 professores no dia 29 de abril de 2015.

Detalhe muito importante nesses tempos de guerra ideológica: não consta que o delegado Képes Noronha tenha alguma simpatia pelos “petralhas” ou pela presidente Dilma; pelo contrário.

10 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to tell you that I am beginner to blogging and really enjoyed your web-site. Likely I’m want to bookmark your site . You absolutely come with fabulous well written articles. Bless you for sharing your web page.

  2. Parabéns aos meus destemidos pares ao comungar com os paranaenses as podridões desse governo tucano. É oportuno também dizer sobre os coletes balísticos da Polícia Militar que foram apreendidos pela Delegacia de Armas e Munições na semana passada. Os coletes estão vencidos a muito tempo, e ao invés do governador Beto Richa providenciar a troca do material fadigado, pois ao não faze-lo, coloca em risco a vida do policiais. O governo optou por uma medida inusitada: trocar apenas as etiquetas de vencimento dos coletes por etiquetas que alongavam o prazo de vencimento. Os coletes que estavam sendo adulterados foram apreendidos numa empresa de fundo de quintal na Região Metropolitana de Curitiba, onde os coletes da PM passavam por uma repaginação para serem devolvidos aos policias como se fossem novos.Meus pares, até quando nós delegados do Paraná vamos aturar estes desvios que nos atingem em cheio, pois colete vencido coloca nossas vidas em risco. Estimado Esmael, eu sei que a história parece fantasiosa mas não é. Os fatos em tela são de amplo conhecimentos do policiais civis e militares. Os atuais mandatários do governo estadual tentam a todo custo abafar mais este escândalo.

  3. O povo não acredita mais em niguém. Aqui no Paraná a corrupção é a bandeira desse desgoverno tucano. Nada acontece aos corruptos. O povo deve cobrar mais deses “profissionais” da política que só pensam em roubar o povo. Só vemos aumento de impostos, corrupção, o que aliás nesse desgoverno é a maior da história deste Estado. Não vemos projetos para o povo. Até quando veremos essa corrupção e impunidade no Paraná???

  4. E o brasil pode até estar em crise,como o estado do panara mas a maior crise são os corruptos,pois a falta de Honestidade entre os poderes legislativo e Judiciário,faz ambos e pessoas perderem o respeito mutuo.isso e por que não temos uma justiça justa e correta,lula tem muita RAZÃO um judiciário ACOVARDADO.

  5. Estariam Prevaricando? Ou o queixume é até a classe dos dotor receber alguma benesse impublicável?

  6. Isso pode levar a que,CADEIA para beto LIXO,ou mais uma ma vontade de finalizar ou continua,acorde ma vontade ao ainda falta de atitude e coragem,pois cadeia foi feita para Homens corruptos e homens LADRÕES.

  7. Pois povo paranaense, enquanto vocês se preocupam com o impeachment da Presidente Dilma, o nosso “estimado” Governador está mais sujo que chiqueiro de porco nas delações do funcionário da Receita Estadual. E olha que é de deixar o Eduardo Cunha com inveja e dor de cotovelo.
    Vamos sim brigar para o fim da corrupção, mas de nada irá adiantar se não acontecer aqui o Paraná também!

  8. Ué, se os delegados de polícia sabem de corrupção no Paraná, onde estão as investigações da Polícia Civil, para dar argumentos ao MP/PR?

  9. Caro Esmael, estou tão descrente que punição para estas atitudes parece estar longe assim como a do Banestado que não vimos a devolução do dinheiro e/ou a prisão dos envolvidos.

    Estas situações que desanimam os indivíduos de bem acreditar em punição a todos os corruptos e criminosos que ao desviar o dinheiro a saúde, educação e segurança perecem.