De olho no golpe e na Itaipu, ex-governador Pessuti “volta” ao PMDB pela via judicial

Ex-governador do Paraná, Orlando Pessuti, nesta quinta-feira (24), informou ao Blog do Esmael que teve a filiação no PMDB restabelecida por ordem judicial; senador Roberto Requião, presidente estadual do partido, havia expulsado Pessuti da agremiação por "infidelidade partidária" em outubro do ano passado; ex-governador tinha ido ao programa eleitoral na TV de Beto Richa (PSDB), em 2014, em prejuízo da candidatura própria peemedebista e, após a eleição, Pessuti foi agraciado com uma diretoria no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-Sul (BRDE); de volta ao "PMDB", Orlando Pessuti agora mira na Itaipu Binacional em eventual governo golpista de Michel Temer.

Ex-governador do Paraná, Orlando Pessuti, nesta quinta-feira (24), informou ao Blog do Esmael que teve a filiação no PMDB restabelecida por ordem judicial; senador Roberto Requião, presidente estadual do partido, havia expulsado Pessuti da agremiação por “infidelidade partidária” em outubro do ano passado; ex-governador tinha ido ao programa eleitoral na TV de Beto Richa (PSDB), em 2014, em prejuízo da candidatura própria peemedebista e, após a eleição, Pessuti foi agraciado com uma diretoria no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-Sul (BRDE); de volta ao “PMDB”, Orlando Pessuti agora mira na Itaipu Binacional em eventual governo golpista de Michel Temer.

O ex-governador do Paraná, Orlando Pessuti, nesta quinta-feira (24), informou ao Blog do Esmael que teve a filiação no PMDB restabelecida por ordem judicial.

“O PMDB completa hoje 50 anos de fundação. Eu celebro bodas de ouro de militância e filiação”, disse, ao comemorar o restabelecimento da filiação.

O senador Roberto Requião, presidente estadual do partido, havia expulsado Pessuti da agremiação por “infidelidade partidária” em outubro de 2015.

Na campanha de 2014, o ex-governador foi ao programa eleitoral na TV de Beto Richa (PSDB) em detrimento da candidatura própria peemedebista. Após a eleição, Pessuti foi agraciado com uma diretoria no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-Sul (BRDE).

“Eu estava desfiliado por um ato irregular do Requião”, afirmou.

De volta ao “PMDB”, Orlando Pessuti agora mira na Itaipu Binacional. Em eventual golpe contra o governo da presidente Dilma Rousseff, o ex-governador será um dos principais nomes do vice-presidente da República, Michel Temer, para ocupar a usina na tríplice fronteira.

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Isso é um pesadelo! Fala sério!? Não pode!
    Pq esse cara não cruza as betes de vez e vai para o psdb onde é o lugar dele.
    Não acredito que a Executiva Estadual irá permitir um traidor desse voltar ao partido.

  2. Essa é a justiça que eu tenho medo!!!
    Alterou-se a ordem natural das coisas, e a ética foi pro beleléu… a omissão dos bons esta surtindo resultado… quem não se mete na política esta fadado a ser comandados pela corja… e é por isso que a democracia (no formato que tem aqui no Brasil) não presta… ela da chance a safadeza… os honestos desistem…

  3. Os derrotados legalmente sempre encontram um jeitinho de burlar a lei recorrendo ao tapetão. Pode voltar pessutinho que nós saberemos acolhe-lo da forma que merece: SOB VAIAS!!! A pareça mesmo, safado, traidor

  4. Quer Itaipu então faça concurso como eu o fiz no ano passado.