Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Professores reavivam movimento “Fora Beto Richa”; assista ao vídeo

O governador Beto Richa (PSDB) e aliados foram alvos de protestos dos servidores estaduais, neste sábado (13), em Ponta Grossa, durante inauguração da trincheira da Ernesto Vilelana PR-151; educadores reavivaram o movimento “Fora Beto Richa”; abaixo, assista ao vídeo. (Fotos: Sinduepg e vídeo de Mareli Matins).

O governador Beto Richa (PSDB) e aliados foram alvos de protestos dos servidores estaduais, neste sábado (13), em Ponta Grossa, durante inauguração da trincheira da Ernesto Vilelana PR-151; educadores reavivaram o movimento “Fora Beto Richa”; abaixo, assista ao vídeo. (Fotos: Sinduepg e vídeo de Mareli Matins).

O governador Beto Richa (PSDB), com a segurança reforçada, foi alvo de intenso protesto de educadores, ontem (13), no município de Ponta Grossa, região dos Campos Gerais, durante a inauguração de uma trincheira no trecho urbano da PR-151.

Professores portavam faixas — e gritavam palavras de ordem — com os dizeres “Fora Beto Richa”, “Beto Richa Ladrão”, “deputado da corrupção não tem voto da educação”, “Governador! Deputados! Prefeitos! Eleitos com dinheiro da educação! Vergonha!”, “Plauto Miró, educação não combina com corrupção”, esta última em referência ao 1o secretário da Assembleia Legislativa do Paraná. investigado pela “Operação Quadro Negro” do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Assista ao vídeo:

Policiais militares e seguranças do Governo do Estado fizeram um bloqueio e conseguiram impedir que os manifestantes chegassem perto de Beto Richa e dos outros políticos citados. Mas mesmo longe do palanque das autoridades, os professores não se calaram e os gritos foram ouvidos.

As manifestações foram organizadas pelo Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Sinduepg) e pelo Núcleo Sindical de Ponta Grossa (APP-Sindicato). Em resposta aos protestos, Richa disse que tudo foi articulado pelo PT, novo mantra do tucano para se esquivar de cobranças públicas.

“Isso é coisa do sindicato petista que quer bagunçar o jogo”, acusou o governador.

A professora Séfora Regiane Ferreira ficou indignada por ser impedida de chegar perto do governador. “Nós gostaríamos de estar mais perto do governador, mas fomos proibidos por que estamos nos manifestando contra o governo. Nós queremos lembrar o massacre do dia 29 de abril e pedir para que o governador não assalte mais a previdência dos servidores”, disse.

Segundo a professora Selma Dutski, o protesto se estende a todos que apoiam Beto Richa. “Todos aqueles que apoiam esse governador tem nosso repúdio, como prefeito de Ponta Grossa, o deputado Plauto, o  deputado Sandro e todos os que votam contra a educação”, destacou.

Com informações do Blog da Mareli Martins, de Ponta Grossa.

Comentários desativados.