Paraná Pesquisas: 60,4% reprovam fechamento de escolas em SP

alckmin_escolasO instituto Paraná Pesquisas, a marca paranaense mais nacional atualmente, foi ao estado de São Paulo Paraná aferir o fechamento de escolas pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). De acordo com relato da coluna Radar, na revista Veja, o projeto do tucano é reprovado por 60,4% dos paulistas.

A Paraná Pesquisas afirma ainda que, para 49,9% dos entrevistados, Alckmin demorou para agir diante dos protestos dos estudantes. Outros 25,6% opinaram que o governo reagiu de forma violenta à invasão das escolas, e só 18% disseram que agiu de forma correta.

Alckmin fechou o ano de 2015 com violência contra os estudantes paulistas. Já seu colega de ninho, o governador Beto Richa, do Paraná, abriu este ano com massacre de professores em 29 de abril.

Segundo a colunista Verão Guimarães, do Radar, 2016 começará com a indefinição da “reorganização” do ensino. Auxiliares do governador de São Paulo já dizem que o novo secretário de Educação terá de cancelar o projeto, e não apenas adiá-lo por um ano, como anunciou o governo.

A Paraná Pesquisa entrevistou 1.644 eleitores no estado de São Paulo entre os dias 16 e 20 de dezembro.

8 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Alckmin-cara-de-jacu recorre ao jogo suje de sempre, via imprensa: diretores escolares de SP, que são cargos de confiança, calcularam em um milhão os saques e depredações nas escolas. Mentira, certamente.
    E o sucateamento das escolas, que é verdadeiro, os diretores lambe-botas calcularam?

  2. Falando nisso, quanto foi o gasto da prefeitura de Maringá com a revista achacadora!

  3. Os quatro maiores problemas estaduais e nacionais. Resolvendo estes, resolve-se tudo.E só teremos anos bons.
    1. O roubo descarado dos ricos improdutivos,ou seja, banqueiros e especuladores gerais financeiros e imobiliários.( ex. Zelotes e HSBC)
    2. Órgãos públicos e agentes capturados mancomunados com esses acima.
    3. Obscuridade ao invés de transparência nas próprias instituicoes, mantida por funcionários apadrinhados com esse fim e sistemas informáticos feitos para hierarquizar o que é público por direito e acaba não sendo publicado.
    4.Desperdício de valores em propaganda em todas as esferas.
    5.Egoismo de funcionários públicos que não entendem que não podem avançar sobre o orçamento público em detrimento de enormes necessidades sociais e egoísmo e falta de punição aos zeloteiros.

  4. ENTÃO,

    VIVEMOS NUMA ÉPOCA EXTREMAMENTE DIFÍCIL.

    DESVALORIZAM A EDUCAÇÃO, E DEPOIS PERGUNTAM POR QUE A SITUAÇÃO ECONÔMICA DO PAIS É RUIM.

    SÓ A EDUCAÇÃO PODERÁ SALVAR ESSE PAÍS, TIRAR DO BURACO IMENSO QUE SE ENCONTRA!!

    FECHAR ESCOLAS É DEIXAR O PAÍS ARRUINADO, SEM FUTURO ALGUM, UM CAOS!

  5. A tenda cobre agora fisicamente o palácio da “avenidona”. Obscuro: não falo nada; nem no pau-de-arara! Não interessa, está tudo certinho, muito certinho como as PR’s no noroeste do Tucanistão do Sul, sem nenhum buraquinho. — http://especiais.g1.globo.com/parana/2015/as-promessas-de-richa/

  6. AGUÊLE QUE SE DIZ,GESTOR PÚBLICO E,MASSACRA(…) PROFÊSSORES E ALUNOS,NÃO É DIGNO DE GOVERNAR(…)TEM QUE SER BANIDO DA COISA PÚBLICA!!!

  7. Sei que meu comentário não tem relação com a notícia, mas acho que isto também merece destaque.

    29/12/2015
    http://www.afp.com/pt/noticia/grande-marcha-contra-macri-em-dia-de-divulgacao-de-decretos

    Destaco o trecho:
    Os manifestantes também protestaram contra o que consideram “o ajuste de Macri”, após a desvalorização do peso argentino em quase 30% e a disparada inflacionária.