Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Garganta Profunda de Londrina: Vem aí Ademar “Ostentação” Traiano para o governo em 2018

A fórmula para segurar os Barros consistiria no PSDB lançar candidatura própria à sucessão de Richa. O nome para a tarefa seria do atual presidente da Assembleia, Ademar Traiano, que liberaria o cargo que ocupa para Ratinho Júnior num processo “sem disputa” no parlamento.

A fórmula para segurar os Barros consistiria no PSDB lançar candidatura própria à sucessão de Richa. O nome para a tarefa seria do atual presidente da Assembleia, Ademar Traiano, que liberaria o cargo que ocupa para Ratinho Júnior num processo “sem disputa” no parlamento.

O Blog do Esmael mostrou na semana passada que o deputado licenciado e secretário de Urbanismo (SEDU), Ratinho Júnior, do PSC, planeja retornar à Assembleia para presidi-la a partir de 2017. Também registrou que a medida seria profilática no sentido de barrar o avanço da família Barros rumo a 2018.

Pois bem, a partir de abril de 2018 o governador Beto Richa (PSDB), se quiser um mandato que lhe dê imunidade, terá que desincompatibilizar-se. Aí, assume a vice-governadora Cida Borghetti (PROS), mulher de Ricardo Barros (PP), “temido por todos os tucanos no Palácio Iguaçu”.

Garganta Profunda de Londrina, principal informante do Blog do Esmael com acesso fácil à antessala de Richa, ouviu a mais nova engenharia política da “Turma do Chapéu” – aquela que costuma passar o chapéu.

A fórmula para segurar os Barros consistiria no PSDB lançar candidatura própria à sucessão de Richa. O nome para a tarefa seria do atual presidente da Assembleia, Ademar “Ostentação” Traiano, que liberaria o cargo que ocupa para Ratinho Júnior num processo “sem disputa” no parlamento.

Definido o nome de Traiano como candidato ao Palácio Iguaçu, restaria a Richa e Ratinho uma “dobradinha” para o Senado, haja vista que estarão em jogo duas vagas em 2018.

Um astuto observador dos bastidores da política paranaense comentou ontem na Boca Maldita: “só falta os tucanos combinar essa estratégica com os russos”.

Comentários desativados.