Requião Filho quer convocar ‘amigo de infância’ de Beto Richa para explicar corrupção no governo do Paraná

beto_tony_requiaofilhoO deputado estadual Requião Filho (PMDB), vice-líder da oposição na Assembleia Legislativa, afirmou neste sábado (7) que vai protocolar na segunda-feira (9) um requerimento para convocar o empresário Tony Garcia, amigo de infância de Beto Richa (PSDB), para explicar esquemas de corrupção no governo do Paraná.

O parlamentar peemedebista dará detalhes dessa explosiva convocação daqui a pouco, às 11 horas, no programa do “Advogado dos Pobres”, Mesael Caetano dos Santos, na rádio curitibana RBN FM, no Bairro Novo (clique aqui para ouvir online).

O empresário revelou ontem (6), em entrevista ao Blog do Esmael, que Beto Richa sabia da corrupção no governo do estado há pelo menos três anos. “Eu avisei que Luiz Abi estava achacando empresários, mas ele não dava ouvidos. Dizia que era mentira”, declarou.

Abi é réu em ação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço policial do Ministério Público do Paraná, e o inquérito da corrupção na Receita Estadual, contra o governador, chegou à Procuradoria Geral da República (PGR) no final de outubro (clique aqui para ler sobre isso).

A nova crise apavora o Palácio Iguaçu porque ela surgiu de suas próprias entranhas, por um amigo próximo, Tony Garcia, que divulgou uma “carta aberta” ao governador Beto Richa (clique aqui para ler a íntegra da missiva).

Amigos desde a infância, foram deputados estaduais juntos e de rodadas de poker, Tony Garcia se diz à disposição para prestar esclarecimentos à Assembleia e à sociedade sobre a conduta do amigo Beto Richa.

“Eu o conheço como ninguém. Fui eu, inclusive, que apresentei a Fernanda [Richa] para ele quando tinha 16 anos”, se gaba o empresário.

Tony Garcia também está disposto a denunciar o modus operandi das PPPs (Parcerias Público-Privada) entre o governo do Paraná e a empreiteira Odebrecht, cujo presidente encontra-se preso pela Lava Jato.

De acordo com o amigo de infância de Beto Richa, a obra da PR-323, orçada em R$ 8 bilhões, prevê o depósito anual de R$ 95,7 milhões pelo governo do estado para ajudar a custear as despesas com a duplicação de 220 quilômetros da rodovia entre Paiçandu e Francisco Alves.

Segundo Tony, a forma de escolhida da Odebrecht — “única” interessada na obra — foi “criminosa”. E é sobre isso que o amigo de infância do governador se dispõe a falar aos deputados, se convocado.

Na segunda-feira (9), o Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, a partir das 14h30, vai transmitir ao vivo para o Brasil e o mundo a sessão da Assembleia.

Comentários encerrados.