Richa fecha escolas: Robin Hood ao contrário em busca de propinas?

escolasA recente notícia da intenção de governador Beto Richa (PSDB) de fechar mais de uma centena de escolas a partir do ano que vem foi mais um motivo de revolta para os educadores, estudantes e comunidades escolares de todo o Paraná.

As justificativas fornecidas pelo governo de “otimização” e “economia” são perversas e mentirosas. A real intenção de Beto Richa é enfraquecer a educação pública e humilhar os professores. Afinal, é nos educadores que o tucano encontra a mais forte oposição aos seus desmandos.

Só mesmo um pateta acharia que o desmonte se encerraria no fechamento dessas escolas públicas no estado, pois o projeto é mais diabólico e visa acabar com a carreira no magistério.

Mas não é só isso. Vejamos…

O governo do estado continua construindo escolas ou, pelo menos, faz de conta. Basta relembrarmos a recente Operação Quadro Negro, do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), que apurou desvios de mais de R$ 30 milhões justamente na construção de novas escolas públicas.

Acontecesse que as obras só avançavam no papel, enquanto os pagamentos à construtora eram efetivos e constantes. Essa operação rendeu inclusive a prisão de um amigo pessoal do governador, o ex-diretor de Engenharia, Projetos e Orçamentos da SEED, Maurício Jandoi Fanini Antonio.

Então, qual é a lógica? De uma escola que está pronta, consolidada, funcionando há décadas, não há o que roubar. Os professores e servidores já estão lá, fazendo o seu trabalho. No máximo daria para amealhar uma “propinazinha” de uma reforma… Fato também apurado na Operação Quadro Negro, aliás.

Para essa gangue, é melhor se desfazer das escolas atuais e construir novas justamente para ter o que roubar?

Caso semelhante está acontecendo com diversas estradas. Beto Richa anunciou investimento de mais de um bilhão de reais para a duplicação de diversos trechos de rodovias estaduais. Até aí tudo bem. Mas logo em seguida, já no ano que vem, essas rodovias serão privatizadas, entregues para a máfia do pedágio.

Assim o governo terá espaço para “arrecadar fundos” durante as obras, na farra com o dinheiro público, e depois sempre haverá a gratidão das concessionárias que vão faturar por décadas em cima do patrimônio do povo.

E enquanto as escolas vão sendo fechadas serão necessárias mais vagas nas cadeias, como na notícia de hoje (28) da Gazeta de Toledo. Cadeia superlotada, presos amontoados, comida azeda, gente doente, sem medicação… Diz a matéria.

Mas essa também é uma conta simples. Cada preso custa ao Estado mais de 11 vezes o que “custa” um estudante. A informação é da Associação Brasileira de Tecnologia Educacional.

E as denúncias contra Beto Richa não param. Em Cambé houve a inauguração de um escola que nunca saiu do papel. Só teve a solenidade. Isso lá em 2011.

No município de Ipiranga, na região dos Campos Gerais, depois do castigo das chuvas, agora é o governador tucano quem castiga os alunos deixando-os sem transporte escolar. O governo não faz os repasses devidos…

Os professores tentam resistir mobilizando as comunidades para enfrentar os ataques do governo. São 150 escolas no cadafalso de Beto Richa com as matrículas ainda incertas para o ano letivo de 2016.

Robin Hood ao contrário, ou chefe de uma quadrilha que só se mobiliza naquilo que é possível lucrar? Com a palavra o Gaeco e a Polícia Federal.

Comentários encerrados.