Governador Beto Richa “quer” escola que não pense nem exista no Paraná

escolas_fechadasPeço licença poética ao professor Edmar Macedo, meu ex-colega de movimento estudantil, para afirmar que o governador Beto Richa (PSDB) almeja uma escola que não pensa. Digo isto para referir-me ao projeto que tenta retirar a discussão política das salas de aula.

Além de escolas que não pensem, o governador do PSDB sonha com escolas que não existam. Prova disso é a programação para fechamento de 150 estabelecimentos da rede pública, dentre os quais alguns centenários como o Tiradentes, no centro de Curitiba.

Engana-se quem acha que houve erro de comunicação ou que um burocrata qualquer informou equivocadamente as escolas. Desde o final de 2014, o Blog do Esmael vem denunciando essa política de cortes na educação para fazer caixa. Também ocorreu em 2011 e se intensificou este ano.

O argumento principal é de que os aluguéis consomem muito dinheiro do tesouro. Ora, e o desvio de R$ 30 milhões que eram destinados para construir prédios próprios para a educação? O que o governo Beto Richa fez para reaver os valores e a infraestrutura roubados das escolas, dos pais, dos alunos e dos educadores?

A diabólica política de fechamento de escolas pelo governo do Paraná é premeditada, planejada, articulada e sistemática. Tem conexão com a mesma iniciativa de outros governadores, como o de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e há, inclusive, grupo no WhatsApp para acompanhar a evolução dessa sacanagem em todo o país.

Depois de fechar escolas, o projeto de Beto Richa é acabar com a carreira do magistério. O projeto consiste em exterminar a contratação de professores e funcionários por meio de concurso público. Nem PSS haveria. A reposição de mão de obra ocorreria pelo intermédio das OSs (organizações sociais), que terceirizariam a educação como um todo.

“O melhor está por vir”, reafirma Beto Richa.

 

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Para quem pretende fechar escolas por questões de economia, não reavê o dinheiro desviado das escolas que não foram construídas, e ainda vai investir 1 bilhão de reais em estradas para repassar a iniciativa privada, e, além de tudo isso, ainda tem alguém confiando neste governo e a justiça nada, não faz nada? Meu Deus o que esperar?

  2. CALMA FIQUEM FRIOS. O MELHOR ESTÁ POR VIR. É ESSE O XOQUE DO GASTÃO? O PSDB TEM UM JEITO DE GOVERNAR, DIAS ATRÁS INAUGURARAM EM FRANCISCO BELTRÃO PR., UMA DELEGACIA DA MULHER. ATÉ AÍ TUDO BEM. SÓ QUE O LOCAL DA DELEGACIA INAUGURADA,É UM TERRENO VAZIO, CHEIO DE MATOS. SE NÃO ACREDITAM, PERGUNTEM PARA QUALQUER MORADOR DE FRANCISCO BELTRÃO

  3. o beto podeira serr garoto propaganda da caixa em querer que todos não saiam da caixa e não pensem.

  4. Alguns dias atrás, estive pensando com meus botões: porque todos os alunos tem obrigação de frequentar 9 anos de 1o grau? Temos que convir que muitos, mas não sei em que percentual, poderiam passar do 3o ou 4o ano para o 8o ou 9o ano, estudando em casa e se submetendo a avaliações a cada semana, quinze dias ou 30 dias. Por que isto? Pela simples razão de que existem crianças auto-didatas ou os chamados gênios que poderiam acelerar o processo de escolaridade e encurtar o caminho para o ensino superior. Isto seria, salvo melhores estudos de vantagens e desvantagens ou melhores juízos uma razão plausível. Há também a possibilidade de nenhum aluno gênio aparecer. Enfim, empreendimentos para melhorar o ensino público e o privado devem ser realizados para diminuir a mediocridade do ensino no Brasil. Cursinhos pré-vestibular deveriam ser proibidos, pois só serve para comprovar que a educação formal no Brasil está falida. O que existe de mais desmotivador é a falta de respeito do aluno para com o professor, isto fomentado pelo próprio poder constituído. Infelizmente isto é transportado para a vida cotidiano e o país se tornando cada vez mais medíocre. O maior ganho de uma democracia é a felicidade do povo, coisa que não é pensada nem de longe pelos parlamentares e governantes. Mas o povo tem culpa, pois elege políticos que concentram o término e inauguração de obras em ano eleitoral, então o medíocre povo se esquece de tudo o que aconteceu antes. Da forma que vai, este país não tem jeito e é desta forma que os políticos gostam. Só sei dizer que o formato do ensino no Brasil está falido e tendendo a se comportar como a Saúde, se quiser um atendimento decente, tem que buscar o particular, apesar da imensidão dos impostos pagos. Os brasileiros, em especial os políticos, são muito sem vergonhas e ainda são contemplados por leis que os torna praticamente impunes. Acorda Brasil. É preciso mudar!