Por Esmael Morais

Apedeuta, Beto Richa agora fecha escola de 70 anos em Maringá (PR)

Publicado em 23/09/2015

O núcleo regional da APP-Sindicato informa que amanhã, sexta (25), a comunidade vai às ruas pela manutenção do estabelecimento aberto.

A determinação da Secretaria de Estado da Educação (SEED) é mais uma etapa da tal ‘otimização’ de turmas que tem sido promovida nas últimas semanas pelo governo do estado.

O termo ‘otimização’, sinônimo para corte e precarização, foi usado e abusado na gestão de Jaime Lerner, o segundo pior governador que o Paraná já teve (Richa, a cria, suplantou o criador e é o pior da história).

Os moradores de Irati, região Centro-Sul, também lutam contra o fechamento do Colégio Estadual São Vicente de Paulo. Lá, a instituição com 90 anos não tem local para funcionamento e o governo tucano pretende liquidá-lo.

“Mais um atentado contra a educação do Paraná”, denunciou esta semana o deputado Nereu Moura, líder do PMDB na Assembleia Legislativa.

“Estou recebendo informações de quase todas as regiões do Estado, dando conta do fechamento de turmas e escolas, para o ano de 2016”, disse o parlamentar.

Para o deputado, trata-se de “um verdadeiro massacre, não só aos professores, funcionários, mas, sobretudo, à população paranaense”.

A APP-Sindicato denuncia também que o governo do estado está comunicado o fechamento de turmas e de escola via telefone. Segundo a entidade, o objetivo é não deixar rastro por escrito desse massacre contra a educação.