TRE suspende cassação do prefeito de Almirante Tamandaré

Prefeito de Almirante Tamandaré, Aldnei Siqueira, aliado do governador tucano Beto Richa, conseguiu ontem uma liminar que o mantém no cargo até julgamento pelo pleno do TRE; caso a cassação de mandato seja confirmada mais adiante, necessariamente, o município da região metropolitana terá de realizar nova eleição, haja vista que o segundo colocado, Gerson Colodel, é considerado inelegível pela Justiça Eleitoral; de volta à  cadeira, Aldnei despacha normalmente nesta quarta (19).

Prefeito de Almirante Tamandaré, Aldnei Siqueira, aliado do governador tucano Beto Richa, conseguiu ontem uma liminar que o mantém no cargo até julgamento pelo pleno do TRE; caso a cassação de mandato seja confirmada mais adiante, necessariamente, o município da região metropolitana terá de realizar nova eleição, haja vista que o segundo colocado, Gerson Colodel, é considerado inelegível pela Justiça Eleitoral; de volta à  cadeira, Aldnei despacha normalmente nesta quarta (19).

O juiz Jean Carlo Leeck, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), concedeu ontem uma liminar suspendendo decisão da juíza eleitoral Inês Zarpellon que cassava o mandato do prefeito Adnei Siqueira (PSD) e de seu vice, Antonio Claret Giordano Todeschi (PR), de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, por caixa 2 na campanha eleitoral de 2012.

Segundo o advogado Ricardo Freitas Vasco, que representa o prefeito e o vice, a liminar concedida pelo TRE, com efeito suspensivo, tem como objetivo evitar a “dança da cadeira”. De acordo com ele, na prática, seus clientes nem chegaram a deixar a prefeitura porque o segundo colocado na disputa de 2012, Gerson Colodel (PMDB), é considerado inelegível pela Justiça Eleitoral.

Com a decisão cautelar do TRE, Aldnei Siqueira permanecerá no cargo até o julgamento do mérito da acusação pelo pleno da corte. Nesta quarta (19), o prefeito retoma as atividades normalmente no município.

Comentários encerrados.