Semana Pedagógica: Richa é vaiado ao culpar governo federal pela falta de recursos na educação; assista

Professores e funcionários inciam ano letivo com protesto contra governo do PR

Início do ano letivo de 2014 começa muito tenso nas escolas da rede pública do Paraná; governador Beto Richa foi vaiado hoje, em Pato Branco, região Sudoeste, durante abertura da Semana Pedagógica; apupo ocorre quando uma escola exibiu vídeo em que o tucano fala das "conquistas" do magistério em seu governo; educadores ficaram revoltados quando o tucano disse que não tem como cumprir a Lei do Piso porque a Lei de Responsabilidade Fiscal, ou seja, não vai honrar os R$ 100 milhões em dívida nem implantar os 33% de hora-atividade; Richa culpou o governo federal pela falta de repasse de verbas à  educação.

Início do ano letivo de 2014 começa muito tenso nas escolas da rede pública do Paraná; governador Beto Richa foi vaiado hoje, em Pato Branco, região Sudoeste, durante abertura da Semana Pedagógica; apupo ocorre quando uma escola exibiu vídeo em que o tucano fala das “conquistas” do magistério em seu governo; educadores ficaram revoltados quando o tucano disse que não tem como cumprir a Lei do Piso porque a Lei de Responsabilidade Fiscal, ou seja, não vai honrar os R$ 100 milhões em dívida nem implantar os 33% de hora-atividade; Richa culpou o governo federal pela falta de repasse de verbas à  educação.

O governador Beto Richa (PSDB) começou esta segunda-feira (3) com o pé esquerdo. Ele foi vaiado na maioria das 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná quando foi exibido um vídeo com seu pronunciamento aos cerca de 80 mil professores e 20 mil funcionários que participam da Semana Pedagógica, que vai de hoje até sexta-feira (7). A atividade precede ao início do ano letivo na semana que vem para de 2,2 milhões de alunos matriculados.

No pronunciamento distribuído à s escolas, Richa avisa que não vai cumprir a Lei do Piso, ao mesmo tempo em que exaltou as conquistas! do magistério e melhorias que teria realizado nas estradas rurais para facilitar o transporte escolar. O governador culpou o governo Dilma Rousseff pela falta de repasses de verbas à  educação.

Na volta à s aulas no estado estão previstos protestos de professores que e funcionários das escolas que reivindicam o cumprimento da Lei do Piso pelo governador e seu vice, Flávio Arns (PSDB), secretário da Educação. O vídeo de hoje caiu como gasolina em labaredas, que já estavam altas.

Assista ao pronunciamento de Richa na Semana Pedagógica:

Os tucanos devem valores retroativos aos educadores e descumprem 1/3 da implantação da jornada de trabalho dedicada à  preparação das aulas e estudos, chamada de hora-atividade.

A APP-Sindicato, entidade que representa os educadores paranaenses, calcula que o governo Richa lhe aplica calote de cerca de R$ 100 milhões, além de descumprir acordo sobre a hora-atividade.

Cansados de levar calote, professores e funcionários decidiram iniciar o ano letivo implantando na marra os 33% de hora-atividade dentro das 2,1 mil escolas da rede pública estadual. Os profissionais do magistério adiantam que farão valer na prática a Lei do Piso nos dias 11, 19, 27 de fevereiro e 07 de março.

Para se ter ideia tensão nas escolas, o blog acompanhou pelas redes sociais a abertura da Semana Pedagógica em Pato Branco, região Sudoeste. Lá, Richa foi vaiado pelos educadores quando apareceu no vídeo falando das “conquistas” do magistério em seu governo. Professores ficaram revoltados quando o tucano disse que não tem como cumprir a Lei do Piso porque a Lei de Responsabilidade Fiscal o impede. O apupo demorou cerca de 10 minutos.

Comentários encerrados.