Por Esmael Morais

Possível vice de Fruet em 16, Salamuni assume Prefeitura de Curitiba

Publicado em 31/01/2014

Vereador Paulo Salamuni, do PV, que assumiu a Prefeitura de Curitiba nesta sexta (30), é a "arma secreta" de Gustavo Fruet para 2016; parlamentar "verde" disputará Câmara Federal com apoio do Palácio 29 de Março; objetivo é cacifá-lo para a vice, na reeleição, daqui a dois anos; em 2018, se concorrer ao Palácio Iguaçu, Fruet deixaria o cargo nas mãos de Salamuni, tal qual fez Richa para Ducci; sabendo disso, PT já prepara nos bastidores projeto eleitoral solo com Mirian Gonçalves na cabeça. (Foto: Jader Rocha/Facebook).

Vereador Paulo Salamuni, do PV, que assumiu a Prefeitura de Curitiba nesta sexta (30), é a “arma secreta” de Gustavo Fruet para 2016; parlamentar “verde” disputará Câmara Federal com apoio do Palácio 29 de Março; objetivo é cacifá-lo para a vice, na reeleição, daqui a dois anos; em 2018, se concorrer ao Palácio Iguaçu, Fruet deixaria o cargo nas mãos de Salamuni, tal qual fez Richa para Ducci; sabendo disso, PT já prepara nos bastidores projeto eleitoral solo com Mirian Gonçalves na cabeça. (Foto: Jader Rocha/Facebook).

A prefeita de Curitiba em exercício Mirian Gonçalves, do PT, transmitiu na manhã desta sexta (31) o cargo para o vereador Paulo Salamuni, do PV, que comandará o município pelos próximos cinco dias durante viagens internacionais da petista e do titular da cadeira, Gustavo Fruet, do PDT.

Mirian, vice-prefeita e secretária do Trabalho e Emprego, viaja ao Paraguai em missão oficial. Ela reassume a prefeitura nos dias 06 e 07, quando Fruet regressa da àfrica do Sul.

Agora a informação dos bastidores na Prefeitura. Salamuni é presidente da Câmara Municipal. Vai disputar uma das 30 cadeiras à  Câmara Federal com apoio de Fruet. O projeto é fazer do “verde” um dos mais votados da capital para cacifá-lo em 2016.

Salamuni é da casa e homem de confiança de Fruet. Os alquimistas do Palácio 29 de Março querem o parlamentar do PV na vice na reeleição do prefeito em 2016. Se precisar deixar a Prefeitura para concorrer ao Palácio Iguaçu, em 2018, Salamuni vira uma espécie de Luciano Ducci, do PSB — que herdou o cargo de Beto Richa, do PSDB.

E a Mirian, o que acontecerá com ela? Muito provavelmente, o PT deverá se preparar para freadas bruscas até 2016 na aliança com Fruet. O grupo que comanda o petismo já trabalha com essa hipótese.

Se não permanecer na vice, PT também lança candidato à  Prefeitura. O nome da própria Mirian Gonçalves é ventilado para a tarefa, sem sobressaltos, pois faz parte do consórcio que venceu a convenção municipal no final de 2013.