Rede cria direção horizontal no Paraná

Claudino explica que a direção na Rede, novo partido de Marina, é horizontal no Paraná, composta de seis coordenadores; o dirigente disse que a legenda vai priorizar candidatura própria ao Palácio Iguaçu, mas reafirma decisão de conversar com outras agremiações do campo democrático e antineoliberal.
Claudino explica que a direção na Rede, novo partido de Marina, é horizontal no Paraná, composta de seis coordenadores; o dirigente disse que a legenda vai priorizar candidatura própria ao Palácio Iguaçu, mas reafirma decisão de conversar com outras agremiações do campo democrático e antineoliberal.
Claudino Dias, apontado erroneamente aqui como presidente da Rede de Sustentabilidade, novo partido de Marina Silva, informa que no Paraná foi definida uma organização horizontal. Ou seja, dois coordenadores gerais, dois diretores executivos e dois financeiros.

“Quanto a conjuntura estadual, a minha opinião é que a REDE apresente candidatura própria, sem buscar alianças com políticos que já estando no poder e não conseguiram construir uma nova política. Devemos sim conversar com as forças política, até porque nosso sistema é democrático e o REDE também, mas não indicamos preferência nem deferência a nenhum nome”, completa Claudino.

Professor e enólogo, Claudino Dias tem origem política no PCdoB de Ricardo Gomyde. O dirigente da Rede também é blogueiro (clique aqui para acessar).

Comments are closed.