Por Esmael Morais

Fruet reduz tarifa para R$ 2,70, mas as ruas pedem R$ 2,60

Publicado em 01/07/2013

Movimentos populares e políticos prometem fazer novas lutas, dentro na CPI da Urbs, pela redução da tarifa para R$ 2,60 e domingueira a R$ 1; no sábado, cerca de 2 mil pessoas voltaram à s ruas da capital para exigir a revogação do aumento na passagem, em março, autorizada pelo prefeito Gustavo Fruet.

Movimentos populares e políticos prometem fazer novas lutas, dentro na CPI da Urbs, pela redução da tarifa para R$ 2,60 e domingueira a R$ 1; no sábado, cerca de 2 mil pessoas voltaram à s ruas da capital para exigir a revogação do aumento na passagem, em março, autorizada pelo prefeito Gustavo Fruet.

Começou a valer a partir de hoje, 1!º de julho, novo na tarifa de ônibus que foi baixada de R$ 2,85 para 2,70. A domingueira foi mantida a R$ 1,50. Esses preços foram anunciados no último dia 20 de junho pelo prefeito Gustavo Fruet (PDT) após violentos protestos que transformaram o Centro Cívico — sede dos três poderes na capital paranaense — em praça de guerra.

Em Março, Fruet reajustou a tarifa de R$ 2,60 para R$ 2,85 e a domingueira de R$ 1 para R$ 1,50.

No último sábado 29, cerca de 2 mil pessoas marcharam nas ruas centrais de Curitiba para exigir, dentre várias reivindicações, a volta da tarifa a R$ 2,60 e domingueira a R$ 1. O protesto do final de semana foi organizado por movimentos sociais ligados ao PT, a exemplo da CUT, e à  vice-prefeita Mirian Gonçalves.

O tema redução da tarifa para R$ 2,60 — que na prática significa revogação do aumento de março — deverá retornar à  pauta da Câmara Municipal, pois, nesta segunda-feira, a partir as 14 horas, os vereadores realizam a primeira reunião da CPI da Urbs (empresa que gerencia o transporte coletivo na capital).