CPI da Urbs será aberta com proposta de passe livre em Curitiba

Vereadores Chicarelli e Rogério Campos prometem lutar, na Câmara de Curitiba, para que CPI da Urbs, que investigará o transporte, não termine em pizza; dentre as proposta de funcionamento da comissão está o fim de reunião e voto secreto.

Vereadores Chicarelli e Rogério Campos prometem lutar, na Câmara de Curitiba, para que CPI da Urbs, que investigará o transporte, não termine em pizza; dentre as proposta de funcionamento da comissão está o fim de reunião e voto secreto.

O vereador José Carlos Chicarelli (PSDC), autor moral e membro da CPI da Urbs, que investigará o sistema de transporte público de Curitiba, ao blog, nesta segunda-feira, 1!º de julho, afirmou que espera um relatório final da comissão que: 1- reduza a tarifa para R$ 2,60 e a domingueira a R$ 1; aponte a implantação do passe escolar livre a todos os estudantes matriculados no 1!º, 2!º e 3!º graus; e que elimine a indústria da multa e de radares em excesso na capital paranaense.

“A CPI da Urbs não pode terminar em pizza. Se depender de mim, nós teremos resultados concretos à  população, como redução no preço da tarifa, passe livre aos estudantes e fim da indústria da multa”, disse Chicarelli.

O vereador Rogério Campos (PSC), preterido na CPI, lamentou o fato de cobradores e motoristas não terem voz na comissão de investigadores. Em conversa com esse blogueiro, o parlamentar disse temer que saia uma grande pizza no relatório final, daqui a 90 dias.

“Temo pelo pior, que tudo termine em pizza. Eu lamento que motoristas e cobradores tenham ficado de fora dessa CPI, pois eles poderiam contribuir muito com as investigações”, opinou Campos.

Chicarelli adiantou que na primeira reunião da CPI, a partir das 14 horas desta segunda-feira, vai pedir o fim de votações e reuniões secretas da comissão. “A CPI tem que funcionar aberta à  imprensa e ao público. Não precisamos esconder nada de ninguém, ou precisamos?”, indaga o vereador do PSDC.

Comentários encerrados.