Caminhoneiros autônomos do sul fluminense param por isenção de pedágio

da Agência Brasil

Caminhoneiros protestaram hoje no Rio, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul; eles querem isenção do pedágio e subsídio no preço do diesel; no Paraná, em agosto, movimento vai exigir tarifa de pedágio a R$ 1.

Caminhoneiros protestaram hoje no Rio, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul; eles querem isenção do pedágio e subsídio no preço do diesel; no Paraná, em agosto, movimento vai exigir tarifa de pedágio a R$ 1.

Os caminhoneiros autônomos da região sul fluminense começaram na tarde de hoje (1!º) um protesto por melhorias no setor. Eles pedem isenção de pedágio e subsídio no preço do diesel. A exemplo do que ocorreu nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, a categoria parou seus veículos na altura do quilômetro 276 da BR-116 (Via Dutra), em Barra Mansa.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), existe no local uma fila de caminhões de aproximadamente 2 quilômetros, na pista sentido Rio. No quilômetro 274, os caminhoneiros chegaram a bloquear totalmente a rodovia, mas a PRF conseguiu dialogar com o grupo de manifestantes e liberar a via. Os motoristas estacionaram seus caminhões no acostamento e só estão permitindo a passagem de carros de passeio e ônibus.

O presidente do Sindicato de Transportes de Carga Autônoma de Volta Redonda e Região Sul Fluminense, Francisco Wilde, disse que os caminhoneiros também acompanham a onda de protestos no país para apresentar suas demandas. Estamos aproveitando esta onda de manifestações para mostrar que também estamos aqui, dispostos a protestar, e que somos muitos!, disse. Ainda de acordo com o sindicalista paralisação deve se estender até quarta-feira (3).

Mais cedo, ás 13h, ocorreu uma reunião em um posto de gasolina próximo ao bairro de Cotiara, em Barra Mansa, para definir detalhes do movimento. De acordo com o presidente do sindicato, também foi feita uma reunião entre os caminhoneiros e a PRF para tratar da segurança no local do protesto. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o patrulhamento na região foi triplicado desde a madrugada desta segunda-feira.

Edição: Aécio Amado

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. à‰ necessário apenas dar crédito á Agência Brasil

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Tem mais é que descer a borracha nestes baderneiros… onde já se viu fechar as rodovias federais???

    Parar o transporte de bens, serviços e mercadorias???

  2. a justiçabrasileira e contra o trabalhador: quando havia passeatas escusas pelo brasil acefala,o judiciario se manteu escondido,e o ministerio publico deixou nos no esquecimento. mas quando trabalhador faz movimento a policia ai atua ,claro são pessoas do bem..pprender ,e assustar trabalhador é facil..

  3. E aqui,vamos ficar com o rabo entre as pernas?
    Será que somos trouxas dos pedageiros?
    As estradas já estão pagas muitas vezes,as queremos de volta.

  4. Tenha santa paciência o protesto dos caminhoneiros é comandado por empresários. Pauta é revogar lei que garante descanso dos caminhoneiros a cada 8 horas de trabalho. o tal Nélio Botelho é um grande picareta e sempre é bucha de canhão e aparece em momentos que a direita quer impor sua pauta ao Brasil.

  5. É pedágio alto, é “n” promessas desde março de 2011 feitos pelo governo do PR com relação as enchentes no litoral, quando serão refeitas as pontes?
    http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-1edicao/videos/t/edicoes/v/moradores-do-litoral-ainda-esperam-a-construcao-de-pontes-derrubadas-pela-chuva-em-2011/2664979/