Assista ao vídeo ‘Onde estava a Guarda Municipal, Fruet?’

Na sexta-feira 21 à  noite, durante os confrontos que transformaram o Centro Cívico em verdadeira praça de guerra, chamou muito atenção a ausência da Guarda Municipal de Curitiba (GM).

Até as capivaras do Parque Barigui sabem que a GM é tão aparelhada quanto a Polícia Militar para conter distúrbios. Desde o início dos anos 90 tem tropa de choque, equipamentos importados, treinamento no exterior, etc.

A prefeitura de Curitiba filmou seu prédio sendo vandalizado, o comércio sendo saqueado e estações tubo sendo destruídas. Agora, cabe uma pergunta: onde estava a Guarda Municipal, prefeito Gustavo Fruet (PDT)? Assistindo de camarote?

Após o quebra-quebra no Centro Cívico, indignada, a mulher do prefeito de Curitiba, Márcia O. Fruet, via Twitter, lançou o seguinte questionamento: Por que só o Palácio Iguaçu foi protegido?!.

Um bem-humorado assessor do governador Beto Richa (PSDB) ousou responder à  primeira-dama: Cada um no seu quadrado cuidando do seu redondo!.

Fato é que Fruet não quis colocar a GM no confronto temendo o pior; O Palácio Iguaçu também titubeou bastante até decidir por conter os vândalos, que tentavam invadir a sede do governo estadual; o tucanato só tomou coragem depois que a presidenta Dilma Rousseff deu a senha em pronunciamento à  nação: tolerância zero com o vandalismo!.

Em tempo: a torcida organizada ‘Os Fanáticos’ se dispõe a fazer, também, a segurança da prefeitura de Curitiba.

50 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Não da para entender, se a GM estivesse lá iriam dizer que eram mais um fantoche sendo usado para a violência contra ´´protestantes inocentes“, se cometeram vandalismo e quebra-quebra são bandidos disfarçados de manifestantes, realmente nada está bom para ninguém, o certo e fazerem isto permitir que destruam o patrimônio e descontar da população.

  2. Tanto a guarda municipal quanto a PM falharam feio no controle da ordem, deveriam ter enviado um efetivo maior visto que as manifestações anteriores já terminaram em vandalismo. Estamos mal servidos no quesito segurança!

  3. Qual a função da Guarda Municipal???
    Eles são preparados pra esse tipo de evento???

    • Trabalhador os tempos hoje são outros amigo!!

      Se você tivesse com um fuzil no meio da galera,certamente teria perdido para algum maluco e a M… estaria sendo feita,sem contar que os grupos de direitos humanos iriam te colocar na cadeia por muito tempo caso jogasse granadas e desse tiros na população desarmada.

  4. Onde está a Guarda Municipal
    O gato comeu, o gato comeu,
    E ninguém viu,
    A guarda sumiu, a guarda sumiu,
    E seu paradeiro, está no estrangeiro,
    Onde está a Guarda

  5. Engraçado só foi depredada a Prefeitura… Não houve saques, arrobamentos, etc. etc. etc. SÓ A PREFEITURA… Não esqueçam quem estava na rua era a PM do Estado do Paraná com seus infiltrados que viram tubos sendo quebrados, saques, etc e neste momento não fizeram nada, apenas avançavam de longe, e o caos sendo instalado e queriam que a guarda municipal servisse de faxineira pra quem começou a bagunça? Cadê os vidros quebrados do Palácio Iguaçu???

  6. A guarda municipal é uma força criada com o objetivo de melhorar a segurança urbana, apoiando os órgãos policiais estaduais e federais. Eles não tem um batalhão de choque como a PM, preparado para agir em distúbios como o de sexta.
    Estive no exército e recebi treinamento para AGIR EM DISTÚRBIOS CIVIS… Lá a coisa funciona assim, mete os soldados em formação no meio dos desordeiros, com munição de verdade mesmo ( armados com Fuzil 7,62 M964 -FAL), um sargento comandando cada pelotão, mais um cabo para lançar granadas… Não tinha escudo, cacetete, bala de borracha, gás lacrimogênio; nenhuma dessas bobagens do batalhão de choque…Lá aprendemos a cuidar dessas bagunças com a cara limpa, sem dó de ninguém…
    Já que a Polícia Militar é propriedade do Beto Richa, chame o exército prefeito e faça essa gente toda calar a boca…

    • Trabalhador os tempos hoje são outros amigo!!

      Se você tivesse com um fuzil no meio da galera,certamente teria perdido para algum maluco e a M… estaria sendo feita,sem contar que os grupos de direitos humanos iriam te colocar na cadeia por muito tempo caso jogasse granadas e desse tiros na população desarmada.

  7. o que houve que os policiais ao dispersarem os arruaceiros houve uma avalanche de depredação no sentido ao centro, o foco das manifestações era a corrupção e o palácio iguaçu e não a prefeitura.

  8. Os comentários apresentados nada tem com o título da matéria. É preciso que os líderes das manifestações ( se houver ) contenham seu ímpeto raivoso, pois tais movimentos estão perdendo a razão de ser porque, embora tenham objetivos justos, principalmente reclamando da ditadura dos políticos, que pintam e bordam e nada acontece em termos punitivos, indivíduos sem carater, com intenções duvidosas de baderna, quebra quebra e roubos estão deteriorando as manifestações, conduzindo-as para um caminho que não levará a nada. A administração municipal que avalie a atuação da sua guarda municipal e tome as providências cabíveis.

  9. Amigos, no 1º protesto houve prisão de 2 militares e neste ultimo mais um. é mera concidencia? quem poderia vir a publico explicar o que esta acontecendo aqui em curitiba? algo estranho, muito estranho nisto tudo.

  10. Eu acompanhei in loco o que aconteceu na noite de 6ª feira porque moro em frente ao ocorrido e estava com a minha mãe na passeata. A polícia militar soltou as 1ªs bombas encima dos manifestantes, casais com filhos, srs. e sras, adolescentes de bem. Aí, foi um corre-corre e obviamente a minoria infilrada para o tumulto começou a executar o que devia estar combinado. A pm com seus cachorros e cavalaria, batalhão de choque e mais uma centena de borra-botas, ficaram em formação a menos de 50m de distância dos fatos. Assim como os vandalos iam depredando e avançando a pm avançava em formação, sem mover um dedo a favor da defesa da ordem. Os vândalos arrombaram o comércio, retiram móveis, empilharam lixo, colocaram fogo ABSOLUTAMENTE TUDO AS VISTAS DA POLÍCIA QUE NÃO MOVEU UM MÚSCULO PARA COIBIR AQUELES ATOS. Os proprietários tem que requisitar as imagens feitas ao vivo pela ÓTV e acionar o Estado por omissão, porque a polícia estava presente e por omissão, chegou a ser conivente com a bandalheira. Depois que os infiltrados quebraram tudo, botaram fogo é que a polícia fez o esparramo, mas, aí já era tarde e o objetivo talvez ja tivesse sido atingido o objetivo, ou seja, desmoralizar o movimento legítimo de descontentamento e repúdio a corrupção neste país de ali-babás.

    • Gabriela parte de tudo isso que você escreveu aqui, eu escrevi neste Blog na noite do tumulto e inclusive, dei a mesma sugestão para as pessoas que levaram prejuízo com os vandalismo e saques, é só voltar as matérias um pouquinho atras, compartilho integralmente de sua opinião, tem que processar o estado e cobrar, porque em outras situações Governadores do Parana jogou essa mesma policia encima dos nossos Professores com uma eficiência Britânica, em momentos de reivindicação justa e ordeira, deixo a minha pergunta, à quem interessa todo esse CAOS? agora que a população esta precisando de atitude ficam de corpo mole. Cade o helicóptero bonito que foi o principal ATOR da Campanha Eleitoral do ano passado, PARANA INSEGURO!!!!!

    • Oh velho discurso anti corrupção da UDN! Minha filha, vc sofreu lavagem cerebral da Globo. Só uma mente infantil e uma pessoa sem qualquer leitura pode achar que o problema do Brasil é a corrupção. Vá ler os livros clássicos que explicam o Brasil, com Celso Furtado e Raymundo Faoro e pare de falar absurdos.
      Eu sei que vc é ignorante de carteirinha, mas faça um esforço, leia uns dois ou três livros e pare de repetir tudo como uma papagaia burra.
      Tanta ignorância me dá medo!

      • Seu Roberto, hoje em dia que Santos Dumont é apenas um nome de aeroporto, ninguém vai lembrar de UDN… O senhor é que está precisando ler “uns dois ou três livros”, da época em que vivemos…

      • Roberto, tu és meio bobão tchê

  11. 23 DE JUNHO DE 2013 – 11H17
    Giovano Iannotti: Querem pôr um cadáver no colo da presidenta

    Neste sábado (22), minha mulher e eu fomos à manifestação ocorrida em Belo Horizonte na qualidade de médicos. Somos professores e vários de nossos alunos estavam presentes. Como já havíamos testemunhado a violência no ato da segunda-feira anterior, fomos preparados para atender possíveis vítimas, levando na mochila alguns elementos muito básicos para pequenos ferimentos e limpeza dos olhos irritados por gás.

    Por Giovano Iannotti*, especial para o Vermelho

    A manifestação foi tranquila durante todo o trajeto. Até mesmo a intolerância com militantes de partidos de esquerda foi pouco vista. Uma grande bandeira vermelha era orgulhosamente carregada e, salvo um ou outro, respeitada. Contudo, o clima começou a piorar quando a manifestação encontrou o cordão policial. Como tem ocorrido, a maioria aceitou o limite imposto, mas os provocadores instavam os moderados a enfrentarem a polícia. Parecem colocados estrategicamente entre o povo, porque se repartem em certo padrão e gritam as mesmas frases.

    Como é sabido, eventualmente o conflito aconteceu. Retiramo-nos para a pequenina área verde que sobra naquele encontro entre as avenidas Abraão Caran e Antônio Carlos. E ali ficamos tratando sobretudo intoxicações leves e ferimentos superficiais causados por estilhaços e balas de borracha. Em um momento, fui chamado para atender um senhor ferido na cabeça. Fui correndo, mas ele já passara o cordão de isolamento da polícia. Identifiquei-me como médico aos policiais do governo de Minas Gerais e disse que poderia atender o senhor ferido. A resposta foi uma arma apontada contra meu peito. Pedi para falar com algum oficial, mas a PM recomeçou a atirar. Voltei para nosso pronto-socorro improvisado. De dentro do campus da UFMG começaram a atirar bombas de gás sobre nós que atendíamos os feridos e recuamos ainda mais, para o meio da Antônio Carlos.

    Minutos depois, chamaram-nos com urgência informando que alguém caíra do viaduto José de Alencar. Quando chegamos, um jovem com o rosto sangrando estava sofrendo uma pequena convulsão. Fizemos a avaliação primária e, na medida em que surgiam problemas, tratávamos da melhor forma possível. Aquele paciente precisava de atendimento avançado urgentemente, em um centro de trauma, mas a polícia não arrefecia. Aproximou-se de mim um sujeito com o rosto tampado por uma camiseta. Ele descobriu parcialmente a face e me disse no ouvido que era policial e que pediria que não atirassem para que pudéssemos evacuar a vítima (penso ter visto esse autodeclarado policial perto de mim, quando eu tentava falar com um oficial, e depois correndo ao meu lado. Se for a mesma pessoa, ele era um dos exaltados que instavam à violência). Chegaram algumas pessoas com camiseta vermelha, na qual se lia “bombeiro civil”. Eles nos ajudaram a improvisar uma maca com um cavalete da empresa de transportes e faixas de manifestantes. Algum tempo depois, por coincidência ou não, os tiros pararam e fomos, com dificuldade, levando a vítima em direção do cordão policial. Minha mulher ficou na barreira.

    Quando passamos a barreira, vi uma ambulância parada a uns 20 metros. Gritei para os que ajudavam para que fôssemos para ela. Todavia, para meu horror, a polícia não permitiu. Disse que aquela viatura era somente para policiais feridos. Tentei discutir, mas vi que seria improdutivo. Disse a um oficial, então, que conseguisse outra. Não tínhamos muito tempo. Colocamos a vítima no chão, imobilizando sua coluna cervical e iniciei a avaliação secundária. Na medida do possível, limpamos o rosto ensanguentado do jovem e realinhamos os membros fraturados. Pedi aos policiais que, pelo menos, trouxessem equipamentos da ambulância “deles” para imobilização e infusão. Recusaram-se.

    Esperamos um bom tempo até que uma ambulância do resgate do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais chegasse. O veículo praticamente não tinha nenhum equipamento. Somente a prancha, talas, colar cervical e oxigênio para ser usado com máscara. “Soro” não havia. Transferimos e imobilizamos o paciente. Nesse tempo, tentávamos descobrir para onde levar a vítima. Respostas demoravam a chegar. Pensamos no Mineirão, bem próximo de nós, mas primeiro disseram que era para torcedores e depois que não dispunha de centro de trauma. Fomos para o Pronto Socorro de Venda Nova, Risoleta Neves. Lá uma colega assumiu o tratamento do ferido.

    Entrei em contato com minha mulher e ela me disse havia se juntado a meu irmão, que dois outros haviam caído do viaduto e que havia vários feridos, mas que eles não estavam conseguindo mais atender.

    Mais tarde, quando os reencontrei no metrô de Santa Efigênia eles me contaram uma história de terror. Depois de me deixar com a primeira vítima, minha mulher se identificou aos policiais e disse que queria passar também para me ajudar. A polícia não deixou e ameaçou atirar nela. Como as agressões reiniciaram logo depois, ela ficou presa entre bombas e pedras, até que conseguiu fugir e retomar a antiga posição para socorro, no meio da Antônio Carlos. Foi quando encontrou meu irmão. Logo depois, receberam um chamado, avisando que outro rapaz havia caído. A situação clínica desse paciente era muito pior do que a do anterior. Não interessa escandalizar ou ofender com detalhes médico-cirúrgicos. Relato somente que o quadro que os dois descrevem é gravíssimo. A vítima não reagia, estava em coma, mas respirava e o coração batia. Meu irmão, sabendo da primeira experiência, correu para os policiais, desta vez um outro cordão formado na Antônio Carlos, levantando as mãos, agitando uma camisa branca e gritando que havia um ferido morrendo. Os policiais, vários, apontaram-lhe armas e gritaram para que ele fosse embora. Quando ele tentou avançar um pouco mais, os tiros começaram e ele correu em direção de minha mulher para ajudá-la.

    Ali, ao lado da vítima, perceberam que a polícia atirava neles. Relatam que já não havia ninguém próximo. Somente a vítima, ele e minha mulher de jaleco branco. Os tiros e as bombas de efeito moral e de gás vinham com um único endereço. O deles. Ficaram o quanto aguentaram; mais não puderam fazer. Desesperados, tiveram que abandonar o rapaz que morria e buscar refúgio.

    Depois, tiveram a notícia de que um terceiro homem caíra do mesmo viaduto. A cavalaria já estava em ação e não havia como atravessar a avenida para socorrer essa terceira vítima. Quando cheguei em casa, alguns alunos relataram que socorreram um homem que caíra do viaduto (perece que foram quatro, no total). Quando a polícia passou, eles conseguiram chegar à vítima e ficar com ela até que o SAMU chegasse.

    Algumas ideias ficam em minha cabeça. Quem já conviveu com militares sabe na maioria das vezes reconhecer um por sua forma de agir, andar, cortar o cabelo e de falar. Sem leviandade, acredito que vários dos provocadores eram militares infiltrados. Vi o homem de rosto coberto dizer ser policial e que pediria para que os policiais alinhados dessem uma trégua e nos deixassem passar. Isso aconteceu. Outra imagem simbólica foi ver a tropa de choque da Polícia Militar de Minas Gerais dentro de uma universidade federal (deveria ser um território livre e sagrado da paz, da inteligência e da cultura) fechada para os estudantes. Da universidade vinham bombas que machucavam a juventude. Já ampliando o horizonte, o Itamaraty em chamas, a bandeira de São Paulo queimando, o Congresso quebrado, um governador sitiado em sua casa. Há que se ler nos símbolos e nos fatos. Amplie-se mais esse horizonte. Não se vê que os métodos são os mesmos usados nas “primaveras” árabes, em Honduras, no Paraguai, no Equador, na Venezuela e que começa também a ser usado na Argentina?

    Nada há de espontâneo no que está ocorrendo e não é à toa que os meios de comunicação têm promovido e estimulado a agressividade e a multiplicidade de slogans e bandeiras. Não é verdade que não haja líderes nessas manifestações. Os líderes estão nas sombras, colhendo os frutos das últimas tecnologias. São discretos. Quem sabe o que são o Instituto Millenium, o instituto Fernando Henrique Cardoso, o Council on Foreign Relations, a Trilateral Commission, o Carnegie Council? Preparam o Brasil para a guerra global idealizada pelos think tanks? É essa a forma de chegar aos recursos naturais do imenso território brasileiro sem a mínima resistência de governos mais progressistas? Incomoda o acordo com a Rússia para a compra e desenvolvimento de armas?

    Uma certeza: querem atacar a democracia. Em vez de atacar partido, tome partido. Você está sendo manipulado. Pelo que vi e vivi é certo que querem jogar um cadáver no colo da presidenta Dilma.

    *Professor de Medicina

  12. Prezados leitores e Blogueiro Esmael,
    Fico estupefato em ver o quanto as opiniões que são expostas aqui pendem para o interesse pessoal em sua maioria, jogo mesquinho de baixo nivel, uns que estão nos governos seja do fruet, outros do richa outros da Dilma e alguns desempregados que sonham em voltar ao Poder para não fazer nada ou quando fazem ainda acham que fizeram algo .
    Em alto e bom som fizeram quase nada , e a estes Senhores Politicos digo que não fizeram mais que a sua obrigação e foram pagos com o dinheiro do Povo.
    E as matérias colocadas para discussão são em sua maioria no sentido de criar os embates entre todos apenas, não há algo construtivo neste periodo de manifestações do Povo Brasileiro , é como somente falar sobre os acontecimentos bons e ruins que estamos presenciando.
    O outro lado : Num outro nivel de ação , os blogueiros anti-democracia , anti-pt e anti-tudo que perderam e perdem as elleições e disseminam o ódio e incentivam quebra-quebra , estes estão a todo vapor no face, nos emails, e a Palavra de ordem é “minuto-a-minuto” e alerto que são mihares : empresarios, estudantes, jovens despolitizados, etc. que não vão parar de marchar pelas ruas .
    Isto é ser Lider (mesmo com bandeiras fascistas e anti-democraticas ), e que estes Politicos Ultrapassados aprendam a opinarem e se oxigenarem com os gritos, as frases, e não se refugiem nos pcs , nas casas e nos aptos de alto padrão , mas saiam também as ruas com suas bandeiras partidárias já, pois se não fizerem isto a midia golpista e os financiadores desta campanha golpista para derrubada do poder em todos os niveis tomará sim conta do Pais e o retrocesso virá com o Temer na Presidencia , ai voces verão quem é realmente quem no jogo politico e nefasto que fazem nos gabinetes sordidos .
    Defendam a Democracia , olhem de forma diferente, mudem o discurso e as praticas dai sim poderemos pensar num Brasil melhor.
    Lembro do Mauricio Fruet que 1 vez por semana abria o Salão da Prefeitura e atendia pessoalmente todos os contribuintes o dia todo e ali mesmo ordenava providencias aos seus pedidos com todos os seus secretarios em volta, hoje se seu filho fizer isto capaz de ser escrachado porque prometeu tudo e não cumpriu nada e o pior manteve tudo igual ao antecessor.
    Visitem o face, ja estão falando na greve geral e militares no Poder Já.
    A reação é de voces Politicos, se não fizerem agora será tarde demais amanhã!

  13. Movimentos cobram união da esquerda em “˜conjuntura pesada”™

    Foto: Ramiro Furquim/Sul21
    Reunião convocada pelo MST esboça agenda de reivindicações a ser levada ao governo federal e ao Congresso. Stédile celebra pronunciamento de Dilma: “˜Ela ouviu as vozes das ruas”™
    Da RBA
    Movimentos sociais, partidos políticos e entidades de classe se reuniram ontem (21) para discutir a conjuntura política da atualidade tendo em vista as manifestações das últimas semanas, organizadas pelo Movimento Passe Livre, e o desencadeamento de outros protestos, sem lideranças claras e pautas variadas.
    No encontro, as organizações buscaram esboçar uma agenda unificada. Para Luiz Gonzaga da Silva, o Gegê, da Central dos Movimentos Populares, o consenso é difícil. No entanto, “tudo depende do momento conjuntural, ele define o rumo das coisas. E nesse caso, o nosso rumo foi definido por essa conjuntura, que não é de se brincar. É uma conjuntura pesada, em que o povo está levado a ir para as ruas, está receptivo a fazer suas lutas, e nós não podemos recuar”.
    A Central Sindical e Popular (Conlutas) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT) participaram da reunião e destacaram o compromisso com as demais centrais sindicais ““ com quem se encontram na próxima terça-feira (25). Para Vagner Freitas, presidente da CUT, o debate foi importante para reunir as esquerdas. “Temos muitas divergências e dificuldades entre nós, mas a unificação é importante. A CUT não sai daqui com nenhuma proposta. Tratamos de construir um fórum que consiga unificar e discutir os nossos problemas”.
    Representantes de diversos movimentos apresentaram ideias de como pautar os militantes para os novos protestos marcados para esta semana, além de combater de forma ideológica as iniciativas reacionárias que têm se mostrado crescentes nas últimas mobilizações de rua. A constatação é de que muitas das pautas progressistas apresentadas por muitos manifestantes são reivindicações antigas dos movimentos sociais. Por isso, aproveitar o momento para reforçar o coro e construir um diálogo com o poder público é fundamental para novas conquistas.
    A presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE), Vic Barros, fez um balanço positivo da reunião e apontou duas pautas presentes em várias falas durante a noite. “Essa reunião demonstrou que o povo unido em luta no Brasil, por meio das ações do movimentos sociais, tem muita unidade a construir em torno de pautas que possibilitem nosso país a avançar no caminho das mudanças. Como é o caso de uma reforma política que garanta mais participações populares nas decisões da política brasileira, que garanta financiamento público de campanha, e principalmente, nesta pauta educacional, que hoje se manifesta através da luta dos 10% do PIB para a educação”.
    Ontem, durante pronunciamento em cadeia de rádio e televisão, a presidenta Dilma Rousseff afirmou que vai procurar os líderes dos outros poderes constitucionais para propor a aprovação de uma reforma política, e reforçou a promessa de destinar 100% dos royalties dos novos blocos de exploração do pré-sal para a educação.
    João Pedro Stédile, presidente do MST, movimento que teve a iniciativa do encontro, resumiu algumas pautas apresentadas e consideradas essenciais. Para ele, é preciso levar adiante a apresentação de um projeto de lei pela democratização dos meios de comunicação, debater a reforma do Poder Judiciário, garantir a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, cobrar a destinação de mais recursos para educação, saúde e transporte público, suspender os leilões do petróleo e promover uma reforma urbana.
    A reunião foi interrompida para acompanhar o pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff. O anúncio de que ela se reunirá com lideranças de movimentos populares foi ovacionado. Stédile admitiu surpresa: “Foi uma fala boa, política, e revela que ela ouviu as vozes das ruas. Agora, como tudo na vida, a gente tem que ser um pouco São Tomé, só acreditar vendo. Então eu espero que ela dê concretude às propostas políticas que anunciou.”
    As mais de 30 entidades que participaram na reunião devem se encontrar novamente na próxima semana para definir as propostas concretas.

    • Por tudo o que li nesse comentário:
      Isso aqui sim e atitude de pessoas responsáveis que realmente querem mudar o nosso pais para melhor.

  14. É que houve alguns infiltrados na manifestacao da gangue petista, por isso o Frutinha nao estava esperando ataques na PMC…

  15. 23/06/2013 – 03h30
    Promotoria investiga fraudes em empresas de ônibus de São Paulo
    PUBLICIDADE

    JOSÉ ERNESTO CREDENDIO
    MARIO CESAR CARVALHO
    DE SÃO PAULO

    Empresas com prejuízo no balanço, mas com proprietários que fazem movimentações milionárias. Essa situação ocorre com companhias de ônibus de São Paulo, segundo o Ministério Público.

    Uma investigação aponta que esse paradoxo é resultado de desvios de recursos pelos donos das empresas, troca de ônibus novos por velhos e venda de linhas que não poderiam ser negociadas porque são uma concessão da Prefeitura de São Paulo.

    Relatório aponta R$ 4,8 milhões em movimentações suspeitas
    ‘Acusações são infundadas’, diz advogado
    Relatórios do Coaf, órgão do Ministério da Fazenda que apura lavagem de dinheiro, encontrou “movimentações atípicas” em dinheiro vivo desses empresários.

    Um relatório sigiloso obtido pela Folha cita que a empresa Happy Play, que não tem um único ônibus, mas integra consórcio, recebeu R$ 4,8 milhões em depósitos em dinheiro num único ano.

    Por causa dessas movimentações, as empresas e seus donos tiveram seus bens bloqueados pela Justiça, mas depois a medida foi cassada.

    Um empresário investigado comprou 11 imóveis em condições que o Ministério Público classifica de irreais: sete deles foram financiados pela incorporadora do empreendimento. Quem financia esse tipo de negócio, em geral, é banco, não a incorporadora.

    Há ainda suspeitas de que os empresários criaram um cipoal de empresas para esconder patrimônio e evitar perdas em ações judiciais.

    Nas manifestações do MPL (Movimento Passe Livre), os empresários eram chamados de “tubarões” do transporte.

    O advogado das empresas, Paulo Iasz de Morais, diz que as acusações são infundadas.

    O foco da apuração é o Consórcio Leste 4, que atua na zona leste, onde se concentra o serviço de pior qualidade na cidade, segundo a SPTrans, que gerencia o sistema público de transporte.

    O consórcio ganhou em 2007 concessão de R$ 1,6 bilhão para transportar 500 mil passageiros por dia.

    Três empresas do consórcio estão sob investigação: além da Happy Play, a Novo Horizonte e a Himalaia, rebatizada de Ambiental depois que o maior empresário de ônibus de São Paulo, José Ruas Paz, entrou como sócio.

    É também na zona leste que ocorrem as pressões mais fortes das empresas por aumentos no valor da tarifa pago pela prefeitura. A alegação é que as linhas da região são deficitárias.
    Uma das empresas, a Himalaia, cobra na Justiça R$ 14,5 milhões da prefeitura por supostos prejuízos.

    Foi essa empresa que, segundo a investigação, vendeu linhas e 136 ônibus em 2011 e comprou o que um funcionário da SPTrans chamou de “cacarecos”. A oferta teria sido anunciada no site de leilões Mercado Livre.

    A existência de serviços de baixa qualidade nessa região não é ocasional, segundo o promotor Saad Mazloum, que iniciou essas investigações em 2008 a partir de reclamações de passageiros.

    “As empresas dizem que não têm recursos para melhorar a qualidade, mas, pelas provas que juntei, não há dúvidas de que houve desvio para os empresários.”

    O promotor também achou repasse de dinheiro entre empresas do mesmo grupo que podem caracterizar desvios de recursos, segundo ele.

  16. Sabe, sou igual à vc, ás vezes me estresso à toa com coisas bobas, ou com uma simples brincadeira, nós dois temos que aprender a levar a vida mais na esportiva!!
    Abraços, um excelente final semana a vc!!!

    • Jamanta.
      Me desculpe mais eu não vejo tudo isso que esta acontecendo como coisa atoa, isso e coisa de gente atoa, bandido da pior especie que tem que ser enquadrado, cada manifestação dessa tem que meter uns 100 na cadeia e arbitrar uma fiança R$ 20.000.00 por cabeça para pagar parte dos prejuízos, se as autoridades não fizer nada na sequencia, daqui a pouco cada um vai se defender como pode e vai começar morrer gente, isso não é brincadeira, e só se colocar no lugar de quem perdeu tudo pra saber.
      Boa Noite pra vc, e sinceramente eu espero que a gente tenha uma semana melhor.

  17. GENTE ESTRANHA SEM NOME TROLLANDO!

    Esta ficando difícil de comentar neste blog, agora que o gigante acordou um bando de BISCATE É PLAYBOYZINHO DE MERDA invadiram essa página, reclamam de tudo e de todos, xingam até o dono do BLOG querem tomar tudo que vê pela frente de assalto. Vão cheirar o pó de vocês em outro lugar bando de vagabundos. Vão trollar na frente do estádio do atlético e levar pedrada na cara, covardes que se esconde com vários nomes esquisito aqui, e quando sai na rua coloca mascara, BANDO DE BUNDÃO É ISSO QUE VOCÊS SÃO! nos próximos dias vocês vão trocar a cocaína por gaz lacrimogênio, e levar cacetada na cara seus Bostas.

  18. Esmael e demais em relação ao “bem-humorado assessor do governador Beto Richa (PSDB) que ousou responder à primeira-dama: “Cada um no seu quadrado cuidando do seu redondo”. Representou com sua infeliz observação o governo ao qual faz parte.
    Podemos dizer que o referido quando assim se manifestou de maneira irresponsável e descabida não tem ou perdeu a linha!
    E por que?
    Porque ás principais propriedades da linha são:
    Expressividade e representa energia;
    Dinamismo, movimento e direção;
    A repetição de linhas próximas gera planos e texturas;
    Tensão no espaço em que se encontra e;
    Separação de espaços numa representação.
    Resumindo o governo “betorichiano” não tem ás três primeiras propriedades, sobra na quarta e é mal definido na quinta!
    Isto posto, “o quadrado deles é mal formado ou não se forma e o redondo deles vai aumentar antes e depois das eleições de 2014!”

  19. Sem dúvida, o que aconteceu no prédio da prefeitura foi omissão do prefeito. Infelizmente, essa omissão também pode ser vista na educação, onde não há creches para os filhos dos trabalhadores; na saúde onde não há médicos e nem remédios; e principalmente no transporte, este último o estopim da revolta, que não tem nenhuma qualidade e é caro. O prefeito Fruet é omisso também com os problemas da periferia da cidade, como por exemplo na região sul da cidade, que sofre com todas essas coisas citadas e com muito mais. Acho que o abandono da periferia por parte do prefeito tem a ver com o eleitorado dele, que são em sua maioria dos bairros mais abastados. Só não entendo uma coisa: O que o PT está fazendo nesse governo? Na minha visão, é um governo de direita com 4 petistas.

    • Pensador e na época do Beto/Ducci tinha???
      Não espere que o cara arruma a casa destruída em um ano, o que demoraram décadas para estragar

  20. Lembrando o amigo Fajardo, quando Vereador apresentei o primeiro projeto de Lei criando a Guarda em 1984 sem êxito inicialmente, posteriormente já na gestão do Prefeito Requião foi por ele sancionado. Já quando fui nomeado Secretário de Governo nossa equipe ,Fajardo junto como dito, fizemos o primeiro concurso também na gestão Requião e instituimos o primeiro grupo de guardas , o primeiro Diretor foi o saudoso Delegado José Carlos Branco que havia sido Diretor da extinta Guarda Civil Estadual.Nossa Guarda foi considerada modelo para muitos municípios e realmente tem o dever e a incumbência de proteger os prédios públicos e está capacitada numéricamente , podendo inclusive na forma da lei dar voz de prisão a quem for apanhado em flagrante delito cometendo atos de vandalismo e conduzindo para a lavratura do auto em Delegacia.

  21. Na época, Requião prefeito, o vereador José Maria Correia tinha apresentado proposta na Câmara Municipal para a criação da Guarda Municipal.

    • há Gm foi sucateada na administração do psdb, alias este pessoal se pudessem privatizavam todas as forças públicas e colocavam pessoas do grupo deles pra proteger o estado a peso de ouro, assim como fizeram na pmc, quem lucrou, ou esta lucrando até hj pra fazer um serviço que a Gm poderia estar fazendo e foi criada pra isso.

    • Na época que o Requião era prefeito a cidade era cheia de lombadas, Curitiba nunca teve tantas lombadas como nessa época… Isso deixava claro o método amarrado de governar, marca da sua gestão…E desculpe a sinceridade, essa guarda municipal de hoje, como todos os seus defeitos, dá de 10 x o naquela da época do Requião..

  22. Fui um dos responsáveis pela implantação da Guarda Municipal. Eu era presidente do Instituto de Administração na época do Requião. Uma das principais funções da Guarda é proteger os próprios do Município, ou seja: o patrimônio da Prefeitura. Cabe uma investigação sobre essa terrível omissão.

    • Omissão?, onde tem feridos, vidros sim coloquem outro, e se houvesse uma ação sera que alem de bens materiais, não teríamos pessoas feridas ou morta dos dois lado, sou a favor da manifestações, não da desordem, mas politizar é outra coisa, deixem que a policia com isenção investigue e que os culpados sejam punidos, a começar pelos que já estão preso.

  23. O Fruet é meio molão e assim está toda a prefeitura de Curitiba. Nas finanças a irmanzona é um terror com os funcionários, na Smad aquele “super”secretário Scatolin não aparece e não dá autonomia prá ninguém e assim as coisas param. Na saúde tá o mesmo caos da época do Ducci. No Ippuc tá lá um “artista” que gosta de coluna social. Na FAS quem manda é um cara da época do Ducci, pois a Marcia primeira dama só fica no twiter e facebook. Na Urbs tem um prepotente na presidência, odiado pelos funcionários (cadê os guardas de trânsito?).
    Do Ducci não temos saudades, mas do Beto Richa sim.

    • puta que pariu bretas vc inalou gás lacrimogênio, saudades do beto, vc é um aspone desmamado, se a policia investigar direitinho e com isenção vera que tem grupos de baderneiros a serviço de grupos derrotados.

    • Concordo plenamente com você Bretas,
      Na SMAD o supersecretário que tem duas secretarias e não faz nada em nenhuma delegou alguns poderes para um superintendente que tem rendimentos de secretário e não tem a devida autonomia pra administrar nada (Cesar Rissete). Esta PMC está abandonada à incompetência.

      • Se o Fruet tivesse o interesse em mudar alguma coisa teria começado não nomeando ninguém da administração anterior, porque gente competente, que não se identificava com a gestão do Beto e do Ducci, tem de sobra na PMC. Mas o Fruet escolheu o caminho sem volta de contemporizar e está se apequenando, se mostrando um covarde politicamente.

    • Do Richa sim???

      Tá falando como cidadão que foi enganado ou como alguém que ganhou 50% de aumento na época dele???

      Eu não ganhei este aumento e quero que ele se exploda na política,afundou a cidade num caos que só cego não vê.

  24. Esses vândalos infiltrados são o que o PiG denomina de “manifestantes pacíficos”…

  25. Muito bem, Esmael!
    Mostrando que a moeda tem duas caras e não apenas criticando governantes do psdb de maneira gratuita…
    Se bem que, pensando melhor, acho que ao criticar o Fruet você esta criticando o psdb também.
    Não, não, tinha me esquecido que ele mudou de bandeira só para tentar se eleger e se aliou com os que ele sempre criticava… E tem gente que diz que isso é política…

    • Roni, assino embaixo….

      O Fruet nao começou a governar…. Ta conseguindo se equiparar ao Luciano Ducci….

      Parece que qualquer decisão do Fruet ele precisa ouvir uma centena de pessoas antes e isso não é bom Pois TORNA A ADMINISTRAÇÃO BUROCRÁTICA LENTA E INEFICAZ, como muitos órgãos públicos. Por isso o PT privatizou os principais aeroportos, pois os burocratas nao realizam, apenas empurram com a barriga e fazemos discursos.

      Veja o PAC: um bom discurso, mas nem metade dele se tornará realidade.

      Nessa demora toda perdemos dinheiro publico à toa, como a própria depredação da prefeitura municipal.

      • E não duvido que o Fruet ainda meta o rabinho no meio das pernas e passe a apoiar o Beto para a reeleição. Esse Fruet, a quem confiei meu voto, está se mostrando um político despreparado rodeado por assessores mais despreparados do que ele. Se eles sabiam que não ia ser fácil administrar a cidade depois de 20 anos do mesmo grupo no poder, por que se propuseram a tentar.
        Mantiveram a maioria dos comissionados que trabalhavam para o Beto e Ducci e ainda tem a cara de pau de falar em mudança? Francamente Fruet, acorda antes que seja tarde.

  26. No Parque Barigüi, cachorros vadios exterminaram a fauna silvestre e os guardinhas ficam naquela base que tem ali, olhando no computador e telefonando!

    • Não entendo nada, como vai fazer manifesto na Prefeitura, e deixam o TC E alep, Camara municipal de Ctba, acredito até que esses manifestantes nunca andaram de onibus. Porque nunca se falaram em privatizar o TC, COM UMA AUDITORIA INDEPENDENTE ?

    • Os gaurdinhas iam fazer o que com os cachorros? Atirar? Existem outros orgãos que podem fazer algo pelos cães e a fauna.