Doidão, Feliciano diz que Deus ‘assassinou’ John Lennon; assista ao vídeo

do Brasil 247

Em meio a uma série de protestos contra a permanência do deputado federal e pastor evangélico Marco Feliciano (PSC-SP) na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minoras da Câmara, começam a circular na internet dois vídeos antigos pelos quais, em um culto, o pastor da Assembleia de Deus justifica as mortes de artistas como John Lennon, líder dos Beatles, e o grupo Mamonas Assassinas, que segundo ele, teriam afrontado Deus.

Para a morte de John Lennon, Feliciano destaca o fato de que o cantor e compositor britânico “bateu no peito” e disse um dia que “os Beatles são mais populares do que Jesus Cristo”. Com isso, na opinião do deputado, Lennon estava afirmando que o grupo de rock era uma nova religião. “A minha Bíblia diz que Deus não recebe esse tipo de afronta e fica impune”. Passou algum tempo e o músico foi alvejado em seu apartamento, prossegue Feliciano, sobre a morte ocorrida em 1980. Segundo ele, os três tiros foram em nome do Pai, outro em nome do Filho e o terceiro em nome do Espírito Santo.

Num outro vídeo, que parece ser do mesmo culto, o pastor e deputado falou sobre os integrantes da banda Mamonas Assassinas, que morreram num acidente aéreo em 1996. O grupo, segundo ele, “tocou na santidade de Deus”, as crianças, que estariam falando palavrões por causa de suas músicas. O líder do grupo, lembrou Feliciano, era da Assembleia de Deus, mas “se vendeu ao diabo pelo vil dinheiro”. Segundo ele, o manche do avião, que era pra ter virado de um lado, virou para o outro, puxado por “um anjo”. “E deus fulminou aqueles que tentaram colocar palavras torpes na boca das nossas crianças”, disse.

Comentários encerrados.