Vaticano nega ‘covardia’ do novo papa na ditadura argentina

Para Esquivel, Nobel da Paz em 1980, faltou coragem ao papa Francisco 1 durante a ditadura militar na Argentina; o sanguinário regime assassinou cerca de 30 mil pessoas e até hoje as "Mães da Praça de Maio" procuram por seus filhos desaparecidos entre 1976 e 1983.

Para Esquivel, Nobel da Paz em 1980, faltou coragem ao papa Francisco 1 durante a ditadura militar na Argentina; o sanguinário regime assassinou cerca de 30 mil pessoas e até hoje as “Mães da Praça de Maio” procuram por seus filhos desaparecidos entre 1976 e 1983.

O ativista de direitos humanos argentino Adolfo Pérez Esquivel, prêmio Nobel da Paz, disse não acreditar que o cardeal Jorge Bergoglio, eleito papa Francisco I, tenha sido cúmplice das violações cometidas pela ditadura argentina, entre 1976 e 1983, mas afirmou que “lhe faltou coragem para acompanhar a luta pelos direitos humanos nos momentos mais difíceis”.

à‰ dentro deste contexto que a Igreja Católica escolheu esta semana o novo sumo pontífice e nos dá o exato tamanho da crise em que o catolicismo está metido.

Nesta sexta-feira (15), o Vaticano divulgou hoje (15) um comunicado desmentindo as informações de que o papa Francisco tenha sido covarde ou conivente com os crimes cometidos durante a ditadura na Argentina (1966-1973).

O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, disse que as informações são originárias de uma campanha difamatória! e com uma forte carga ideológica!.

Ontem (14), este blog mostrou que a Associação Mães da Praça de Maio aponta o cardeal Bergoglio como cúmplice da ditadura!. Segundo as denúncias dos argentinos, Bergoglio teria facilitado de sacerdotes jesuítas e de bebês, filhos de militantes de esquerda presos ou assassinados pela ditadura.

A campanha contra o cardeal Begoglio [papa Francisco] é conhecida e foi promovida por uma publicação caluniosa e difamatória. A origem é conhecida e notória!, ressaltou o porta-voz, informando que Francisco jamais foi denunciado ou punido pelas acusações.

Segundo Lombardi, há provas que mostram o quanto o papa fez em defesa das vítimas da ditadura na Argentina.

Existem várias provas que mostram o quanto ele fez para proteger muitas pessoas!, disse. As acusações vêm de elementos anticlericais para atacar a Igreja e devem ser refutadas.!

Na Argentina, organizações de direitos humanos divulgaram informações de que o papa Francisco invocou o direito, existente na legislação argentina, de se recusar a depor em tribunais que julgavam torturas e assassinatos cometidos dentro da Escola de Mecânica da Marinha (Esma).

O jornal argentino Clarín informou que o papa, ao contrário do que afirmam algumas organizações de direitos humanos, assumiu riscos para salvar os que lutavam contra a ditadura. Detalhes sobre a vida do atual papa foram publicadas em uma biografia oficial intitulada O Jesuíta.

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e arcebispo de Aparecida, dom Raymundo Damasceno, negou ontem (14) que o papa Francisco tenha sido omisso ou conivente com a ditadura na Argentina.

Dom Raymundo disse ter convivido com o papa Francisco e ter participado de vários eventos nos quais ele estava presente, inclusive uma reunião de bispos latino-americanos, em Aparecida do Norte (SP).

Essa versão certamente não coaduna com a verdade!, disse dom Raymundo. Ele é um verdadeiro pastor, um homem de solidariedade.! O arcebispo brasileiro ressaltou que o momento é de olhar o papa daqui para frente!.

Com informações da Agência Brasil e Opera Mundi

11 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Esmael te respeito na politica mais não se mete com a religião, por ai voce teria que estudar muito sobre o assunto,por isso continue só com politica,nisso voce fala bem.

    • Você quer apagar a história, é isso? Não entendi.

    • Não adianta, Anderson. O cara tem um bom blog que nos permite fazer comentários sem censura. Mas já notei que ele tem três coisas que não seriam aconselháveis a um jornalista independente, responsável e respeitoso, tratar do modo que trata. Não que ele não seja, não o conheço pessoalmente, mas é o que transparece quando responde a certos comentários.
      Brinca maldosamente com a religião (é só ver as matérias e as charges publicadas), defende homossexuais mesmo que estejam sem razão, e o PT, com uma paixão descomunal.
      Eu sei o que ele vai responder, pois, outro dia, ele o fez com má educação uma pessoa que o questionava – assunto religião – ele disse não acreditar em Deus e desceu o cacete. Problema dele.
      Deixa transparecer que a democracia para ele, assim como para os que ele defende, é só sua opinião que vale.
      Há coisas que na posição dele seria melhor não responder.
      Acho que seria de bom gosto que ele paresse de mexer com religião. Creio não ser um assunto que se trate por aqui.
      Temos tantos outros assuntos, locais principalmente, que nos interessam muito mais.
      Desculpe minha colocação, mas a intensão é contribuir com o blogueiro.

  2. O vaticano deveria mandar essas redes de terror jornalistico chupar prego ,com chocolate suiço!

  3. É mentira, o novo pope nunca foi covarde…sempre defendeu com muita coragem e valentia a canalha fascista que assassinou milhares na Argentina.
    Ser nazi-fascista exige canalhice e coragem…podem ter certeza, o novo pope é um cara macho……

  4. Ministros de Dilma Rousseff assistiram ao vivo, no Palácio do Planalto, à escolha do novo papa, Francisco. A maioria torceu contra o brasileiro dom Odilo Scherer, da ala conservadora da igreja no país e tido como potencial opositor do governo.

    GRAÇAS A DEUS
    A aversão a dom Odilo é forte e sua “derrota” foi festejada no PT. Delúbio Soares, ex-tesoureiro do partido e condenado no julgamento do mensalão, chegou a replicar uma mensagem, anteontem, no Twitter: “Dom Odilo Scherer não vai usar sapatilhas vermelhas da Prada. Deus não ajuda tucanos a ganhar eleição”.

    Será que agora a PTzada está satisfeita com a escolha? kkkkkkk

  5. “A mulher de Cesar não basta ser séria, deve parecer séria”. Existem cargos que seu exercício requer pessoas acima de qualquer suspeita, sobre as quais nenhuma dúvida deve pairar sobre sua honradez, conduta ética e posturas dignificantes. Sem dúvida o Papado é um destes cargos. Ser Papa exige alguém cuja mera suspeita sobre o mais insignificante dos desvios de comportamento o exclui da possibilidade de exercer a função. Decididamente, o “Cardeal Imbróglio” não poderia ter sido escolhido Papa. A Igreja Católica deu um grande “tiro no p锝.

  6. Esquivel diz não acreditar mas não constesta a veracidade das informações que depõe contra a imagem do cardeal Bagoglio e que dizem respeito a sua atuação durante a sinistra ditadura militar argentina. Naturalmente a instituição clerical Igreja Católica vai usar todo o seu prestígio e influência mundial para constestar as notícias e difamar os acusadores do cardeal Bagoglio, agora Papa Francisco. Para isso vai contar com o poderoso auxilio tentacular da mídia mundial. A nós, que buscamos a verdade e conhecemos a história política da Igreja Católica, nos resta investigar mais a fundo as relações íntimas da Igreja Católica com os governos ditatoriais da América Latina, do alto clero principalmente. História essa, que até aqui sabemos que de santa não tem nada. Apoiar o poder, sempre e seja qual for, é uma das condições que a mantém viva e influente até hoje.

  7. O Adolfo Pérez Esquivel é uma pessoa idônea e o que ele fala merece ser ouvido e levado em conta.

    • O PIG Mundial quer vender o neo-papa como um São Francisco de Assis que era da ordem dos jesuítas, me enganem que eu gosto, o corpo pode ser jesuítico mas a cabeça é puramente OPUS DEI.