Richa e Paulinho da Força lançam hoje o movimento “O Porto é Nosso”

Tucano Beto Richa quer carimbar Gleisi Hoffmann, sua virtual adversária ao governo do Paraná, como "privatista"; ontem, a petista assinou artigo no Jornal Folha de S. Paulo defendendo a MP 595 (MP dos Portos).

Tucano Beto Richa quer carimbar Gleisi Hoffmann, sua virtual adversária ao governo do Paraná, como “privatista”; ontem, a petista assinou artigo no Jornal Folha de S. Paulo defendendo a MP 595 (MP dos Portos).

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), vai se somar hoje à  tarde, a partir das 14 horas, em evento no Palácio Iguaçu, em Curitiba, ao movimento nacional “O Porto é Nosso” – contra a privatização dos portos no país. O deputado federal Paulinho da Força (PDT), um dos articuladores da guerra contra a Medida Provisória 595 (MP dos Portos), será recebido com pelo tucano.

“Nossa pauta será a Medida Provisória 595 (MP dos Portos), que está em tramitação no Congresso Nacional e que acaba com o sistema portuário público brasileiro. A medida permite a privatização do sistema portuário e, além disso, elimina nos portos privados a necessidade de contratação de trabalhadores via Ogmo (à“rgão Gestor de Mão de Obra), desaguando em precarização do trabalho nos portos”, discursa Paulinho.

Ao governador Beto Richa interessa muito o movimento antiprivatização porque ele quer debitar na conta da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, do PT, a pecha de neoliberal. Ela será sua virtual adversária na disputa pelo Palácio Iguaçu em 2014.

No movimento “O Porto é Nosso!”, segundo informa o deputado Paulinho da Força, “já obtivemos o apoio dos governadores Geraldo Alckmin (PSDB-SP) e Eduardo Campos (PSB-PE)”.

Em artigo publicado ontem (10), no jornal Folha de S. Paulo, Gleisi negou que o governo federal esteja privatizando os portos.

A medida provisória 595, que altera regras de exploração dos portos, não trata de privatização por uma razão simples: a operação do sistema portuário no Brasil já é privada”, diz um trecho do artigo.

Comentários encerrados.