Mercadante vê educação 20 postos acima em ranking da ONU

da Agência do Brasil

Ao lado da ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, apontou defasagem nos dados sobre educação do Relatório de Desenvolvimento Humano 2013, apresentado nesta quinta pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); segundo o ministro, o Brasil poderia ter subido 20 posições se o estudo tivesse considerado os dados mais recentes; o País manteve a mesma posição no ranking (85!º), entre os 187 países avaliados no relatório de 2012.

Ao lado da ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, apontou defasagem nos dados sobre educação do Relatório de Desenvolvimento Humano 2013, apresentado nesta quinta pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); segundo o ministro, o Brasil poderia ter subido 20 posições se o estudo tivesse considerado os dados mais recentes; o País manteve a mesma posição no ranking (85!º), entre os 187 países avaliados no relatório de 2012.

O governo apontou problemas na metodologia e criticou o Relatório de Desenvolvimento Humano 2013, lançado hoje (14) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Apesar de o relatório ter destacado o Brasil como um dos 15 países que mais diminuíram o déficit de desenvolvimento humano, calculado pelo índice IDH, o Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, apontou defasagem nos dados sobre educação. Ele disse que o país poderia ter subido 20 posições, se o estudo tivesse considerado os dados mais recentes. O Brasil manteve a mesma posição no ranking (85!º), entre os 187 países avaliados no relatório de 2012.

Acompanhado da ministra do Desenvolvimento Social e Combate à  Fome, Tereza Campello, Aloizio Mercadante criticou os dados do relatório relativos a escolaridade, um dos indicadores utilizados para medir o índice, classificando-os como de “defasagem inaceitável”. “Eles [os técnicos do PNUD] não atualizaram os dados referentes à  escolaridade. No caso do Brasil, os dados são de 2005, principalmente no que diz respeito aos anos de escolaridade esperados,” disse.

Os números do relatório apontam, em 2012, que a escolaridade esperada para as crianças brasileiras é 14,2 anos, o mesmo índice registrado em 2000. “Nesse período, os anos de escolaridade esperados evoluíram de 14,2 para 16,7. Com isso, o Brasil subiria 20 posições no IDH,” disse. O ministro criticou o fato de o relatório registrar apenas 26 mil crianças a partir dos cinco anos na escola. “Hoje nos temos 4,6 milhões. Se o PNUD quiser, nós podemos informar o nome e a escola de cada uma delas”. Os números referentes à  média de anos de escolaridade para a população com mais de 25 anos escolaridade, de acordo com Mercadante, também estão desatualizados. O relatório registra 7,2 anos, ante 7,4, na conta do ministro.

Na opinião de Mercadante, o índice apresentado pelo PNUD não leva em consideração as mudanças que o país passou desde 2000. “Em uma década, tiramos uma Argentina da extrema pobreza. Este salto não está presente, pois no cálculo eles não consideram os dados atualizados, ponderou. Ele disse que vai conversar com representantes do PNUD para que os dados sejam revistos. “Vamos lá bater na porta, mostrar os nossos dados e fazer a discussão. Eles vão ter que rever,” ponderou

Em entrevista coletiva, o representante do PNUD no Brasil, Jorge Chediek, confirmou a defasagem dos dados, atribuindo à  metodologia utilizada para elaborar o relatório. “No relatório usamos dados universais e, em geral, são atrasados para tentar manter a mesma base de dados entre os países. Nem todos tem o mesmo ritmo de atualização do Brasil,” justificou. Na avaliação de Chediek, o fundamental é que o IDH deve ser analisado numa perspectiva mais ampla, levando em consideração a trajetória do país e as projeções em longo prazo. Chediek disse que não há a possibilidade de se rever o relatório. “Reconhecemos as limitações, usamos dados antigos para manter a isonomia entre os países, de maneira que ele deve ser encarado como uma referência,” disse.

12 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Leia isso antes de criticar o Brasil ele ainda é um pais em desenvolvimento e é um dos paises em que mais investiu em educação se liga para de falar mal do Brasil ao contrario tome uma atitude pois o Brasil já está melhor eu to fazendo a minha compartilhem no facebook
    1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis e vem sendo exemplo mundial.

    2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma.

    3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária.

    4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações.

    5. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina.

    6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma.

    7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97% estão estudando.

    8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.

    9. Na telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas.

    10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO-9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No
    México, são apenas 300 empresas.

    11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.

  2. Engraçado que a PTzada do RedePT13 não está aqui esbravejando contra estes dados? Vamos aos fatos, o governo PTista se preocupou muito nestes 10 anos de poder, em investir em Bolsa Miséria e Bolsa Reclusão, uma incentiva o vagabundo a não trabalhar e a outra o bandido a roubar, mas para o povo que realmente trabalha e luta pelo desenvolvimento do país, qual o apoio que recebe do governo federal? Uma educação medíocre, segurança sucateada, saúde se transformou em um caos, pesquisa e tecnologias sem investimentos reais, ou seja, o PT está acabando com tudo de bom que este país poderia ter um dia, a oportunidade para todos.

    • O PT não acabou com o “TUDO DE BOM” da educação…Porque nunca existiu o “TUDO DE BOM” na educação pública deste país no tocante ao ensino fundamental e médio, em governo algum. E não adianta defender partido e político algum quando se fala nisso.
      Agora chamar de “VAGABUNDO” todos os que recebem bolsa família é uma ofensa aos brasileiros. Tá certo que o governo exagera em alguns detalhes, mas tem muita gente pobre e na miséria nesse nosso Brasil. Talvez para os bacaninhas que vivem aqui no sul não vejam, mas então é bom por o pé na estrada e conhecer a realidade do nosso povo, que é dura, muito dura.

  3. Assim caminha a humanidade, povo burro é povo fácil de manobrar e acreditar nas coisas da PTzada

  4. A educação no Brasil é um tragédia, os índices são mascarados, e faz tempo, desde a época que os bicudos estavam no poder. Então estamos criando a maior geração de analfabetos funcionais da nossa história.
    O analfabeto comum sabe que não sabe e que precisa melhorar. O analfabeto funcional, pensa que sabe, mas não sabe, então acaba não correndo atrás pra melhorar…
    É cruel o que se está fazendo com o nosso povo!!!!!!!

  5. No IDH andamos de lado!
    Nada mudou! Estamos emPACados!

  6. PRA ONU VER!
    O Brasil (igual os militares fizeram com o MOBRAL), investe em cursos “valita”, à distancia e tecnólogicos, com o intuito de melhorar o score das estatisticas, inclusive dos organismos da ONU. Melhorou a educação em números de pessoas com terceiro grau, mas artificialmente, pra ingles (ou a ONU/PNUD) ver.

  7. Isso não se fala aqui…..
    O Brasil ficou estagnado no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 2012. O país manteve a mesma 85ª posição que havia registrado em 2011, de acordo com dados divulgados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), de um total de 187 países.
    O Brasil já esteve em 73º lugar no ranking de IDH, em 2010, e agora está em 85º. A distância do primeiro lugar hoje é maior do que já foi. Estamos atrás de Azerbaijão, São Vicente e Granadinas, e Omã. Efetivamente, a situação do Brasil no ranking do IDH piorou.
    Tudo isso de pior e ainda enaltecem as “politicas Sociais”do Governo do PT.
    E viva a decadência!!!

    • Você esqueceu de ler as notícias sobre o índice.
      A ONU modificou sua maneira de medir o IDH e, nessa medição, o brasil avança paulatinamente desde 1980, meu caro.

      O Brasil aparece entre os países considerados de “Desenvolvimento Humano Elevado”, a segunda melhor categoria do ranking, que tem 47 países com “Desenvolvimento Humano Muito Elevado” (acima de IDH 0,793), além de 47 de “Desenvolvimento Humano Médio” (entre 0,522 e 0,698) e 46 de “Desenvolvimento Humano Baixo” (abaixo de 0,510).

      E para a direitalha de plantão, é bom lembrar que Cuba foi o segundo país que mais cresceu no índice, nos últimos 5 anos.

  8. Esmael, pesquise sobre a posição do Brasil nos rankings de Matemática e seu otimismo acabará.

    • “Mercadante vê educação 20 postos acima em ranking da ONU”

      Oftalmologistas acabam de encontrar um grande paciente!

      Assim que o tratamento for concluído, Mercadante conseguirá enxergar corretamente o IDH atual do Brasil e o principal motivo da queda do índice – “a educação”.

      Boa sorte oftalmologistas, certamente os doutores vão precisar, pois O PIOR CEGO É AQUELE QUE NÃO QUER VER!