Em carta, professor PSS pede socorro

professorRegistro carta recebida de professor PSS (não efetivo), União da Vitória, região Sul do Paraná, identificado aqui como A. M., para que não seja retaliado, na qual faz emocionado pedido de socorro ao blog. O mestre critica o governo do estado e a APP-Sindicato que, segundo ele, não dá atenção aos professores. “Somos tratados sempre como lixo, como escória das escolas”, reclama.

A seguir, eu publico a íntegra da carta:

“Olá, sou professor PSS da Rede Estadual de Ensino do Paraná, gostaria de pedir sua ajuda, pois os professores PSS são massacrados pelo governo, bem como pela própria APP sindicato que não tem um setor próprio para ajudar, auxiliar e dar atenção aos professores PSS.

Somos tratados sempre como lixo, como escória das escolas. Sei que muitos professores PSS não têm compromisso com as escolas, são péssimos professores, mas a grande maioria realiza um trabalho digno e de grande qualidade, o que nunca é reconhecido pela SEED, NREs ou APP sindicato.

Um bom exemplo é o esquecimento de que estes professores também têm família, contas e gastos, pois como é possível viver bem e se preparar para as aulas se o governo não nos paga?

A distribuição de aulas foi antecipada, as escolas receberam um prazo para entregar aos NREs o número de aulas de cada professor PSS, para que o salário do mês de fevereiro fosse pago e assim os professores não tivessem dificuldades financeiras, pois com o pagamento de janeiro muitos já ficaram endividados (não consegui pagar as contas e estou devendo há dois meses, pois não recebi um centavo do pagamento de janeiro, assim como eu muitos estão assim, há dois meses devendo).

Quando fomos escolher as aulas no NRE disseram que nosso pagamento de fevereiro seria conforme o número de aulas que pegamos, no meu caso 32 aulas, mas quando liberaram a folha de pagamento, nada das aulas, apenas as que eu tinha o ano passado, quatro aulas, o que me deu um pagamento pelo mês de fevereiro de R$ 240,00 reais.

O problema é que ninguém nos informou disso! Nem mesmo as escolas em que trabalhamos, fomos enganados e tratados, novamente, como escória e meros idiotas. Eu mestrado e estou terminando o doutorado, nunca me senti tão humilhado em toda minha vida. Como teremos cabeça para seguir dando aula até o final de março? Disseram que receberemos os atrasados no pagamento de março, assim as contas terão mais juros, o imposto de renda nos pega e perderemos muito com isso.

Gostaria que me ajudasse e ajudasse aos meus colegas PSS, escrevendo sobre o assunto, buscando detalhes e mexendo na ferida do governo e demais órgãos, principalmente da APP sindicato, que se diz na luta, mas é apenas para os efetivos, pois agora com a greve, que não acontecerá, pois os 33 mil PSS não aceitarão fazer greve, pois o governos os amarrou com essas folhas de pagamento de ficção. Um grande abraço e coloco-me a disposição para falar mais. Obrigado.

Professor A. M.
União da Vitória – Paraná”.

Comentários encerrados.