Com apoio de tucanos, gregos e baianos, portuários aprovam indicativo de greve para o dia 25

da Agência Brasil

Na semana passada, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), recebeu no Palácio Iguaçu lideranças sindicais que querem mudanças na MP dos Portos, dentre os quais o deputado Paulinho da Força (PDT-SP) e presidente da UGT, Paulo Rossi. O tucano quer carimbar Gleisi Hoffmann, sua virtual adversária em 2014, como "privatista"; a petista nega que a intenção da MP 595 (MP dos Portos) seja privatizar; "é concessão", jura a ministra.

Na semana passada, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), recebeu no Palácio Iguaçu lideranças sindicais que querem mudanças na MP dos Portos, dentre os quais o deputado Paulinho da Força (PDT-SP) e presidente da UGT, Paulo Rossi. O tucano quer carimbar Gleisi Hoffmann, sua virtual adversária em 2014, como “privatista”; a petista nega que a intenção da MP 595 (MP dos Portos) seja privatizar; “é concessão”, jura a ministra.

Representantes dos trabalhadores portuários aprovaram na noite de ontem (13) indicativo de greve da categoria para o dia 25. Inicialmente cogitada para o dia 19, a ameaça de paralisação foi adiada e pode atingir 37 mil trabalhadores, segundo o presidente da Federação Nacional dos Portuários (FNP), Eduardo Guterra.

Transferimos para o dia 25 em função do processo de negociação e da demonstração da comissão mista de continuar o diálogo com os trabalhadores, bem como a prorrogação da MP [Medida Provisória] dos Portos, já que o diálogo com o governo e o Congresso Nacional indica que alguns aspectos [da MP] serão mudados!, disse Guterra à  Agência Brasil.

Para que a paralisação não ocorresse no dia 19, os trabalhadores haviam definido a data de amanhã (15) como prazo para que as negociações com o governo avançassem. Embora nada tenha sido concretizado, estamos vendo esse diálogo de forma positiva e esperamos avançar!, acrescentou o presidente da FNP, entidade ligada à  Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Entre os avanços esperados pelos portuários, Guterra destaca a não privatização dos portos, possibilidade que, segundo ele, a MP abre; a obrigatoriedade de contratação, pelos novos portos, de trabalhadores avulsos por meio do à“rgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo); e a manutenção da atual guarda portuária, o que não está previsto na atual MP.

Vinculado à  Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o presidente da Federação Nacional dos Avulsos (Fenccovib), Mário Teixeira, confirmou a decisão de adiar a greve. Ele, no entanto, esclareceu que a decisão de ontem (13) precisa ser referendada pelos sindicatos, que, nos próximos dias, devem realizar assembleias para consultar os trabalhadores e adotar as providências necessárias, como comunicar as autoridades portuárias locais e organizar a escala de trabalho para manter as atividades essenciais.

Ainda não houve nenhuma resposta objetiva a nossas reivindicações. Mesmo assim, suspendemos a greve [anunciada para o próximo dia 19]. Agora, se não houver avanços, o indicativo de greve já está aprovado e os sindicatos estão sendo orientados a convocar assembleias e cumprir todas as exigências da lei de greve!, comentou Teixeira, apontando, entre as principais reivindicações dos avulsos, a manutenção dos direitos conquistados pelos trabalhadores e assegurados pela Lei 8.630, conhecida como Lei de Modernização dos Portos, de 1993.

A Fenccovib também cobra que a MP 595 vete a terceirização das atividades portuárias, que os trabalhadores possam ser contratados para exercer suas funções por qualquer terminal, independentemente de ele estar fora do porto organizado, e que seja garantida a multifuncionalidade, pela qual um trabalhador pode receber capacitação para exercer outra função.

A Agência Brasil também tentou ouvir a Federação Nacional dos Estivadores, filiada a Força Sindical, mas não conseguiu falar com nenhum de seus diretores.

No último dia 22 de abril, trabalhadores portuários cruzaram os braços e interromperam suas atividades em várias localidades por algumas horas. A paralisação, contudo, foi suspensa após representantes do governo e da categoria assinarem um acordo estabelecendo uma rodada de negociações, cujo prazo terminaria amanhã, e durante a qual a categoria apresentaria sugestões à  medida provisória e suspenderiam qualquer manifestação. O governo, por sua vez, não cobraria a execução da multa diária de R$ 200 mil imposta por decisão liminar da então vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Maria Cristina Peduzzi, caso a categoria não voltasse ao trabalho.

16 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. E por falar em greve, a quantas anda a greve dos professores que o Esmael Morais tanto provocou? Saiu alguma coisa e não ficamos sabendo? Cedê a greve dos professores que já era para ter acontecido? Será que os professores estão satisfeitos com o governo e não desejam fazer greve e isso seria apenas uma ala PTista que estaria fim, mas não consegue levar o intento adiante? Quero ver greve acontecendo gente, e já que não tem jeito de sair dos professores, já que estes estão contentes com o governador, quero ver a dos portuários que não querem a PRIVATARIA PTISTA que a Gleisi Hoffmann está tentando fazer.

  2. Sabe quanto ganha um “prático” do Porto de Paranagua???? R$ 70.000,00 por mês… Sabe quanto ganha um “conferente” do Porto de Paranaguá, que nas empresas de pontas da iniciativa privada é de R$ 1.500,00?? R$ 50.000,00 por mês… Para um navio atracar no porto precisa que uma lancha leve ´o “prático” até o navio??? Sabe de quem são as lanchas??? Dos “práticos” claro. É ESSA MÁFIA QUE TEM QUE ACABAR!!! ESMAEL MORAIS, pq o senhor que é um jornalista que luta pelas causas do nosso litoral não investiga essas informações??? Pelo bem da nossa gente!!!

  3. Beto, mais uma vez vocês foram desmascarados, querem colocar na conta da Gleisi que ela é privatista, mas não olham o próprio rabo, quiseram dar uma de espertos, mas a reportagem da RIC desmentiu eles, rssssssssss. Parte do time do Beto estava la reunido, ajudaram a elaborar a proposta de concessão, que coisa feia Beto, assim você vai encerrar de mal a pior o seu único mandato como governador do estado, porque reeleito você não será.

  4. Beto e a sua corja não tem palavra mesmo, vejam no vídeo da RIC que a ministra Gleisi que o pessoal do Richa até ajudou a elaborar esse plano de concessão dos portos e ainda querem jogar nas costas da Gleisi que ela é privatista, faça o favor Beto play, vocês só fazem politicagem:
    http://ricmais.com.br/pr/ric-noticias/videos/congresso-nacional-tem-ate-15-de-maio-para-aprovar-medida-que-modifica-sistema/

  5. Estes juramentos da Gleisi Hoffmann eu já vi antes, ela prometeu, jurou e falou tantas coisas boas durante a eleição passada que acreditei em tudo e apoiei ela, mas como já imaginava que nos candidatos do PT não se pode confiar, ela em mais de dois anos não cumpriu absolutamente nada do que havia prometido. Na eleição passada não votei no Richa, mas nessa não apenas vou votar como vou sair nas ruas pedir voto pra ele, até pq votar em candidatos que tem no seu partido tanta gente ruim, tantos corruptos não dá. Isso sem falar que na Gleisi não voto mais nem pra inspetora de quarteirão.

  6. Beto Richa chega a me dar asco. Com certeza isso é uma medida politicamente eleitoreira, na tentativa de colar na ministra Gleisi Hoffmann o rótulo (falso) de privatista, palavra comumente conhecido e alardeada pelo PSDB.

  7. eu também vou aderir aos cuecas de seda, pois ninguém lembrou de mim na prefeitura.

  8. Boa governador, precisamos mesmo combater essa tentativa de PRIVATARIA PTISTA. No mínimo a PTzada está doida para meter a mão no dinheiro dos portos, em espceial o do Paraná que não pertence a eles. kkkkkkkkkkkkkk

  9. ESTA NÃO ENTENDÍ, O BETO, O ROSSONI E O TRAIANO, QUANDO O GOVERNADOR ERA O REQUIÃO E O PESSUTI, ATACAVAM TANTO O PORTO E QUERIA QUE FOSSE DEVOLVIDO AO GOVERNO FEDERAL.
    AGORA ESTÃO APOIANDO UMA GREVE PARA QUE O PORTO SEJA ADMINISTRADO PELO ESTADO. PORQUE QUE AGORA O PORTO É BOM, SERÁ PELAS VAGAS EXISTENTES PARA ACOMODAR FUNCIONÁRIOS COMISSIONADOS COM VENCIMENTOS AVANTAJOSOS?

  10. a massa de manobra já está pronta……….

  11. O Gov. Richa tá fazendo bico porque ele é que queria privatizar e arrendar o porto… Já estava tudo certo… O que a tal da MP fez, foi tirar das mãos do Richa os arrendamentos para passar para o gov. federal….. perdeu playboy!!! Quem manda ser devagar!!!! Reflexo do “Choque de gestão do gov. Turcolento.. o pior que perdeu justamente pro PT…. Quem acredita que um governo tucano defenderia os trabalhadores?? Jamais!!!
    Agora tem gente tentando se explicar pq não arrendaram antes da tal MP……

  12. Richa foi contra baixar energia da Copel, que só beneficia os investidores e marajás, não faz nada contra os “roubágios”, é contra baixa de juros e ainda quer atrapalhar a mudança que o Brasil precisa nos portos, que foram tomados do povo, sendo um antro de sabotagens e marajás de sindicaos e políticos que não tem lugar prá ficar. Os portos brasileiros públicos e principalmente o de paranaguá são muitos mais custosos e lentos em relação ao que o Brasil precisa. O PSDB junto com o Itaú-Unibanco estão querendo atrapalhar a modernização dos portos brasileiros. É a tática: Vamos ser do contra, não importa o que seja.

  13. Até Anarquista o Betinho vira, só para se reeleger…Escrúpulo “0”…

    • Que tiro no pé deu o BR, em apoiar essa greve, tá bem ele de assessor. Essa fatura será cobrada em 2014. Nem o Lula que foi sindicalista, quando presidente deu apoio a greves. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.