Professores protestam e adiam início do ano letivo em Cascavel

por Luiz Carlos da Cruz, da Gazeta do Povo em Cascavel

Mesmo com chuva, professores foram à s ruas para cobrar reajuste no salário e um novo Plano de Cargos, Carreira e Salários. Foto: Cesar Machado/Vale Press.

Mesmo com chuva, professores foram à s ruas para cobrar reajuste no salário e um novo Plano de Cargos, Carreira e Salários. Foto: Cesar Machado/Vale Press.

O ano letivo na rede municipal de ensino em Cascavel, no Oeste do PR – que deveria ter iniciado nesta quinta-feira (14) -, foi adiado e poderá nem começar nesta semana. Os professores podem entrar em greve. A decisão será tomada nesta sexta-feira (15) quando ocorre uma assembleia da categoria. A quinta-feira foi de manifestação para cobrar um Plano de Cargo, Carreira e Salários (PCCS), hora atividade de 33% e piso nacional da categoria.

Pela manhã os professores se reuniram em frente à  Catedral Nossa Senhora Aparecida, no centro da cidade, de onde saíram em passeata até à  prefeitura. Eles não descartam a hipótese de montar acampamento e passar a noite em frente à  prefeitura.

De acordo com o professor Claudionor Pereira de Souza, as negociações do PCCS se arrastam desde 2010 e não se chegou a um entendimento. Não nos restou outro caminho a não ser partir para esta manifestação!, diz.

A diretora do Siprovel (Sindicato dos Professores de Cascavel), Sueli Goiz, diz que no ano passado a prefeitura apresentou um plano, mas que não foi aceito pela categoria. Deixaram para a última hora e em ano eleitoral!, afirma a professora.

Para o professor Amilton Poletti, sem mobilização e paralisação a classe não consegue diálogo com a prefeitura. Ele denunciou que alguns professores receberam ligações da Secretaria Municipal de Educação com tons de ameaças. Professores em estágio probatório estariam sendo ameaçados de demissão caso não retornassem à s salas de aula.

O secretário de Administração, Alisson Ramos da Luz, negou as ameaças e disse que são boatos plantados!. Procurado, o secretário de Educação Valdecir Nath disse que passaria o dia em reuniões e não se manifestou.

Comentários encerrados.