Comemorar mais um Ano Novo com você não tem preço!

Publicado em 1 janeiro, 2013
Compartilhe agora!

logo2013_ponte10Mais um ano se foi. Choramos perdas e conquistas.

Deixemos a tristeza para trás, então.

Recordemo-nos do sucesso que fizemos ao longo dos últimos doze meses.

Brindemos o futuro que se inicia agora.

Comecemos a contabilizar a glória neste novo ano que nasce, mesmo que aos poucos.

Cultivemos a esperança de construir um mundo mais justo, fraterno, igualitário, democrático, sem violência, sem preconceito, mais humano.

Este blogueiro agradece a cada um dos leitores que fizeram parte das histórias aqui relatadas diariamente.

Em 2012, aprimoramos mutuamente a nossa convivência democrática, respeitando a pluralidade de ideias, as diferenças de gênero, enfim, mostramos que é possível massa crítica nessa profusão de informações proporcionada pela instantaneidade das mídias.

Obrigado pela convivência em 2012. Quero continuar fazendo o bom combate das ideias em 2013, dentro dos princípios éticos, do respeito ao diferente, da prestação de serviço, da construção de uma cultura crítica.

Ofereço um abraço carinhoso, fraternal, a cada leitor deste blog.

Peço a sua ajuda para continuarmos, este ano, essa parceria de sucesso que vem de quase 4 carnavais.

Que o Ano Novo seja muito especial para você. Desejo-lhe sorte e altivez na busca de seus ideais em 2013. Um ano inteiro de felicidades, sem pausas.

Conte comigo, sempre.

Muito obrigado.

Esmael Morais

Receita de Ano Novo*

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado à s carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
à‰ dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

*Carlos Drummond de Andrade

Compartilhe agora!

Comments are closed.