Deputados podem abrir CPI para investigar pedágio no Paraná

Deputado Nelson Luersen.
A Assembleia Legislativa do Paraná poderá instalar uma CPI para investigar a atuação das empresas de pedágio no estado. Os parlamentares paranaenses têm como fato novo a denúncia de Cleiton Kielse (PEN), que subiu à  tribuna da Casa, na última segunda-feira (15), para dar nomes aos “bois”, ou seja, apontou colegas que supostamente fariam parte de uma “Máfia do Pedágio”.

Kielse declinou os nomes dos deputados Valdir Rossoni (PSDB), presidente da Assembleia; Plauto Miró (DEM), primeiro-secretário; Ademar Traiano (PSDB), líder do governo; e Ney Leprevost (PSDB). Todos negam as acusações.

Na tarde desta quarta-feira (17), Rossoni explicou que “devido ao trâmite de documentos” não foi possível instalar a CPI do Pedágio no em julho passado.

O deputado Kielse, por sua vez, afirmou em público que a investigação das concessionárias não prospera porque há uma máfia atuando a favor do pedágio dentro do parlamento.

Diante desse imbróglio todo, o deputado Nelson Luersen (PDT) anunciou que está redigindo um requerimento para tentar, novamente, instalar a CPI do Pedágio. Segundo ele, 12 parlamentares já teriam sinalizado que assinarão o documento. Para vingar a comissão de investigação são necessárias 18 assinaturas.

Quero ser o primeiro a assinar!, adiantou Rossoni. Adelino Ribeiro (PSL) também já manifestou apoio. O líder do governo, Ademar Traiano (PSDB), se manifestou contra a investigação.

Na segunda-feira, quando analisarmos as assinaturas, vamos saber realmente quem quer esclarecer essa questão!, provocou Kielse.

Comments are closed.