Charge do dia: Como as pesquisas influenciam o eleitor

Charge de Newton Silva.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. chega de projeto popular 😮 projeto popular para mostrar que e honesto e que não e ,não valeu e nunca vai valer ( fixa suja ,vice versa ) muitos que no começo da legislatura do congresso naional, não assumirão seus cargos por impedidos pela lei. para lembrar ,o jarde barbalho tomou o lugar daquela senadora brigona ,o serra saindo novamente candidato a prefeito.alguns ex do arruda estão na politica. so basta ser da patotinha,que está tudo ok.so é pobre que não fica no preito ,ou quem aparece demais na midia ,e a midia todos os dias criticando,mas ser for do time tudo ok.em vez de nos pensar em projeto popular ,bas ta escolher os menos corruptos para receber o nosso voto.a corrupção não acaba ,ela nasceu no jardim do édem, la o homem para se justificar do erro ,de forma errada culpou a mulher,e a mulher da mesma forma culpou a serpente ,então ninguem assume corretamente seus erros ,sem culpar algum agente causador..

  2. A solução para esse problema seria a proibição de pesquisa eleitoral, pois creio que é uma forma de COMPRAR o voto do eleitor, de forma indireta, pois quem está recebendo pelo voto são as empresas de pesquisas. Outra solução seria possibilitar a nomeação de assistente tecnico pelos Partidos e pela Sociedade, para acompanhar o trabalho das pesquisas. E também criar uma norma, que caso os resultados das pesquisas, principalmente aquelas de véspera de eleição, fossem muito diferente das urnas, todos os responsáveis responderiam penalmente pela manipulação, com Penas pesadas e multa alta, doendo no bolso, acabaria com esse CANCER, que está se alastrando pelo país.

  3. a grande midia ainda ainda não é auto suficiente :essa imprensa que fala do direito de expressão e a que mais sensura. imgina se essa midia não precisasse de papel jornal subsidiada pelo governo, e dos bilhões do nossos impostos que é gastado com as grandes redes de ,radios e tvs. a grande midia trabalha para esconder e não divulga nada sobre eles .não todos ,mas os jornalistas das grandes redes ,so eles são certinhos.veja o que o policarpo da veja fez.a globo não divulgou .esse negocio de camara escondida, isso e a mesma coisa que gramper um telefone de forma perversa. isso deveria ser considerado crime . os paparazzos que fragam intmidade alheia sem permissão ,ninguem vai sentar no banco de reu por isso. agora se o coitado do pobre com seu celular ,muitas vezes não pode fazer uma fotinha dentro duma repartição social da alta sociedade. nos temos a internet ,mas o pensamento dos sensuradores é o mesmo dos correios a cavalo.as informações, que não interessa as grandes midias ocidentais, eles escondem.para ter uma informação melhor tem que correr atraz das informações dos paises que não são alinhados com os estados unidos.eu quero afirmar que temos sensura no brasil.nem com a queda da bastilha e ,o muro de berlim ,o mundo continua o mesmo ,so que mais suave ,um tipo de sapo fervido..

  4. Há muita gente, infelizmente, que não vota em quem não tem chance de ganhar, ou seja, pesquisas podem modificar um cenário político. Se agir dessa forma é certo ou errado, sinceramente, acho que é uma discussão que nem ao menos cabe aqui – é acredito que seria o mesmo que ficar questionando sobre a obrigatoriedade do voto.

    Como alguns já disseram, e essa é uma opinião recorrente, tais pesquisas eleitorais deveriam ser restringidas aos partidos. Ou seja, cada um faz a sua, SEM DIVULGAÇÃO ALGUMA e a utiliza para direcionar a propaganda política. Simples. A população tem que votar em quem bem entender, independente deste número. E nesse ponto, pra que serve essa pesquisa? Não faz qualquer diferença que está ou não na frente, já que o que conta é o quem vence, de fato, esse circo.

  5. não sei se seria legal ou não, mas deveriamos enquanto cidadão e eleitor, propor um progeto de lei Municipal, e que fosse copiado a nivel estadual e federal. proibindo a divulgação de pesquisas em época de leição. pois o que vemos é uma verdadeira compra de pesquisas ao sabor do interessado.
    podemos confirmar isso através das ultimas pesquisas para o senado do ano de 2010, será que a divulgação das pesquisas não tiraram do Fruet a sua cadeira no Senado?
    e como já muito bem colocado pela Maria Rita, isso não contribui em nada para a nossa “DEMOCRACIA”.
    sou totalmente contra as pesquisas, pois elas influenciam em muito nos resultados.

    Esmael, bem que voce poderia mostrar aqui no seu Blog, as arrecadações dos candidatos e de onde estão vindo, ou melhor quem são os doadores, pois ninguém faz doações astronomica sem nenhum interesse no futuro.

  6. infelizmente as pessoas sao manipuladas pelas pesquizas. e acabam votando no pior candidato.

  7. Esmael, as pesquisas influenciam o eleitor, sim, pois elas são manipuláveis. Em nenhuma pesquisa de opinião ou seja lá o que for o contratante tem o resultado que deseja não existe imparcialidade. Vou postar um texto que copiei do blog do Sylvio para uma reflexão melhor dos seus leitores.

    Margens de Erros Em Pesquisas Eleitorais

    Autor: José Carlos Brandes

    Muita gente acompanha as pesquisas eleitorais mas pouca gente sabe como elas funcionam e é enganada pela maneira deturpada como elas são divulgadas. Você sabia, por exemplo, que a tal da “margem de erro” é determinada pelo contratante ? Vejamos como funciona: Uma rede de TV pede ao IBOPE uma pesquisa com 3% de margem de erro para um município com 500.000 eleitores, através de uma fórmula estatística o IBOPE sabe que terá que fazer 1065 entrevistas. Se o contratante quiser uma margem de erro de 2%, serão necessárias 2390 entrevistas, e para 1% de margem serão necessárias 9423 entrevistas, e assim por diante, até a margem de erro zero, quando seria necessário entrevistar todos os 500.000 eleitores. Ocorre que além dessa margem de erro “contratatada” para baratear o custo das pesquisas, existe ainda o “Índice de Confiança” da pesquisa, que geralmente é de 95%, e jamais é divulgado por ninguém. Onde está a deturpação da divilgação:

    1 – Como contratou uma pesquisa com 3% ( exemplo das que tem sido divulgadas na Rede Globo ), o contratante jamais poderia dar um número exato como resultado da pesquisa. Por exemplo, quando divulgam que o candidato fulano de tal tem 27% de intenção de votos mas que pela margem de erro poderia ser 24 ou 30%, na verdade deveria deveriam divulgar de cara que o candidato fulano de tal tem uma intenção de votos entre 24 e 30%. Essa diferença é sutil, mas tem um efeito enorme para quem ouve o resultado. Ora, se o outro candidato nessa mesma pesquisa aparece com 21% ( 18 a 24 ), entre se apresentar um resultado de 27 a 21 estampado na tela da TV ou na primeira capa do jornal, ao invés de um resultado (18 a 24) x (24 a 27), isso faz uma enorme diferença, agravada pelo fato que o “vencedor” da pesquisa vai usar o número de 27% na sua campanha, sendo que esse é um número que não tem nenhum fundamento, já que a pesquisa não foi contratada para apresentar qualquer percentual exato. Esse número é na verdade uma média.

    2 – Ninguém divulga o índice de confiança, um número muito importante. Então, pelo que contratam e pelo que pagam, as TVs e jornais deveriam ter, por lei, que divulgar algo mais ou menos assim, tomando por base o exemplo acima:

    O candidato tal tem 95% de probabilidade de ter entre 24 e 30% dos votos, algo que na percepção do eleitor soa bem menos confiável do que estampar um número de 27% e citar a margem de erro, como fazem.

    Qual o interesse de uma Rede Globo contratar uma pesquisa? A maioria dos jornalistas, jamais estudaram filosofia, então nunca souberam o que é imparcialidade. O verdadeiro jornalismo está retornando com os blogueiros, mas os ‘jornalistas’ ainda não entenderam. Hoje em dia não há mais jornalismo, somente empresas jornalisticas.Empresas foram feitas para gerar lucros.Daí….concluam.

    E a Justiça Eleitoral é omissa ou participativa nessa situação. Não creio que a Justiça Eleitoral do Paraná esteja partidarizada, e penso que ela normatizará a divulgação dessas pesquisa de intenção de votos.

    Acho que nada mais saudável e maduro do que assumir as limitações e espantar os mitos do jornalista imparcial.

    Sucesso a você e seu blog, e persiga sempre o objetivo – este sim real – de ser uma jornalista independente.

  8. Na última eleição, um dia antes da votação os institutos de pesquisa diziam que Fruet estava 20 pontos atrás de Requião. Quando abriram as urnas, a diferença entre os candidatos ao Senado foi de apenas 1 ponto percentual. Mesmo assim, após erros absurdos com esse, todos os veículos de comunicação continuam vendendo essa mentira para o povo como se fosse verdade. E infelizmente, a cada nova eleição, a Justiça Eleitoral medíocre deste país consente que o povo seja induzido e manipulado por essas pesquisas que em nada ajudam o fortalecimento da democracia em nosso país.

    • CONCÓRDO, ESTÁ JUSTIÇA ELEITORAL MEDIOCRE DO ESTADO DO PARANÁ, ALTOS SÁLARIOS E INCOMPETÊNCIA TOTAL, OS CANDIDADOS SAFADOS QUE NÃO RESPEITAM LEI ALGUMA ESTÃO DEITANDO E ROLANDO E ESTÁ CAMBADA DO TRE ASSISTINDO DE CAMAROTE E NADA FAZEM !