Amarelou: Oposição desiste de pedir investigação contra Lula

via Gazeta do Povo, vídeo do Viomundo

Sob o argumento de que uma ação agora poderia interferir no julgamento do mensalão, os dirigentes do PSDB foram convencidos pelo DEM e pelo PPS de que esse não é o melhor momento para entrar com representação no Ministério Público (MP) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Apesar de o PSDB já ter redigido, na segunda-feira, uma minuta de representação para levar ao MP pedindo uma investigação, líderes dos partidos se reuniram ontem e assinaram uma nota cobrando explicações imediatas de Lula sobre declarações atribuídas ao publicitário Marcos Valério na revista Veja desta semana. Ele teria dito que Lula foi o chefe do mensalão.

Estranhamos o silêncio ensurdecedor de Lula, que deveria ser o maior interessado em prestar esclarecimentos sobre fatos que o envolvem diretamente!, afirmam os partidos na nota assinada pelo deputado Sérgio Guerra (PE), presidente do PSDB, pelo senador José Agripino Maia (RN), presidente do DEM, e pelo deputado Ro!­!­!­ber!­!­to Freire (SP), presidente do PPS.

Para os partidos, as acusações são graves e a revista deve tornar públicos os elementos que sustentam a matéria que traz afirmações atribuídas a Marcos Valério.

Já não surte mais efeito, especialmente depois que o STF comprovou a existência do mensalão e já condena mensaleiros, a tese defendida pelo PT, de que tudo não passava de uma farsa montada pela imprensa e pela oposição para derrubar o governo Lula!, destacam na nota os partidos da oposição.

Durante a CPI (2005-2006) que investigou o mensalão, a oposição não incluiu o então presidente Lula entre os alvos. Quando o publicitário Duda Mendonça disse ter recebido R$ 25 milhões pela campanha do petista em conta no exterior, cogitou-se investigar Lula, o que poderia levar a um processo de impeachment.

Mensalão tucano

O senador Jorge Viana (PT-AC) subiu ontem à  tribuna do Senado para acusar o PSDB de ter dado início ao esquema de compra de votos enquanto esteve no governo de Minas Gerais. Ele cobrou que Marcos Valério venha a público dar detalhes sobre a operação do mensalão.

Essa história de mensalão não começou com o PT, esse esquema de financiamento ilegal para cobrir contas de partidos políticos, de caixa dois, começou em Minas Gerais com o PSDB, com o PFL, e tendo à  frente o mesmo Marcos Valério!, afirmou.

Os erros que o PT cometeu ou que alguns dirigentes do PT cometeram têm de ter um posicionamento e agora está na mão adequada, está na mão da Justiça. Não estou querendo apagar algo que é real!.

7 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. A oposição exige explicações de Lula sobre o que disse a Veja. Impertinência total! O que Lula tem a comentar sobre as mentiras de Veja? O que Lula tem a ver com a oposição exigir explicações? Não precisa dizer que Lula vai deixar esses reacionários falando sozinho!

  2. Não adianta a direita querer derrubar o Lula. Prá isso tem que ganhar no voto e não com ajuda da mídia tentar chegar ao poder através de golpe. O tal do mensalão já foi julgado a muito tempo, pois o povão reelegeu o Lula em 2006 e elegeu Dilma em 2010.

  3. Hummm, A voz que vem de Cuba em alta fidelidade.
    O leninismo manda desclassificar a Imprensa, criar uma vasta clientela de dependentes financeiros, minar a Educação, aparelhar o Estado para a perpetuação no Poder, como nos países ditatoriais sanguinários e nos bolivarianos desse nosso Cone. Mais ou menos isso ai em riba.
    Não fosse o Plano Real que eve o condão de arredondar a herança da Era Sarney e a Era Lula não estaria navegando nesse céu de brigadeiro, mesmo aparente, pintado a partir do crédito arreganhado e do incentivo ao consumo, ao endividamente familia.

  4. Lula & Getulio Vargas os maiores presidentes que este país já teve. A cachorrada ladra, ladra, e a nossa caravana seguirá em frente.

    Esperem que vamos acertar o passo da TUCANALHA e seus amigos da mídia podre. Não vai demorar.

  5. PERIGOS QUE RONDAM E AMEAÇAM O BRASIL E OS BRASILEIROS!!!

    Quem vai dar o golpe no Brasil?

    Por Miguel do Rosário,
    no blog O Cafezinho:

    Agora vocês entendem porque eu ataco tão violentamente a tese de que é possível governar sem base legislativa, sem força política? Essa é uma tese perigosíssima, sobretudo para a esquerda, que não tem apoio da mídia, e que apenas conta com apoio do empresariado enquanto a economia for bem.

    Há um setor do empresariado progressista, ligado à produção, mas há também um setor financeiro reacionário, corrupto, profundamente insatisfeito, por exemplo, com a concorrência dos bancos públicos e a determinação do governo de reduzir spread e juros.

    Um país de economia diversificada como o Brasil, e com tantos recursos naturais, encontrará financiadores para qualquer aventura golpista, sendo que a estratégia pós-moderna é o golpe branco, por dentro da lei, baseado na manipulação da informação.

    A guerra do Iraque, por exemplo, foi um golpe branco, um conluio entre a indústria bélica, mídia e setores do governo, para arrancar do contribuinte americano alguns trilhões de dólares. Conseguiram.

    A guerra pode ter sido um fiasco, e a mídia depois confessou que mentiu, mas o dinheiro foi embolsado pelos barões das armas. Do ponto-de-vista financeiro, portanto, a guerra foi um sucesso absoluto.

    Recentemente, testemunhamos na América Latina dois golpes brancos: em Honduras e no Paraguai.

    O do Paraguai, mais recente, chocou a opinião pública brasileira, mas contou com apoio da mídia (a nossa, e a deles também, claro) e de setores da direita (a nossa e a deles).

    E agora vemos o Supremo Tribunal Federal realizando um julgamento não ortodoxo do mensalão, condenando sem provas, encarnando um estarrecedor tribunal de exceção. Confiram a entrevista com Wanderley Guilherme dos Santos para a Carta Capital.

    No que toca à mídia, não faltará disposição. Esta é a razão do título do post, que é uma citação de um livro publicado por Wanderley em 1962, no qual ele analisa a situação política e prevê o que irá acontecer. Não quero acreditar em golpe no Brasil. Acho que não chegaremos a tanto, mas golpe é golpe justamente por ser uma surpresa. Ninguém contava com o golpe de 64, assim como não contavam em Honduras ou Paraguai. Um pouco de paranóia, se dosada com bom senso, não faz mal a ninguém.

    A Veja desta semana traz uma reportagem bombástica de capa.

    Depois do julgamento sem provas, dos grampos sem áudio, agora temos uma entrevista sem entrevistado. A revista traz revelações dadas por Marcos Valério que não foram ditas por Marcos Valério, mas colhidas em depoimentos de parentes, amigos e associados. Ou seja, a velha e boa fofoca ganhou status de entrevista e matéria jornalística. PS: Marcos Valério não apenas não deu a entrevista como não confirmou as informações nela contida.

    Sabe o que é pior? As pessoas acreditam. Lembro que uma vez eu li uma matéria sobre uma pesquisa de cientistas ingleses, que descobriram que as pessoas tendem a acreditar mais em fofocas do que em seus desmentidos.

    A reportagem ataca, obviamente, Lula, que é uma espécie de vilão-mor da Veja. Ela ocorre na mesma edição em que se publica uma resenha do último livro do blogueiro da revista, Reinaldo Azevedo, intitulada, muito criativamente, País dos Petralhas II.

    O objetivo da matéria é criar um fato bombástico para repercutir nas primeiras páginas dos jornais de domingo, constará do Fantástico, e pautará os grandes órgãos de imprensa, aliados nessa estratégia.

    Faltando pouco mais de 20 dias para a eleição municipal, a Veja tenta levar Serra, candidato à prefeitura de São Paulo, para o segundo turno.

    Não se trata de considerar Lula um intocável. Mas não se pode pautar a agenda política de um país com base em fofocas. Se Marcos Valério tem alguma coisa a dizer, que o diga de sua própria boca, e prove.

    Nesse momento em que a direita se vê cada vez mais enfraquecida, não podemos baixar a guarda, porque o bicho se torna mais feroz quando está acuado. A esquerda tem de se fortalecer, ampliar sua base legislativa, fortalecer as instituições, e construir, paulatinamente, um sistema de comunicação mais democrático. O Brasil se tornou grande demais para ficar à mercê de meia dúzia de barões da mídia.

    Para isso, o governo tem de fazer um PAC da Internet, investindo o que for necessário, urgentemente, para elevar a banda em todo país, porque somente a internet pode libertar o país do risco de um golpe branco midiático. Este PAC deveria conter os seguintes pontos:

    – Consolidar, de uma vez por todas, uma banda larga de alta potência em todo país, ao custo menor possível.

    – Incentivar a criação de canais de TV exclusivos de internet.

    – Incentivar a criação de websites, blogs e portais jornalísticos e culturais, que sejam independentes de corporações. Sei que já existem milhares de websites e blogs independentes, mas quase nenhum é profissional. Para isso, entrará o investimento do poder público. Temos de fazer leis que obriguem municípios, estados e União a patrocinarem a mídia independente ““ a partir de critérios republicanos, evidentemente.

    O Leviatã midiático está mais desesperado ““ e por isso perigoso ““ do que nunca. O novo lance da Veja deve nos preparar para o que virá em 2014. Em 2010, sofremos na pele o risco de um retrocesso brutal por conta da aliança entre grande mídia e oposição conservadora.

    Essa é a razão pela qual eu não acredito em aventureiros solitários. A guerra política não é para adolescentes mimados. Governos de esquerda, ou aliados à esquerda, tem de ser fortes, com base legislativa sólida e confiável, ancorado em processos consolidados de articulação política entre partidos, sindicatos, movimentos sociais, empresariado e sociedade civil.

    Se não for assim, se não agirmos com inteligência e coesão, estaremos expondo nosso povo a um risco que ele não merece correr.

    Lula foi um grande estadista, mas o importante não é o indivíduo. É o projeto político. Esse projeto deve ser assegurado, porque a democracia, em si, não muda muita coisa, o que muda é a luta política no interior da democracia.

    A luta para assegurar crescimento econômico, empregos, juros baixos, mais investimentos em infra-estrutura, e aprimoramento constante dos serviços de educação e saúde oferecidos pelo poder público.

  6. Não por não ser investigado, é inocente.

    Está usando todo o seu “prestígio” para não ser envolvido, mas o estrago está feito e o resultado será medonho.

    Fatalmente, não será candidato em 2014, pois estará mais sujo que pau de galinheiro.

    Gozado que os seus defesnsores estão raleando.

  7. Um erro da Oposição não haver incluído o Presidente Lula na CPI que investigava o Mensalão entre 2005 e 2006. Duda Mendonça declarou ter recebido R$ 25 milhões pela campanha do Lula em contas no Exterior, o que já caberia um processo de Impeachment do presidente Lula. Se o esquema da compra de votos é tão antigo como afirma o senador Jorge Viana (PT-AC), envolvendo o PSDB e PFL mineiro, tendo à frente o mesmo Marcos Valério como operador do caixa dois, é justo que MP investigue todas as denúncias durante o governo Lula. O STF está pronto para julgar e condenar toda e qualquer falcatrua. Vamos aguardar os pronunciamentos do Lula sobre as declarações de Marcos Valério envolvendo o ex-presidente como chefe do todo o esquema.