Em Londrina, ex-secretária de Educação acusa Barbosa Neto de ter recebido propina

por Edson Ferreira e Loriane Comeli, via Folha de Londrina

Barbosa Neto (PDT).

A ex-secretária de Educação de Londrina Karin Sabec Viana acusou o ex-prefeito Barbosa Neto (PDT) de ter recebido pelo menos R$ 60 mil de propina de José Lemes, representante da empresa G8, que forneceu uniformes escolares para a prefeitura em 2011 e 2012. Lemes foi preso na última terça-feira em decorrência de investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que começou há dois meses. O ex-prefeito é um dos investigados no inquérito que levou à  prisão mais duas pessoas e resultou no afastamento do ex-secretário de Gestão Pública Fábio Reali. Depois da cassação de Barbosa, a investigação, que estava no Tribunal de Justiça (em razão do foro privilegiado), voltou a Londrina.

Segundo o depoimento de Karin ao Gaeco, prestado no dia 3 de julho, José Lemes teria repassado um envelope com R$ 50 mil para que ela entregasse a Barbosa. Seria propina relativa ao contrato de 2011. ”Posteriormente a depoente questionou José Lemes e ele respondeu que teria o valor de R$ 50 mil destinado ao prefeito para pagar saldo de despesas de campanha”, diz trecho do inquérito.

A ex-secretária vai adiante: ”O proprietário da empresa G8, Marcos Ramos, chegou a mencionar à  declarante que nas contratações com a Prefeitura de Londrina, 12% do valor do contrato seria repassado ao prefeito Barbosa Neto e 5% do valor do cantrato para o secretário de Educação, porém, como a declarante não estaria recebendo a parte dela, o prefeito estaria recebendo os 17%, perfazendo o montante total de R$ 60 mil”. Karin também declarou aos promotores que Ramos lhe confidenciou que Barbosa teria ido a Boituva (SP) com Marco Cito para encontrá-lo ”a fim de buscar um valor maior” para ”acertar” com os vereadores e ”resolver o caso da Centronic”.

Em mais de doze páginas de depoimentos, ela também afirmou que as licitações eram propositalmente deixadas para a última hora para que o município pudesse firmar contratos emergenciais, escolhendo determinadas pessoas ou empresas. Em outros casos, as licitações eram direcionadas, ”inclusive com a retirada ou substituição de documentos”. Segundo ela, isso aconteceria com ”praticamente a totalidade dos procedimentos licitatórios”.

Lindomar dos Santos

Karin Sabec disse ainda que o dono da G8 também lhe confidenciou ter pago R$ 150 mil ao então secretário de Fazenda, Lindomar Mota dos Santos, que deixou a pasta em 2011 e voltou a ocupar a pasta no governo atual, de Joaquim Ribeiro (PSC). O montante seria para conseguir liberar a última parcela do contrato firmado em 2011.

Santos disse que está ”tranquilo” quanto à s declarações de Karin Sabec. ”Não vi essas declarações, mas pelo que você está me dizendo posso garantir que nunca houve essa de segurar pagamento para ganhar comissão, em hipótese alguma.”

A retenção da parcela teria ocorrido por problemas verificados pelos técnicos do município, mas o secretário não tinha em mãos os valores nem quais problemas foram verificados na época. Ele reconheceu, porém, ter se encontrado na prefeitura com o representante da G8, José Lemes. ”Falei com ele na presença do meu assessor.” Para Lindomar, a presença de fornecedores buscando liberação de pagamentos na administração é ”natural”.

Karin Sabec (PR) é candidata a vereadora pela coligação ”Um Novo Caminho para Londrina”, formada pelas siglas PR, PRB e PP, partido de Marcelo Belinati, que disputa a prefeitura. Barbosa Neto também disputa a prefeitura pelo PDT.

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. As novas informações a seguir são de dois Fábio’s, Calsavara e Silveira, do JJornal de Londrina – Barbosa Neto (PDT) atribuiu as denúncias da ex-secretária Karin Sabec à campanha eleitoral. Em entrevista coletiva após pouco mais de uma hora de depoimento ao Gaeco, na tarde desta quinta-feira (30). Barbosa ressaltou o fato de Karin ser “candidata por um partido que está coligado com nossos adversários”, em alusão ao apoio do PR, partido da ex-secretária, à candidatura de Marcelo Belinati (PP). Ele ainda confirmou que pediu ao Gaeco uma acareação com a ex-secretária. O delegado Alan Flore afirmou que ainda não há uma avaliação acerca da acareação entre Barbosa Neto e Karin Sabec. “Vamos avaliar ainda a necessidade dessa acareação. Não vou avaliar agora porque tem varias pessoas para serem ouvidas”, disse em entrevista coletiva. Flore afirmou que Barbosa não requereu oficialmente uma acareação com a ex-secretária Karin Sabec. Conforme o delegado, o pedetista apenas “se colocou à disposição”.

    Agora resumo tudo numa pergunta, por quê não fazem logo a acariação considerando envolver alguém que foi literalmente apeado do poder? As manchetes dos jornalões de Londrina contra Barbosa Neto são eleitoreiras e tendenciosas. O temos do conservadorismo que assaltou o poder na cidade é enfrentar Barbosa no segundo turno, daí tudo faz para excluí-lo do páreo porque se nao conseguir ele volta para a prefeitura e já avisou que desinfeta as cadeiras usurpadas através da injusta cassação.

  2. os candidatos curitibanos devem abandonar a ideia de comprar uniformes escolare.ouçam o que acontece em londrina .joão cunha foi condenado por causa de 50.000 reais todos os crimes que joão cunha foi condendo converge nos 50.000 reais . ninguem que e politico mande a esposa descontar cheque de cinquenta mil reais que é peculato,lavagem de dinheiro ,formação de quadrilha de um homem só. o brasil tem muito doido..na logica joão paulo cunha não vai ser preso,peluso condenou a regime fechado a 6 anos de recrusão.mas como todos os tramites levaram 5 anos ,ele vai cumprir o resto em liberdade.por que ja passou mais da metade da pena envolvido no julgamento.ser deputado noutro partido a não ser no psdb ,e arrumar dor de cabeça mesmo. pois se ele fosse do psdb duvido que o ministerio publico tinha denunciado essa gafe de joão paulo cunha.

  3. Isso não é novidade e acaba não dando em nada!
    Teve um outro Prefeito do Paraná que o Ministério Público, após intensa investigação, denunciou-o de ter recebido propina de 1,3 milhões de reais, fato divulgado nacionalmente pela revista Época.
    Resultado:
    Ninguém devolveu nada!
    Ninguém foi cassado!
    Ninguém foi preso!

  4. E na Rede PDT desta quinta-feira a resposta: Um “HINO À VERDADE”, acessem aqui http://www.youtube.com/watch?v=qLRVZ_1tl_Y

    O texto: A campanha esquenta em Londrina e Barbosa Neto (PDT) mesmo afastado da prefeitura pela Câmara de Vereadores obteve deferimento da candidatura na Justiça Eleitoral e pode virar nas urnas o jogo político que o afastou do poder. E para denunciar o golpe do qual foi vítima a novidade é o “Hino à Verdade, Londrina” que chama os eleitores à reflexão exaltando bandeiras do trabalhismo – como Legalidade, Liberdade, Igualdade, Coragem e Dedicação – e que traçam o perfil com o qual Barbosa comandou a administração local por três anos e três meses. O lançamento do hino conta com a participação do jornalista Osvaldo Maneschy e de acordo com Valmor Stédile, um dos líderes do PDT paranaense presentes na campanha em Londrina, a produção teve como base no “Hino da Legalidade” que contribuiu com a mobilização popular comandada por Leonel Brizola assegurando a posse de João Goulart na Presidência, em 1961, e por isto também apela aos eleitores pelo retorno de Barbosa: “Não deixem que o golpismo de alguns Vereadores e as versões da grande imprensa prosperem sobre os fatos. Barbosa Neto foi um dos melhores prefeitos de todos os tempos e fará muito mais por Londrina no próximo mandato!” A gestão de Barbosa sofre implacável perseguição praticamente desde sua posse e continua agora visando evitar o retorno do pedetista à prefeitura com a força renovada pelo voto popular.

    Agora a legenda da foto de Barbosa, que poderia inspirar manchete bem melhor neste blog: Barbosa desafia GAECO a fazer acareação com ex-secretária diante das novas ilações contra sua administração lançadas na imprensa.