Veja essa: Francischini ataca de analista político

Fernando Francischini (PEN)

O deputado federal Fernando Francischini deixou o PSDB muito magoado. Ele sonhava com a vice na chapa do prefeito Luciano Ducci (PSB). Foi preterido na disputa pelo colega Rubens Bueno (PPS).

Delegado licenciado da PF, Francischini pulou na canoa do PEN. à‰ o único do recém-criado partido no Congresso Nacional.

Devido à  troca de partido e à s suspeitas de que tentou armar contra o governador petista Agnelo Queiroz (DF), o parlamentar do PEN perdeu os holofotes da CPI do Cachoeira. Agora, tenta se reencontrar como analista político no Paraná.

A seguir, leia a primeira investida de Francischini na área:

Minha análise das eleições em curitiba

por Fernando Francischini

Acho que a análise da primeira pesquisa IBOPE e as comparações com pesquisas posteriores, a maioria para consumo interno, cotejadas com o resultado divulgado hoje pelo DATAFOLHA que coloca RATINHO JR com 27%, GUSTAVO FRUET com 23%, LUCIANO DUCCI com 23% e RAFAEL GRECA com 10% refletem exatamente a fotografia do inicio da campanha para a Prefeitura de Curitiba.

GRECA sobe, entre 3% a 4 %, para 10% de votos de Curitiba: primeiro porque parte destes votos são aqueles cristalizados pelo Senador Roberto Requião após as ultimas eleições para o Senado. Segundo, votos somados ao seu “recall” de imagem de quando foi um bom prefeito de Curitiba. O ponto fraco de Greca seria sua alta rejeição – acima dos 30% – provavelmente em virtude dos insucessos eleitorais e à  troca de grupo político operada nos últimos anos.

DUCCI sobe, entre 5% a 6%, para 23% dos votos de Curitiba: primeiramente pela entrada do bem avaliado e recordista de votos, Governador Beto Richa, na campanha; em segundo lugar por sua administração tecnicamente consistente, por estar “tocando” grandes obras e asfaltando literalmente a cidade inteira. O ponto fraco de DUCCI, segundo analistas políticos experientes, seriam as dificuldades normais de quem está no poder, principalmente nas sensíveis áreas da saúde e segurança pública – que são apontadas como as áreas mais deficitárias pelas pesquisas de opinião.

FRUET varia, dentro da margem de erro entre 1% a 2%, para empatar tecnicamente com DUCCI, em 23% dos votos de Curitiba: Primeiro continua a ser um dos Deputados Federais mais bem avaliados do país e candidato ao Senado com maior votação da história de Curitiba. Segundo é o candidato viável com rejeição menor que 10%, ou seja, os outros candidatos tem o dobro ou triplo de eleitores que nunca votariam neles. O ponto fraco de FRUET, que pode estar associado a variação de seus eleitores, é a aliança partidária que foi obrigado a montar para ter viabilidade eleitoral.

RATINHO JR continua, inesperadamente e contra todos os prognósticos, liderando as pesquisas. Agora com 27% dos votos curitibanos, subindo entre 1% a 3%: Primeiro por ser o”novo”, talvez o único que representa alguma novidade no cenário eleitoral de Curitiba nos últimos 20 anos. Segundo pela sua popularidade e do pai, apresentador Ratinho, nas áreas mais carentes de Curitiba que representam mais de 60% dos votantes nestas eleições. O ponto fraco de RATINHO é justamente o mesmo motivo da sua alta popularidade, fruto dos programas populares na Televisão: a rejeição entre 15% a 17%, empatando tecnicamente com DUCCI no quesito.

CONCLUINDO, vamos verificar nos próximos dias a definição da eleição nos seguintes termos:

1)Se DUCCI firmou-se no eleitorado como candidato de Beto Richa;
2) Se o eleitorado de FRUET assimilou sua aliança partidária;
3) Se GRECA ultrapassou o teto de Requião em Curitiba;
4) E se RATINHO JR conseguiu se manter e transformar popularidade em votos.

Política não é uma ciência exata! Tudo o que vale hoje, pode não servir pra nada amanhã! Como eleitor de Curitiba, desejo que o melhor vença e administre com honestidade e bons projetos para a população.

*Fernando Francischini é deputado federal do PEN-PR.

Comentários encerrados.