Quem pediu a cabeça de Francischini na CPI do Cachoeira?

Francischini, o valentão do PIG, sendo contido pelos colegas na Câmara durante entrevero com Dr. Rosinha (PT-PR). Foto: Andre Borges/Folhapress.

O deputado federal Fernando Francischini (PSDB-PR) foi defenestrado na última quinta-feira (5) da CPI do Cachoeira.

O ainda tucano Francischini foi surpreendido pela comunicação do líder do partido na Câmara, deputado Bruno Araújo (PE).

O blog soube que Rubens Bueno, líder do PPS, fora informado um dia antes pelo líder tucano durante almoço no restaurante do 10!º andar da Câmara. Francischini ficou sabendo que seria substituído na CPI somente no dia seguinte.

A quem interessaria a cabeça de Francischini? A vários. O parlamentar conseguiu colecionar desafetos na direita, no centro e na esquerda pela estridente participação na Comissão que investiga as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com a imprensa e políticos. Também trocou bofetadas! recentes com Rubens Bueno por causa da vice na chapa do prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB). O tucano queria a vaga. O governador Beto Richa (PSDB) disse não.

Francischini faz beicinho porque perdeu os holofotes da CPI. Ameaça deixar o ninho e ingressar no Partido Ecológico Nacional (PEN), que pertence à  base política da presidenta Dilma Rousseff. Daqui a 20 dias, tudo indica, o parlamentar tucano estará sob a direção de Gleisi Hoffmann, a ministra-chefe da Casa Civil e virtual candidata do PT ao Palácio Iguaçu em 2014.

Confirmando-se a transferência do delegado licenciado da PF para a base de Dilma, será irônico assisti-lo reunido com o companheiro! deputado Dr. Rosinha (PT-PR), com quem quase foi à s vias de fato, ou trocando afagos com o governador Agnelo Queiroz (PT-DF), outrora seu alvo preferencial.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Documento da CPI revela que o deputado Fernando Francischini (PSDB/PR) articulou montagem de dossiê contra o governador Agnelo Queiroz, do Distrito Federal, que seria entregue ao procurador-geral, Roberto Gurgel; da trama, participaram ainda arapongas de Carlos Cachoeira e jornalistas de Brasília; isenção política de Gurgel é colocada em xeque

    09 de Julho de 2012 às 10:35

    247 ““ O site Conversa Afiada, do jornalista Paulo Henrique Amorim, publicou, neste domingo, um documento ainda inédito da CPI do caso Cachoeira, que cita o procurador-geral da República, Roberto Gurgel (leia aqui).

    São conversas que envolvem o deputado Fernando Francischini (PSDB-PR) e o araponga Idalberto Matias, o Dadá, além de personagens conhecidos da política brasiliense, como o ex-senador Alberto Fraga, do DEM, e os jornalistas Edson Sombra e Mino Pedrosa. Ambos, críticos ferozes da gestão de Agnelo Queiroz, do PT, no governo do Distrito Federal.

    Já se sabia que Francischini pensava em mudar seu domicílio eleitoral do Paraná para Brasília, onde concorreria ao GDF em 2014 ““ a revelação foi feita, aqui, no 247. A novidade é que, pela primeira vez, há grampos que citam o nome do procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

    Nos diálogos, interlocutores de Dadá articulam para que Gurgel apresente denúncia contra Agnelo Queiroz. O trabalho do grupo envolvia, ainda, a publicação de notícias em blogs políticos de Brasília contra o governador.

    Num email interceptado pela Polícia Federal, Alberto Fraga sugere a Edson Sombra que fale com Mino Pedrosa para maneirar as denúncias contra Agnelo, para não prejudicar o trabalho do procurador-geral. “Você tem que falar com o Etelmino para ele ir com calma. Pois todo esse alvoroço pode até atrapalhar o trabalho que o Gurgel está fazendo junto com o Francischini”.

    No início do ano, o deputado tucano denunciou, na revista Veja, a existência de uma central de grampos, no governo do Distrito Federal, contra adversários políticos de Agnelo Queiroz. Ele estaria entre os alvos, assim como os jornalistas Edson Sombra e Mino Pedrosa. Em abril, Francischini disse até que pediria a prisão do governador do Distrito Federal.

    O que o documento publicado neste domingo revela, no entanto, é bem diferente. Era Francischini quem tramava com Dadá, Carlos Cachoeira, Alberto Fraga e blogueiros de Brasília a queda do governador. O que ainda não se sabe é qual era o grau de envolvimento do procurador Gurgel na trama

  2. E o teto de vidro, tá blindado francisquinho? Uma farsa chamada francisquinho: como delegado é persona non grata na PF, como deputado tá mais queimado do que pavio de lamparina…

  3. Já que ele é bom de briga. Porque não desafia o Anderson Silva?

  4. Não será uma troca tão radical.
    Afinal, ele sai de um ninho de aves raras e predadoras e entra num ninho de militantes ecológicos. E se ele resolver definitivamente desaparecer da vida pública, não se pode dizer que a política perdeu grande coisa.

  5. sei ñ… me padece q o francischine foi surprendido nessa CPI, ou seja,” atirou no q viu e acertou o q ñ viu”vejam só caros eleitores, se ñ é no minimo estranho… O MARCONI PERILO E O DEMOSTENES TORRRES, SAO DO MESMO GRUPO POLITICO DO FRANCISCHINI,ALVARO DIAS,RUBENS BUENO, MAS O PAPO Q ROLA NA CPI, É Q TEM ALGUNS DEPUTADOS Q Ñ QUEREM INVESTIGAR NADA!… AI FICA A PERGUNTA NO AR?! QUEM SERA Q Ñ QUER INVESTIGAR,NADA NA CPI? O ALVARO E O RUBENS? OU É O FRANCISCHINI, Q Ñ QUER INVESTIGAR NADA ?SERA Q ALGUEM DELES, QUER REAMENTE Q A VERDADE VENHA ATONA NA CPI? VCS TIREM SUAS CONCLUSOES, PORQ EU JA TIREI AS MINHAS.

  6. Faltou a informação principal: Francischini estava até o pescoço envolvido com o pessoal do Cachoeira, e tramou com eles para tentar o impeachment do Agnello. Isso ainda vai dar o que falar. O Francischini não merece essa dourada de pílula, Esmael. Ele estava sim envolvido, além de ter feito jogo sujo: vazou ele mesmo os emails para o pessoal do Cachoeira e depois bancou de ofendidinho, mentindo que havia sido grampeado pelo Agnello. Imoralidade e sujeira. Agora, o Álvaro não o trata mais como queridinho, o Francischini está abandonado nos corredores em Brasília qual um Demóstenes arrependido. E parece que está tentando pular do barco e entrar na canoa governista. É o caso de deixar bem claro: gente com o histórico de erros políticos como ele não pode mudar de lado quando quer: primeiro, deve pagar pelos erros que cometeu lá do outro lado.

  7. “TADINHO”!
    Q Q é isto, Guilherme Dace?
    Primeiro que o Deputado PF mais fazia barulho do que produzia fatos, articulava avanços. Nem só de discurso vive o congresso, q o diga o DR Rozinha que é mais do ciscurso, e ao contrário o Suplici, que fala mal pra caramba, mas é formador de opinião, agrega e articula.
    SEgundo que só vc e o Deputado achavam (se é que achavam) que ele iria falar o que bem queria sobre a eleição de Curitiba e ficaria por isto mesmo. Evidente que seria rifado da CPI e de outros espaços +. Exceto se tirar de vez o sutiã e outras coisitas mais… ou seja, se ele arriar de vez.

  8. Tiraram um dos poucos parlamentares que desempenhavam função importante na CPI…depois não querem que o povo ache que tudo vai acabar em pizza!

  9. Depois de ser preterido por Beto Richa, para vice de Ducci, em prol da familia Limpinho Bueno, agora o super delegado ta perdendo campo, na esfera federal. Te cuida delegado, senaonteubfim vai ser igual ao do Derossao. E assim que funciona a politica paranaense. Como voce, assim como Derosso ja foram usados e sugados pelos caciques do PSDB, sao carta fora do baralho.