Pelo telefone e em nome de sua reeleição em 2014, Richa enterra candidaturas tucanas no interior do Paraná

Ex-candidato Márcio Nunes.

O governador Beto Richa, presidente licenciado do PSDB no Paraná, recorreu a Graham Bell (inventor do telefone), para comunicar aos seus correligionários no interior do estado que eles não disputariam as eleições municipais com candidaturas próprias.

O caso mais emblemático é o de Campo Mourão, na região Noroeste, onde ex-presidente do Instituto de àguas do Paraná (Ipaguás), Márcio Nunes, deixou o órgão por orientação do governador para concorrer à  prefeitura, mas aos 48 do segundo tempo foi defenestrado pelo próprio governador. O moço foi dormir na sexta-feira (29) como candidato, mas acordou no sábado (30) como ex-candidato a prefeito.

Pelo telefone, Richa comunicou Nunes que o PSDB no município apoiaria Tauillo Tezelli, do PPS, seu adversário local. Na composição, os tucanos indicariam a vice. O acordo entrou no pacote de Rubens Bueno, presidente do partido do “voto limpo”, que exigiu a contrapartida em Campo Mourão — sua base eleitoral — para aceitar a vice na chapa de Luciano Ducci, do PSB, em Curitiba.

O mesmo método também foi utilizado pelo governador em Cascavel, no Oeste. O PSDB cascavelense também teve que renunciar ao projeto próprio em nome de acordos costurados por cima. Lá, os tucanos indicaram o ex-presidente da Ferroeste Maurício Theodoro na vice do atual prefeito Edgar Bueno (PDT).

O desmonte do PSDB em plano estadual tem como objetivo garantir “apoios suprapartidários” à  reeleição de Richa em 2014.

Casos semelhantes aos registrados em Campo Mourão e Cascavel também aconteceram em outros municípios do interior paranaense. Os tucanos desses municípios se transformaram em verdadeiras feras e ameaçam, inclusive, romper com o governador Beto Richa.

10 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O Governador Beto deveria ajudar o candidato dele a resolver os “problemas” primeiro, pois a coisa não está muito limpinha não.

  2. TRABAIADÔ! e “campo mourão”

    Ambos estão enganados.
    O Marcio seria SIM o candidato do PSDB em Campo Mourão, a pedido do Governador Beto Richa. Mas sabe como é néh… o limpinho do Rubens Bueno usou seu jogo sujo, em troca do apoio (sendo ele o vice) ao Ducci em Curitiba o PSDB do Marcio teria que apoiar o candidato Tauillo Tezelli do PPS aqui na cidade.
    Isso que eu nem votaria nele, só estou dizendo a VERDADE.

  3. Acha que alguém vai ficar de cara feia pro guvernadô e perder a quirera no final de mês… kkkkkkkkrsrsrsrsrsrrsrs… ele sabe disso e é por isso que faz….. kkkkkk rsrsrsrsrsrsrsrsrs. tá vendo os defensores dele ai. kkkkkk rsrsrsrsrsrsrs

  4. Em Campo Largo foi a mesma coisa. Mauricio Rivabem foi tirado na sexta-feira a tarde, após ser capa e estar em vários noticiários do municipio. Aqui, ou apoia o DEMo ou não é nada!! o PPS e PSDC também teve os diretórios distituidos!!

  5. O “Trabaiadô” disse tudo. Só acrescento que O Márcio não deixou o Ipaguas “por orientação do governador”. Fez por própria conta e risco e sua “suposta” candidatura estava sendo costurada pelo 2º escalão do governo. Além disso, em Campo Mourão o PPS (liderado pelos deputados Rubens e Douglas) abraçou a campanha do Beto Richa quando você, sr. Esmael, divulgava aos quatro ventos que o Osmar Dias venceria a eleição. E por último: o Márcio articulou como vice o dono do jornal da Cidade, que fez campanha para o Osmar Dias contra o Beto. O governador apoiar o candidato do PPS é antes de tudo uma questão de justiça!

  6. Nelise: Seja então uma boa “cabo-eleitoral” e seja feliz. Vc já foi vereadora 2 vezes, prefeita e se não conseguiu reeleger-se, melhor recolher-se. Política se faz com estratégias e em grupo, ou seja, alianças.

  7. Em Campina Grande do Sul, tive um sonho derrubado pelo presidente do Partido Valdir Rossoni através do oficio CEE 64/2012 datado no dia 27 de junho de 2012, onde fala que o PSDB não esta autorizado a lançar candidatura própria ao PSDB ao cargo de Prefeito ou vice-prefeito e que ainda deveria apoiar o PSB através do candidato a Prefeito Luiz Carlos Assunção e não autorizando outras Coligações Majoritárias e que a coligação ao pleito proporcional estava autorizada ou seja somente em apoio ao PSB.
    Fui vereadora 2 vezes, uma vez prefeita e concorri a reeleiçao a prefeita pelo PSDB e na ultima eleição de governo trabalhei muito pelo PSDB. E agora não me deixaram sair a nada isto é um Absurdo……
    Ditadores

  8. O pior é que ele deu a vaga de senador p o Rubens limpinho em troca de apoio de vice do Ducci….Adivinhe quem dancou nessa? O Rossoni…KKKKKK

  9. Esse ai mente como ninguém, só vai sossegar quando ver a Gleisi sonegadora hoffmann no governo, isso se isso acontecer algum dia.

  10. MAL INFORMADO OU FONTE INSEGURA!
    O blogueiro está mal informado. No caso de Campo Mourão não é nada disto. Anote:
    1) O Marcio Nunes sabe que não se elegeria nem a vereador e sua real intenção era cavar uma boquinha de vice, novamente (ele já foi vice);

    2) Quando ele deixou o Instituto das Águas, ele fez discurso dizendo que saia mais provavelmente retornaria, caso não vingasse suas pretenções. Ou seja, ela já sabia que retornaria, tanto que manteve toda a sua equipe de incompetentes aspones. Saiu apenas pra tentar negociar algo que provavelmente não conseguiu;

    Ou seja, o playboy sempre soube que não seria candidato a Prefeito e o Governador não seria tonto de botar azeitona numa empadinha já azeda!