Candidatos à  prefeitura de Curitiba são “reféns” de 2014

Os verdadeiros donos da bola: Requião, Bernardo, Richa e Gleisi.

Os principais candidatos à  prefeitura de Curitiba, em 2012, parecem estar presos à  lógica de outra eleição que não a deles, a de 2014, que interessa a seus padrinhos políticos.

Vamos aos casos concretos. O prefeito Luciano Ducci (PSB), candidato à  reeleição, teve que ceder o comando da campanha aos estrategistas do governador Beto Richa (PSDB), que tentará manter-se no Palácio Iguaçu em 2014. O marqueteiro de Ducci é Nelson Biondi, o mesmo que cuida do projeto reeleitoral de Richa.

Gustavo Fruet (PDT) também depende do PT para realizar seu sonho de administrar Curitiba. A lógica da vitória do pedetista está vinculada até a medula ao projeto eleitoral dos ministros Paulo Bernardo (Comunicações) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil), ou seja, à s eleições de 2014. O marqueteiro de Fruet, Oliveiros Marques, é o mesmo que acompanha o casal ministerial desde outras jornadas.

O peemedebista Rafael Greca, que luta para retornar à  prefeitura da capital paranaense depois de 16 anos, igualmente, tem como principal padrinho nessa empreitada o senador Roberto Requião, que lhe garantiu em convenção a vaga para concorrer no pleito de outubro. Requião, por sua vez, pensa em arrancar Richa da cadeira que já foi sua em três oportunidades anteriores. O marqueteiro de Greca é César Setti, o Repórter das Estradas, que também serviu o senador em outras disputas.

O único dos principais candidatos que não tem padrinhos com olhos grudados em 2014, justiça seja feita, é Ratinho Jr (PSC). Essa independência tem despertado a cobiça dos mais importantes atores que almejam o governo do estado em 2014. Portanto, os marqueteiros das candidaturas de Ducci, Fruet e Greca tendem, a priori, dar um refresco para o moço do PSC nestas eleições de 2012.

Ratinho Jr está livre, leve e solto. Não interessa aos donos das principais campanhas na capital [Richa, Requião, Bernardo e Gleisi] tê-lo como inimigo número um na conjuntura atual.

Consciente do jogo em andamento, Ratinho tem citado sempre o livro Distraídos venceremos!, do poeta Paulo Leminski, mas faz uma ressalva: “distraídos venceremos, mas estaremos muito bem organizados para a vitória”.

Comentários encerrados.