Dr. Zequinha, do PCdoB, chega aos 70 anos com festa nesta quarta

Zequinha comemora os 70 com amigos, que não são poucos.

Camaradas e amigos do médico José Ferreira Lopes, o Doutor Zequinha, dirigente histórico do PCdoB do Paraná, homenageiam seus 70 anos de idade amanhã (quarta-feira, dia 1) com um encontro, a partir das 19 horas, no Espaço “Aldeia do Beto” (R. Professor Brandão, 678, Alto da XV). As adesões poderão ser confirmadas com a jornalista Sílvia Macedo, pelo telefone 9695-6901.

Paulista de Marília, onde nasceu em 11 de abril de 1942, de uma família de retirantes nordestinos, Zequinha foi importante liderança no movimento estudantil do Paraná, aonde chegou em 1965 para cursar Medicina na Universidade Federal do Paraná (RFPR). Vice-presidente da União Paranaense dos Estudantes, liderou as manifestações de 1968, que incluíram a tomada da Reitoria da UFPR, iniciativa então inédita no Brasil.

Militante da Ação Popular (AP) a partir de 1967, atuou na organização clandestina em São Paulo, em 1969, e no movimento operário de Belo Horizonte em 1970 e 1971, quando foi preso e duramente torturado. Filiado ao PCdoB em 1972, junto com a maioria da AP, morou e trabalhou em Jequié (BA), a serviço do partido, integrando um sistema de apoio à  guerrilha do Araguaia. Em dezembro de 1976, após o assalto dos militares à  reunião do Comitê Central do PCdoB, em São Paulo, no que ficou conhecido como a Chacina da Lapa, Zequinha perdeu contato com o partido.

De volta a Curitiba, em 1980, retomou o curso de Medicina, formando-se em 1984. De lá para cá vem participando intensamente da vida política do Estado, ocupando várias posições na direção estadual do PCdoB paranaense, inclusive a presidência, entre 1992 e 1995. Atualmente preside o partido em Curitiba.

Comentários encerrados.