Semana Pedagógica: Ctrlc+Ctrlv! (plágio) e influência da Editora Abril

Clique na imagem para acessar o cronograma da Semana Pedagógica.

Há tempos venho falando que o governo tucano está mais perdido do que surdo em bingo de paróquia!. Na área da Educação, então, a coisa beira a catástrofe. Veja se eu não tenho razão, caro leitor.

Não bastassem as receitas de tortas e bolos que constantemente são publicadas no jornal da Secretaria da Educação, aliás, alguns educadores afirmam que tais receitas são compartilhadas porque eles [gestores] não têm o que dizer, agora, os tucanos da SEED estão sendo acusados pelos professores de plágio.

Vou explicar melhor essa situação. Começou hoje a Semana Pedagógica nas escolas públicas de todo o Paraná. Esse evento é destinado para os educadores planejarem, trocarem experiências e realizar estudos e debates a cerca projeto político-pedagógico da escola.

Pois bem, há uma nítida incapacidade da SEED em formular a política educacional para as nossas escolas. A exemplo do que aconteceu na Semana Pedagógica do segundo semestre do ano passado, onde copiaram o que o governo anterior havia deixado preparado, neste início de ano letivo não é nada diferente, pois o Ctrl C + Ctrl V! está correndo solto.

Segundo alguns professores, nesta Semana Pedagógica, o governo tucano tem se pautado por análises e diagnósticos feitos pela revista Nova Escola da Editora Abril, que ao que tudo indica é a nova referência política e ideológica da Educação no Paraná.

A Editora Abril é a mesma que publica a revista Veja, conhecida nacionalmente pelo jornalismo de esgoto que pratica.

O que no texto base proposto pela SEED é chamado de Grandes Parcerias: Escola e Família!, na revista em questão a mesma coisa é chamada de Escola e Família como Parceiras!. Portanto, a diferença fica por conta apenas da nomenclatura, mas o conteúdo é exatamente o mesmo.

Além disso, no texto A Família Contemporânea!, não são dados os devidos créditos de autoria à  Zulene Queiroz, o que pode ser encarado como plágio, segundo a ética e as normas acadêmicas.

O modelo político-pedagógico exposto nesta Semana Pedagógica também é uma cópia exata daquele que foi executado pelo ex-governador Jaime Lerner (1995-2003), o pior que a Educação já enfrentou. Ou seja, pautado pelo neoliberalismo, privatização e redução do papel do Estado nesta estratégica área.

Mas o pior é mensagem da superintendente, Meroujy Cavet, que é a secretária da Educação de fato, aos diretores, coordenadores, professores, alunos, funcionários das escolas estaduais, que segundo o seu entendimento, a parceria com a comunidade significa corresponsabilidade. Na prática, isso quer dizer dividir a responsabilidade. Ou seja, conforme já afirmamos anteriormente, aos poucos, os pais vão substituindo o papel do Estado.

Mais um detalhe que chamou a atenção nesta quinta-feira (2). A SEED enviou à s escolas, pelo menos nas de Curitiba, um vigilante! para conferir se a Semana Pedagógica realmente estava ocorrendo. à‰ a primeira vez que esse tipo de coisa aconteceu. Os educadores se perguntaram durante o dia: A secretária de fato não confia nos diretores das escolas?!.

13 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to mention I am just very new to weblog and definitely savored this blog site. Very likely I’m going to bookmark your blog . You surely have incredible article content. Appreciate it for sharing your web site.

  2. Pior que a matéria de cunho puramente político de Ismael Moraes (Mais um militante petista? Que novidade…) são os comentários de sempre sobre a revista Veja, que pelo jeito incomoda muito o desgoverno federal. Mesmo que o assunto nada tenha a ver com ela, a publicação é atacada. Faltou apenas um hino em louvor a Lula no último parágrafo.

  3. DEVEMOS APROVEITAR O ESPAÇO DA SEMANA PEDAGÓGICA PARA FAZER BOAS LEITURAS ,PREPARAR AULAS,FAZER UM BOM PLANEJAMENTO E TOCAR A EDUCAÇÃO COM SERIEDADE.NÃO PODEMOS DESAPRENDER EM TÃO POUCO TEMPO.GENTE MERITOCRACIA NÃO. PELO AMOR DE NOSSOS JOVENS ESTUDANTES. TEMOS QUE EDUCAR PARA A SOLIDARIEDADE E RESPEITO AO SER HUMANO,PARA O PENSAMENTO OUTONAMO. POR FAVOR REGRINHAS NEOLIBERAIS NÃO.

  4. Tá bom! Mas se milhares de professores não tivessem votado no atual governo, além de influenciarem seus alunos votantes para que o fizessem, não precisariam estar reclamando dele agora. É o que eu tenho dito sem cessar.

  5. Isto sem falar que o texto da Superintendente afirma que o ensino regular é complementar ao técnico, voltado à produção e definido por quem controla a produção.
    E lá vamos nós à formação de mão-de-obra barata.
    Nada mais absurdo!!

  6. É… pela primeira vez nesse Estado vai começar as aulas com todos os professores. Será que isso é desgoverno?

    • Isso é o que eles dizem, você já confirmou? Na escola que trabalho não é bem assim não. Faltam professores, funcionários e pedagogas. Deixa de ser burro e passe a usar seu “celebro”, já que você não deve ter outra coisa dentro da cabeça!

    • Começar as aulas com todos os professores? meu caro Jc Pitanga …você deve estar descrevendo Plutão, não a educação pública paranaense, ou está piamente acreditando no que a seed publica no portal dia a dia educação. Em minha escola por exemplo, falta cerca de 50% do quadro de professores.

  7. Esse Merogipe é da turma da Eleonora ….

  8. Por que ele não traz o Reinaldo Azevedo pra ser o secretário da educação logo de uma vez?

  9. Só é o começo!

  10. Uma piada, kkkkkkkk. Tem outra boa, em 2010 o “Guverno” anunciou que teria um colégio militar em Londrina… kkkkkkkk, a caipirada daqui acreditou. kkkkkkkkkkk