Festas dos acionistas privados: Sanepar (governo do Paraná) reajusta em 16,5% tarifa d’água

por Danilo Marconi, via Folha de Londrina

Reajuste próximo ao período de dissídio dos empregados de condomínios preocupa o síndico Antônio Lemos.

Os consumidores paranaenses vão pagar mais caro pela água a partir de abril. A Sanepar anunciou ontem reajuste de 16,5% da tarifa de água e de esgoto. A tarifa mínima (10 metros cúbicos) passará de R$ 18,97 para R$ 22,10.

A Sanepar justificou, por meio de nota oficial, que ”durante o período, a inflação acumulada (IGPM) foi de 42,9% e o salário mínimo teve reajuste de 109,61%”.

Silas Gerônimo é dono de uma lava rápido no Jardim Sabará (Zona Oeste) e ficou surpreso com a notícia. ”Para mim é como uma bomba. Essa é a matéria-prima do meu trabalho e o problema é a elevação do custo”, reclamou.

Ele trabalha com a mulher, o filho e a nora. O grupo lava em média 300 veículos por mês ao custo de R$ 25 cada. Gerônimo pode aumentar o preço do serviço em virtude do reajuste da água. ”O problema é que a gente não pode repassar esse reajuste de imediato para o cliente, a concorrência está grande no mercado e posso perder cliente por isso. Aumenta a despesa e diminui minha margem de lucro”, analisou.

Antônio Lemos é o síndico do Edifício Arquiteto Julio Ribeiro, na Gleba Palhano (Zona Sul), e ficou preocupado com o reajuste próximo do período do dissídio dos empregados em condomínios, em maio. ”No bolso do morador (a água) vai impactar 2,8% porque o peso maior na despesa do condômino está no gasto com empregado”, disse.

O edifício conta com 76 apartamentos, que juntos consomem 1.092 metros cúbicos de água por mês. O volume poderia ser ainda maior se o prédio não contasse com duas cisternas de 5 mil litros d’água, cada. ”Usamos para lavar calçadas e regar as plantas. à‰ um modelo diferente, moderno, e que traz resultados positivos para os condôminos e para o meio ambiente”, comentou.

A Sanepar isentou as famílias de baixa renda do reajuste. Pouco mais de 700 mil pessoas serão beneficiadas pela medida em todo o Paraná – elas pagam R$ 5,80 por 10 metros cúbicos de água por mês. Mesmo com o aumento, a tarifa paranaense é a menor entre os Estados da Região Sul do País.

Comentários encerrados.