Debate sobre candidatura própria do PT em Curitiba ganha força na internet

Rosinha e Tadeu dominam debate nas redes sociais.
O tempo anda fechado entre os militantes do Partido dos Trabalhadores na capital paranaense. Conforme observou nesta semana o deputado federal Zeca Dirceu, o partido está dividido em duas alas: os que defendem a aliança com o pedetista Gustavo Fruet e os que preferem a candidatura própria.

O debate acerca dos rumos do partido nas eleições deste ano também vem ganhando força nas redes sociais da internet.

Os contrários à  aliança, capitaneados pelos pré-candidatos Dr. Rosinha e Tadeu Veneri, lançaram um abaixo-assinado eletrônico que já conta com aproximadamente 400 assinaturas de militantes que querem um candidato a prefeito do PT em Curitiba.

Sobre isso, dirigentes do Campo Majoritário, a CNB, a parte da legenda que defende a aliança com o PDT, afirmam que a maioria das pessoas que assinaram a petição eletrônica não vota no encontro do partido.

Outro fato que vem apimentando ainda mais o debate petista nas redes sociais é a questão de uma possível aliança com o PDT também na proporcional. Os partidários da candidatura própria argumentam que uma aliança na proporcional com o partido de Gustavo decretaria o fim da representação política do PT na Câmara Municipal de Vereadores.

Alguns petistas citam como exemplo a não ser seguido à  aliança feita pela agremiação na proporcional com o PTB nas eleições de 2004, onde o PT diminuiu de seis para três cadeiras.

Para as eleições deste ano, o que assusta os pré-candidatos a vereador do PT, inclusive os ligados ao Campo Majoritário, apesar da saída dos vereadores Hinça e Jairo Marcelino do PDT, que foram para o PSD, são os nomes de peso que ainda restam na sigla como o do vereador Tito Zeglin, que fez 10.373 votos nas últimas eleições, e Jorge Bernardi que obteve 7.116 votos (não eleito), ante os 4.152 votos conseguidos pelo vereador Pedro Paulo, o petista mais votado.

Comments are closed.