Vereadores de Curitiba rejeitam redução de jornada na saúde para a maioria; greve continua

por Chico Marés e Rafaela Bortolin, via Gazeta do Povo

Servidores municipais fazem manifestação em frente a prefeitura.

Os vereadores aprovaram na tarde de ontem projeto que reduz a carga horária de cinco categorias da área da saúde para 30 horas semanais. O projeto, de autoria da prefeitura municipal de Curi!­tiba, beneficia enfermeiros, técnicos em enfermagem, técnicos em higiene dental, auxiliares de consultório dentário e auxiliares de enfermagem !“ um total de 4.058 servidores. Entretanto, três emendas que estendiam essa carga horária para todos os outros funcionários da saúde, de autoria da oposição, foram rejeitadas em plenário.

A bancada de oposição, junto com o vereador Julião Sobota (PSC), votou a favor da inclusão dos servidores excluídos!, enquanto a base de apoio ao prefeito votou contra. Estamos apelando para que o prefeito chame essas categorias que não estão sendo contempladas e planeje a extensão desse benefício!, disse o vereador Pedro Paulo (PT).

Líder da bancada de apoio ao prefeito, o vereador João do Suco (PSDB) justifica que, no momento, a prefeitura não tem como implementar essas mudanças sem deixar de atender a demanda da cidade. à‰ preciso respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal!.

Paralisação

Ontem, a paralisação de mais de 300 funcionários vinculados ao Sindicato dos Servidores Municipais de Curitiba (Sismuc) !“ em protesto contra a exclusão de 1.165 funcionários de outras categorias dessa proposta de redução de jornada !“, não afetou os atendimentos nas Unidades de Saúde da capital. Somente a realização de exames no Laboratório Municipal foi comprometida, com exames de emergência enviados para a rede privada conveniada. Segundo o Sismuc, a paralisação continua hoje.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Se fosse concedida as 30 horas ao Laboratório Municipal de Curitiba, não seria necessário a contratação de pessoal e nem o pagamento de horas extras. No Laboratório já eram feitas as 30 horas experimentalmente mas era exigido mais um plantão semanal, onde eram realizados trabalhos de estudos. Os vereadores e o prefeito excluiram o Laboratório porque não se informam antes de tomar a decisões. A população está perdendo 280.000 exames mensais devido a greve.

  2. os funcionarios da pmc devem aprender a votar e parar de puchar o saco da chefia.