Artigo de Gilmar Piolla: “Belo Monte: Atores da Globo prestam desserviço ao Brasil”

A usina de Belo Monte e os atores da Globo

por Gilmar Piolla*

Gilmar Piolla.

Esse movimento de atores da TV Globo contra a usina de Belo Monte presta um desserviço ao Brasil. Faz o modismo da hora e mais desinforma do que informa.

A energia é a questão central em todo o debate sobre desenvolvimento e meio ambiente, e não é assim simples para ser resumida em um vídeo com atores descolados, e um texto ágil e bem editado, porém com uma mensagem que só convence aqueles que não entendem a complexa questão da energia no mundo atual.

Dizer que preferem energia eólica à  Belo Monte, como sugere um dos atores. Ora! à‰ só fazer a conta para descobrir a quantidade absurda de aerogeradores que seriam necessários para igualar a produção de energia de Belo Monte. E cobrir uma paisagem inteira de ventiladores gigantes não gera impactos ambientais? E como ficam as rotas das aves migratórias?

Convenhamos, seria praticamente inviável colocar um parque industrial dependendo de energia eólica pra funcionar, porque energia eólica não tem como ser armazenada, como se faz com a energia hidráulica (em que a energia é armazenada na forma de água, mas como armazenar o vento?).

E se parar de ventar, vamos todos soprar pra gerar energia? Isso para não falar nos custos de produção, quatro ou cinco vezes maiores, já que se trata de uma tecnologia importada. Mesmo assim, o Brasil tem avançado muito na exploração de energia eólica. à‰ um dos sistemas mais competitivos do mundo e não depende de subsídios do governo para se viabilizar, como em alguns países como a Espanha, por exemplo.

Um dos golpes baixos do vídeo é dizer que Belo Monte não vai gerar o ano inteiro. Ora, isso é justamente para atender a critérios ambientais. A usina poderia gerar o dobro de energia se optasse pela formação de um imenso reservatório. Mas para poupar florestas, será uma geração a fio d”água. Com isso, a área de alagamento foi reduzida em 60%.

Falando em florestas, Belo Monte terá uma área de preservação permanente de aproximadamente 1 milhão de hectares, próximo à s terras indígenas, área que equivale a quase duas vezes o território do Distrito Federal. à‰ de se perguntar se o agronegócio pouparia tal território na Amazônia.

Belo Monte não irá alagar terras indígenas, que estão a montante da barragem. Nenhuma aldeia será realocada. Além disso, existe o compromisso de não criar nenhum novo empreendimento a montante, justamente para não prejudicar terras indígenas.

Não existe sociedade moderna sem energia, assim como não existe atividade humana sem impacto ambiental. O Brasil cresceu bastante nos últimos anos, mas ainda há muita desigualdade. O país precisa colocar uma Itaipu a cada dois anos (ou 7.000 megawatts ao ano) em seu parque gerador se um dia quiser ter uma sociedade mais justa e mais igualitária.

E quando se melhora a renda de uma família miserável, o que acontece? As pessoas compram geladeira, ferro de passar, ventilador… E quem já tem isso? Compra ar condicionado, computador etc. Ou seja, o futuro é eletrointensivo. A não ser que a sociedade brasileira não queira evoluir e não queira os confortos da vida moderna, então pode abrir mão de Belo Monte.

Pêra aí, gente! Levamos mais de 500 anos para ser o País do futuro e quando estamos prestes a ingressar nesse novo tempo, vêm nos dizer que devemos continuar reféns do atraso, da dependência e do subdesenvolvimento? à‰ muito fácil para a atriz carioca, no seu apartamento climatizado na Barra, utilizando seu Ipad, dizer que não quer Belo Monte.

Mas a verdade é que não há como ter um sistema elétrico robusto e confiável sem grandes unidades geradoras. E unidades que proporcionam essa confiança são as hidrelétricas e as usinas térmicas movidas a combustíveis fósseis e nucleares.

O Brasil fez uma opção acertada pelas hidrelétricas, pois essas não geram gases do efeito estufa como as térmicas a gás, diesel e carvão. Se, no lugar de Belo Monte, o Brasil optasse por gerar a mesma quantidade de energia em uma térmica a gás, iria lançar 16 milhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera.

Além disso, a hidreletricidade é capaz de viabilizar outras fontes renováveis como solar e eólica, como vem ocorrendo no Brasil. Isso para não falar da complementariedade entre o regime de chuvas e o de ventos, dando uma combinação muito eficiente entre a geração hidrelétrica e a eólica.

Enfim, é um assunto que rende muito debate e há muita informação na internet para quem quiser se aprofundar e entender melhor o tema. A sociedade brasileira empregaria melhor a sua energia! se, no lugar de tentar barrar o empreendimento, cobrasse do governo para que todos os compromissos sociais e ambientais de Belo Monte sejam cumpridos.

*Gilmar Piolla é jornalista e superintendente de Comunicação Social da Itaipu Binacional.

21 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I simply want to say I am just very new to weblog and really loved this website. Likely I’m going to bookmark your site . You absolutely have really good posts. Cheers for revealing your web site.

  2. Cuidado, pois mais uma vez a REDE GLOBO está manipulando os brasileiros com desinformação (dados errados). Professores e alunos da UNICAMP indignados fizeram um vídeo de resposta à este da globo no link:
    http://eco4planet.com/blog/2011/11/tempestade-em-copo-dagua-analisamos-o-video-pro-belo-monte/
    Há também um video ótimo feito por alunos da UNB

  3. Analisando os comentários do Piolla e o vídeo dos atores globais, vê-se que há pontos de vista sem muito conhecimento de causa. Embora o Piolla seja funcionário da Itaipu, não mencionou que a própria Usina se empenha em fornecer opções para outras fontes de energia. Investe pesadamente em agroenergia e incentiva os pequenos agricultores a praticá-la. Há até um anuário dela sobre o assunto que, inclusive, estou lendo (Agroenergia da biomassa residual: perspectivas energéticas, socioeconômicas e ambientais). Neste, revela inclusive que se todos a praticarem, gerariam energia semelhante à de Jirau e Belo Monte. E a energia hidráulica não é tão limpa assim, pois gera metano (gás do efeito estufa 21 vezes pior que o CO2) ao submergir florestas. Ou seja, informação camuflada. Os atores globais apenas repetiram o que lhe foi escrito. Energia alternativa é cara? Sim, bastante. Mas todo o progresso foi conseguido às custas de investimento. Portanto, seria uma boa hora para se gastar um pouco do que se ganhou e se desfruta. Só mencionar as fontes sem conhecê-las é sinal de pouco comprometimento. E, por fim, deixo a pergunta: quem somos nós para dizer o que é bom para uma população ou não? Os europeus tb fizeram isso com os habitantes das Américas quando aqui chegaram e estes foram quase dizimados pela influência nefasta da “sociedade evoluída”.

  4. “A Belo Monte é uma questão que está por aí há mais de 20 anos e o estardalhaço só começa agora, por causa de um movimentozinho de estrelas semianalfabetas que provavelmente não sabem nada sobre o assunto que estão falando?”

    https://coisascato.wordpress.com/2011/11/28/34/

  5. “A Belo Monte é uma questão que está por aí há mais de 20 anos e o estardalhaço só começa agora, por causa de um movimentozinho de estrelas semianalfabetas que provavelmente não sabem nada sobre o assunto que estão falando?

    Impacto ambiental? Claro. As Range Rovers dos artistas que participaram do vídeo também fodem com o planeta, com o perdão do português claro. Suas Louis Vuitton são fabricadas em sweat shops montadas em países que se afogam em dívidas internacionais apenas para que as madames dos países que cobram essas dívidas continuem comprando suas Louis Vuitton.”

    https://coisascato.wordpress.com/2011/11/28/34/

  6. Esses atores são um bando de ignorantes. Energia eólica? Tá de sacanagem. Falam com cara de espanto: ” 26 bilhões”
    O que é 26 bilhões que vão ser gastos em 4 anos perto dos 85 bilhões que é o custo da corrupção por ano no Brasil.

    Matéria de Capa da Revista Veja publicada em 26 Outubro 2011 ““ Edição 2240 ““ O custo da corrupção no Brasil: R$ 85 bilhões por ano!!!

    Por que esses atores não fazem protesto contra a corrupção?

    Vão estudar seus bando de ignorantes.
    Querem aparecer para os atores internacionais que querem se meter no nosso país.

  7. NÓS NÃO PODEMOS PENSAR EM DESENVOLVIMENTO EM TERMOS INDIVIDUAIS.MAS TEMOS QUE PENSAR EM TERMOS GLOBAIS. SE ESTÃO DE OLHO NAS NOSSAS RIQUEZAS QUE OS NOSSOS DIRIGENTENTES TENHAM A CAPACIDADE FAZER VALER A CONFIANÇA QUE DEPOSITAMOS NELES QUANDO VOTAMOS. A ENERGIA É DE FATO UMA PREOCUPAÇÃO NACIONAL E MUNDIAL.TEMOS QUE PENSAR EM ALTERNATIVAS. ME DESCULPEM MAS TEMOS OUTRAS FORMAS DE OBTER ENERGIA ALÉM DAS HIDRELÉTRICAS, EÓLICAS, SOLAR, ENERGIA PELA QUEBRA DA MOLÉCULA DE HIDROGENIO.SOLUÇÕES TEMOS FALTA BOA VONTADE.VAMOS PARAR DE NOS ATER AS BRIGUINHAS SE OS DEFENSORES SÃO GLOBAIS, SE SÃO PATRICINHAS SE MORAM EM BAIRROS NOBRES POIS HOJE É FATO QUE TTTOODDDOOSS NÓS UTILIZAMOS ENERGIA DE ALGUMA FORMA :O ALUNO QUE ESTUDA NUMA ESCOLA MUNICIPAL, O HOSPITAL QUE ACOLHE PESSOAS PELO SUS. VEJAM BEM NÃO ESTOU FALANDO DA EFICIÊNCIA DE ESCOLAS PUBLICAS OU HOSPITAIS PUBLICOS, FALO QUE A ENERGIA É FATO DESDE O MAIS POBRE ATÉ O MAIS RICO. O NOSSO PLANETA PEDE POR VIDA .

  8. estou vendo que a discussão sobre o tema está ficando muito rica, principalmente com o CONTRAPONTO, citando MIRIAN LEITAO…PROGETOS…INGATINHA (cic)!!!
    Meus Deus!!!! salve a ortografia!!!

  9. A MIRIÀLEITÃO COMENTOU SOBRE ENERGIA LIMPA . PORÉM A ENERGIA DO VENTO PARA ELETRICIDADE TAMBEM POLUI PAISAGEM, TODAS AS IDEIA ENERGETICAS TEM OS PROS E CONTRAS. OS RIOS DUM MODO SUSTENTAVEL E VIAVEIS PARA A NOSSA REALIDADE. NÃO ADIANTA INVENTAR COISAS ,POIS ANERGIA SOLAR ,PARA SER EXPLORADA SAI MUITO CARO ,NA ESCALA INDUSTRIAL. ENCARECERIA OS PRODUTOS..EXPLORAÇÃO DA ENERGIA SOLAR É UMA IDEIA DESDE 1970 NO BRASIL, SEGUNDO O MEU CONHECIMENTO,AINDA INGATINHA , ESSA IDEIA NÃO E NOVA . MAIS VELHA QUE MUITOS QUE PENSAM ASSIM ! NOS ESTADOS UNIDOS JA SE FALAVA NA UTILIZAÇÃO DA ENERGIA SOLAR, MAS PESQUIZEM QUANTO ANDOU ESSE PROGETO ,E PAROU NO TEMPO..

  10. Gilmar Piolla provavelmente é partidario do PT….por isso defende a Contrução da Usina……e Como o PT….não ta nem ai Com os impaCtos que irão ser Causados pela Usina….

  11. Usando as mesmas palavras de Piolla: “…uma mensagem que só convence aqueles que não entendem a complexa questão da energia no mundo atual…”
    Acredito que esta frase também serve para os que defendem a construção da Usina em Belo Monte.
    O Brasil precisa aumentar sua produção energética, mas a construção desta usina não é a melhor solução.
    Tanto a forma de produzir energia quanto ao consumo são questões que deveriam ser repensadas.

  12. Discussão muito pobre. Pouco conhecimento demonstrado pelo autor sobre a situação das reservas indígenas da região e uma visão exacerbadamente progressista a cerca do sub-aproveitamento do potencial energético total da usina que está sendo construida.

    Somos a 6a economia do Mundo e precisamos investir em setores estratégicos de infraestrutura – transportes, energia, comunicação -, caso contrário, sofreremos com os gargalos que enforcam o “progresso” econômico.

    Porém, não adianta sair por aí construindo obras faraônicas com finalidades questionáveis e em locais pouco aconselháveis. Se tratando de setor energético, as hidrelétricas são nossas melhores opções, mas devem ser instaladas em locais onde os os impactos ambientais e socais sejam pouco sentidos.

    Planejamento é necessário, principalmente no momento que o país começa a alçar vôos mais altos. Nesse sentido, Belo Monte é um exemplo de como não devemos agir. Pouca responsabilidade social dentro de uma obra cara e de baixo custo-benefício. Não vejo problemas em construir hidrelétricas, mas não devemos cometer os mesmos erros dos militares, que encheram o país de obras caras e com pouco aproveitamente.

    Quanto ao protesto dos Globais, me parece válido. Por mais que o vídeo também demonstre uma leitura pobre da situação que envolve Belo Monte, é inegável que muita gente alheia a situação passou a ter conhecimento (por mínimo que seja) sobre o que está acontecendo no Xingu. O importante é começar a discussão, abrir espaços p/ argumentação…nesse sentido, o vídeo teve a sua importância. Basta agora as pessoas abrirem os horizontes p/ ouvir os outros lados da história.

    PS: é impressionante como a mesma mentalidade “civilizadora” das metrópeloes européias do século XVI continua sendo disseminada dentro da sociedade. É difícil engolir essa história de “marcha do progresso” em direção às regiões longínquas do país…levar civilização aos indígenas…e a falta de conhecimento da nossa população sobre os verdadeiros nativos desse país nunca diminui. Precisamos estudar mais Antropologia…

    • …também acho Carlos Oliveira, que “as hidrelétricas são nossas melhores opções…” mas me diga: quais seriam os locais onde “deveriam ser instaladas para que os impactos ambientais e sociais sejam pouco sentidos”? Será que “no deserto ou no nordestão” onde não tem pessoas, nem árvores, nem animais e nem a água!? Não sei…é dificil não? Parece que alguma coisa tem que ficar de baixo d’água….???!!!!

      • Fátima, sem delongas, mas no “nordestão” como você se refere, tem pessoas e muitas e muito boas , tem árvores, matas, muitos espécies animais e muita muita água….devemos nos policiar quando falamos pois palavras machucam, denigrem reforçam estereótipos..

    • inteligentíssimas suas observaçãoes… tinha começado a perder as esperanças por conta de tantos comentarios infundados em relação a esse assunto em todo mundo virtual, e ainda digo mais, quanto ao video dos artistas me indigna de pensar a idéia que fazem de nós atores, colocando como se não fossemos possuidores de senso critico, passando a ideia de que somos comprados para enganar as pessoas.

  13. Observando os dois lados da discussão não podemos jamais perder de vista o fato de que, se o conforto, a comodidade e muitos dos avanços da vida moderna dependem em grande medida da exploração dos recursos naturais, é necessário lembrar, todavia, que esses recursos são limitados e estamos nos aproximando perigosamente de um limite que para além do qual não haverá retorno. Enquanto se discutem problemas locais e sua solução superficial ou emergencial, os grandes fatos e problemas do mundo continuam sem solução, ou seja, o crescimento vertiginoso da população mundial, a fome, a devastação do meio ambiente e os potenciais e perigosíssimo riscos que tais fenômenos representam para a sobrevivência do homem e de outras espécies.

  14. Pois é, para mim esse vídeo está sendo a maior piada, pois não há de ver que agora as patricinhas e os mauricinhos globais resolveram pensar em Índio? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  15. Concordo plenamente com o Piolla.
    É muito fácil para aqueles que vivem em suas mansões nos grandes centros urbanos, regados de luxo e de alta tecnologia querer impedir que as outras pessoas possam sonhar com a melhora de seu padrão de vida.

    A construção da usina de Belo Monte é essencial ao desenvolvimento do Brasil, assim como foi e é a Itaipu.
    Imagine o que seria do Brasil sem essa gigante, que é hoje um exemplo de preservação e proteção ambiental para o planeta.

    Esses personagens da Rede Globo que o Piolla se refere também defendem a legalização das drogas, são a favor do desarmamento (não dos bandidos), são contra o agronegócio, a internacionalização da Amazônia…tratam agricultores como bandidos quando estes derrubam um eucalipto para fazer lenha para a churrasqueira.

    Ora, o maior de todos os impactos ambientais é indiscutivelmente a pobreza.
    Para perceber o que digo basta visitar no RJ a Barra da Tijuca e depois comparar com a favela da Rocinha, ou em Curitiba andar pelo Bigorrilho, Jardim Social e Alphaville e na seqüência Parolin, Sabará, Vila Verde, Meia-lua, Bom Menino, Ferrovila, Osternack, Nossa Senhora da Luz, Solitude, Trindade, Vila Camargo entre outras vilas e comparar aonde tem mais degradação ambiental.

    Faço um desafio aos preservadores do meio ambiente de gabinete: abram mão de todo o conforto de seus castelos, deixem de tomar banho quente, de beber água gelada, da tecnologia de seus televisores LCD, de seus iPad e iPod e vão passar suas férias no campo, na selva ou nas favelas, mas fazendo o que cada um que mora lá faz para ganhar o pão de cada dia. E se não tiveram disposição, então simplesmente desligue a energia elétrica por uma semana de suas mansões. Talvez assim essa gente para de falar besteiras.

    O segredo de todo e qualquer desenvolvimento passa pela produção de energia ““ isso é fato. Pais que tem energia elétrica é pais soberano que cresce, que se desenvolve, que melhora as condições sociais de vida de sua população, que é justamente o que está acontecendo com o Brasil.
    Ora, se país rico é pais sem pobreza, então país que elimina a pobreza, protege o meio ambiente.
    Ademais, se o Brasil quer assumir de vez o lugar que lhe pertence entre as grandes nações, não é necessário fazer somente Belo Monte, mas UM MONTE DE BELO MONTE!!!

  16. Detalhe: Confiança com energia nuclear? Aonde isso? No Japão?

  17. Era de se admirar que que um funcionário da Itaipú tivesse pensamento diferente. Enfim… poderíamos passar o dia aqui com este debate energético inclusive debatendo os impactos desta usina. Sobre Belo Monte creio que faltam algumas condições técnicas não mencionadas no texto acima. A usina é um erro e neste jogo pelo desenvolvimento e pela vida moderna pelo visto vale tudo. É uma pena… Um dia pagaremos por isso!