Professores universitários do Paraná cruzam os braços nesta quarta

Os docentes das Instituições Estaduais de Ensino Superior (Iees) do Paraná devem paralisar suas atividades na próxima quarta-feira (26) como forma de pressionar o governador Beto Richa (PSDB) a encaminhar para a Assembleia Legislativa a proposta de reajuste salarial da categoria.

Em assembleia realizada no último dia 20, os docentes da Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste Paranaense) haviam decidido paralisar totalmente suas atividades na próxima quarta. A Adunicentro convocou assembleia para esse dia, que será realizada à s 10h no mini-auditório do campus Santa Cruz, para avaliar a mobilização e debater os encaminhamentos futuros.

O Sinduepg (Seção Sindical dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa) convocou assembleia para amanhã (25), quando será votado o indicativo de paralisação no dia seguinte. De acordo com o secretário de Administração do Sinduepg, Henrique Simão Pontes, deve ser aprovado o indicativo de paralisação no dia 26. No último dia 18, 90% dos docentes da UEPG cruzaram os braços na luta pelo reajuste.

A expectativa é de que outras universidades estaduais do Paraná participem da mobilização. A Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) também vai paralisar. A UEM (Universidade Estadual de Maringá) deve paralisa suas atividades também no dia 26. Os docentes da UEL (Universidade Estadual de Londrina) realizaram assembleia ontem e deliberaram por realizar um forte movimento naquela universidade!, informa a Adunicentro, em circular enviada para o ANDES-SN hoje (21).

Para o 1!º tesoureiro do ANDES, Hélvio Alexandre Mariano, também dirigente da Adunicentro, o governo paranaense deve enviar imediatamente para a Assembleia Legislativa (ALEP) a proposta tirada no grupo de trabalho que reuniu Sindicatos, Secretaria de Ciências, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (Apiesp), pois como o governo federal reabriu a realização de concursos para as universidades federais, haverá um agravamento da evasão de docentes nas universidades estaduais paranaenses.

à‰ necessário que a categoria docente se mobilize com força para que o governo Beto Richa defina essa questão com maior prioridade!, afirmou.

Comentários encerrados.