De olho na Câmara, Milton Alves escreve sobre Curitiba

Milton Alves.

O ex-presidente estadual do PCdoB, Milton Alves, está animado para disputar uma cadeira na Câmara Municipal de Curitiba. Contumaz colaborador deste blog, o moço vem se dedicando a estudos sobre a capital de todos os paranaenses. Neste artigo, Milton fala sobre a especulação imobiliária no centro histórico. Confira:

Bairro São Francisco: entre a especulação e a preservação

por Milton Alves*

O São Francisco é o mais antigo bairro da cidade. Foi a nucleação inicial de Curitiba e até hoje no bairro está localizado grande parte do setor histórico. Seu nome está estritamente ligado a historia da igreja da ordem terceira de São Francisco das Chagas.

Seu primeiro nome foi: Pátio de Nossa Senhora do Terço. Em 1752, com a transferência da igreja ao religiosos Franciscanos passou a se chamar de Pátio de São Francisco das Chagas. Em 1860, seu nome mudou para Largo da Ordem Terceira de São Francisco. O próprio tempo e a tradição popular encurtaram o nome do bairro. No inicio do século XX foram elaborados os primeiros mapas, com divisão de bairros em Curitiba, e já indicavam a região com o nome de São Francisco.

Encravado na área central de Curitiba, o São Francisco, como todo bairro cêntrico, vive os altos e baixos dos fenômenos urbanos das grandes cidades, oscilando entre fases de valorização e fases de desprestígio. No entanto, nos anos recentes, todos os bairros da área central atravessam um período de valorização continuada, o que acentua a pressão organizada de incorporadoras, empresas do ramo da construção civil e de projetos e empreendimentos imobiliários !“ vários em curso na região. Os preços dos imóveis e dos terrenos alcançaram uma valorização de mais 150%.

O São Francisco é diversificado e com múltiplas vocações. Reune o sítio histórico fundamental de Curitiba. Além disso, turismo, gastronomia, atividades e espaços culturais pontificam na cena do bairro. Um comércio amplo e variado, na maioria de pequeno e médio porte, alguns estabelecimentos são centenários, também são componentes da paisagem do bairro. Ou seja, interesses e vocações sedimentadas.

Neste sentido, a presença crescente de negócios ligados aos interesses imobiliários, disputando os espaços da região, vai impactar, cada vez mais, na feição original do São Francisco. Como preservar e revitalizar o bairro é uma pergunta sempre na ordem do dia para os moradores, já que a administração municipal é prisioneira da lógica da especulação imobiliária.

Enquanto a contradição perdura vamos continuar curtindo o Largo da Ordem, o Passeio Público, o Torto, o Sal Grosso, a Padaria América, a barbearia do Silvino, a Sociedade 13 de maio, a Casa Romário Martins, a Igreja do Rosário, o Casarão da Upe, o cavalo babão, o relógio das flores, a feirinha nos domingos e na época do carnaval, os Garibadis e Sacis.

*Milton Alves é membro da direção nacional e estadual do PCdoB. Acompanhe o Blog: www.miltonalves.com.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Muito fraco…candidato a Vereador somente para fazer legenda, deverá fazer uns 200 votos, com esses votos poderá ficar no rebolo do menor municipio do Parana.

  2. Milton não faz 300 votos, PCdoB vai trabalhar unido para eleger um vereador e como sempre o Gomide vai tentar essa cadeira.