Professores do Paraná estão com “fome” de greve geral

Professores cobram promessas de campanha. Foto: Aniele Nascimento/GP.

à‰ cada vez maior entre os professores da rede pública estadual o desejo de que a APP-sindicato desencadeie uma greve geral. Não se sabe ainda se direção acompanhará os anseios da base, das escolas.

Amanhã, dia 30 de agosto, 100% dos educadores do Paraná cruzam os braços porque não enxergaram até agora a concretização das promessas feitas na campanha eleitoral, em 2010, pelo governador Beto Richa (PSDB).

Dentre as principais reivindicações dos trabalhadores na educação estão: equiparação salarial de 26% com outras categorias de nível superior; contra o fechamento de turmas e a superlotação das salas de aula; adequação do plano de cargos e salário; melhoria no atendimento na saúde dos professores; pagamento da progressão atrasada; defesa da carga horária de 40 horas; contratação de profissionais já aprovados em concursos; e cumprimento do piso nacional pelo governo do Paraná.

Ano passado, na campanha eleitoral, Richa havia prometido equiparar os salários dos educadores no primeiro dia de governo.

A concentração da manifestação dos trabalhadores na educação está prevista para amanhã, à s 9 horas, na Praça Santos Andrade (UFPR). De lá, os manifestantes deverão marchar até o Palácio das Araucárias (sede do governo estadual).

Comentários encerrados.