Fórum Contra a Venda da Copel realiza marcha no dia 16

* Passeata sairá à s 13 horas da Praça Santos Andrade (UFPR) rumo à  Assembleia Legislativa do Paraná

Dez anos depois da memorável luta contra a venda da Copel, a ameaça privatista volta a rondar as empresas públicas do Paraná, com o projeto do governo do estado de ampliar a abrangência da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar). Desta vez, além da Copel, estão em risco, Sanepar, Celepar, Compagás e vários serviços públicos essenciais para o povo paranaense

Na semana passada, o Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná (Senge-PR) e diversas outras entidades de classe e da sociedade civil se reuniram para retomar as atividades do Fórum Contra a Venda da Copel, que teve atuação decisiva na luta contra a privatização de uma das maiores empresas públicas do setor elétrico brasileiro.

No próximo dia 16, o Fórum se reunirá na Assembleia Legislativa em manifestação pela recusa do projeto de lei da Agepar e pela memória dos 10 anos da luta contra a venda da Copel.

à‰ fundamental que toda a população participe deste ato, pressionando os deputados a votarem contra o projeto da agência e a tentativa de espoliação do patrimônio público. Não há qualquer razão para a implantação e abrangência da Agepar, uma vez que que os serviços aos quais elas se propõe a fiscalizar já são controlados por agências federais. Além disso, as agências reguladores foram criadas com o intuito de fiscalizar serviços públicos gerenciados por empresas privadas. A Copel e Sanepar, apesar de serem economias mistas, são administradas pelo Estado, que é sócio majoritário dessas empresas!, criticou o presidente do Senge-PR e engenheiro da Copel, Ulisses Kaniak.

No último dia 8, o governo do estado, solicitou a retirada da pauta da Assembleia Legislativa e a devolução do projeto de lei da Agepar para nova redação. Apesar de considerar uma vitória para todos os paranaenses, Kaniak recomenda cautela pois a ideia do governo é fazer uma revisão no texto do projeto de lei e reencaminhá-lo para votação na Assembleia.

Mesmo com a primeira retirada do projeto na agenda da Alep, o Senge-PR, a sociedade civil e o Fórum Contra a Venda da Copel ficarão mobilizados e atentos para evitar qualquer tentativa, direta ou indireta, da lapidação do que restou do patrimônio público paranaense!, ressalta Kaniak.

Diante disso, a tarefa dos movimentos, sindicatos e demais organizações populares é reagrupar as forças e !“ espelhados no exemplo de 2001 !“ organizar novamente a luta.

2001 !“ 2011: DEZ ANOS DEPOIS, FIRMES NA RESISTàŠNCIA.

Data: 16/08/2011 !“ Terça-feira

9h !“ Ato no Plenarinho da Assembleia Legislativa, alusivo aos 10 anos do Projeto de Iniciativa Popular contra a venda da Copel

13h !“ Concentração na Praça Santos Andrade e marcha até a Assembleia Legislativa

14h30 !“ Sessão Legislativa

Comentários encerrados.