Abandonado por aliados, Derosso tenta ficar na presidência da Câmara

Derosso foi abandonado pelos tucanos de allta plumagem. Foto: Denis Ferreira Neto.

O presidente da Câmara Municipal de Curitiba, vereador João Cláudio Derosso (PSDB), passará por uma verdadeira prova de fogo nesta semana. Há 14 anos no cargo, a gestão do tucano está no centro de denúncias de corrupção e hoje, a partir das 13 horas, haverá um protesto organizado por partidos políticos e entidades do movimento popular pedindo a saída dele do comando da Casa.

O vereador tucano é acusado de favorecer a empresa de publicidade da esposa com contratos milionários. Também é apontado como responsável pela contratação de funcionários fantasmas oriundos da Assembleia Legislativa do Paraná.

Diante das denúncias de corrupção na Casa, tradicionais aliados de Derosso o abandonaram à  própria sorte. Jogaram-no ao mar, literalmente. à‰ o caso do prefeito Luciano Ducci (PSB) e do governador Beto Richa (PSDB), que lavaram as mãos. Ambos defenderam publicamente a investigação do presidente da Câmara. Nenhum deles pôs a mão no fogo por Derosso.

Numa reunião secreta! realizada na última sexta-feira (29) com vereadores da base governista, Derosso explicitou irritação com traíras! do próprio ninho tucano. Para ele, essas denúncias são fruto da disputa pela vice de Ducci. Ou seja, trata-se de fogo amigo! disparado de dentro do PSDB.

A pergunta que o mundo político faz nesta segunda-feira é a seguinte: Derosso ainda teria força suficiente para manter calados os demais 37 vereadores da Casa? Além da Professora Josete (PT), algum outro parlamentar ousará! levantar-se contra o trono do presidente tucano?

Eis a prova de fogo de Derosso.

Comentários encerrados.