Em nota, Fiep desqualifica impugnação de Barros

Em nota oficial distribuída nesta noite, a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) desqualificou pedido de impugnação de uma das chapas que concorre à  direção da entidade, na eleição de 3 de agosto, pelo ex-secretário da Indústria e Comércio, Ricardo Barros (PP).

Segundo a Fiep, a eleição na entidade nada tem a ver com aprovação de contas do Sesi e do Senai.

“A questão da aprovação de contas do Sesi e do Senai obedecem a uma dinâmica própria, que não tem a ver com as eleições, as quais são reguladas pelo estatuto da Fiep e pelo regulamento eleitoral”, diz um trecho da nota.

No início desta noite, o Sindicado da Indústria da Construção Civil do Noroeste do Paraná (Sinduscon/Nor) foi escalado pelo ex-secretário para pedir impugnação da chapa do situacionista liderada pelo empresário Edson Compagnolo.

Barros registrou no final da tarde hoje uma chapa fraca eleitoralmente, por isso, segundo a chapa “Fiep Independente”, tenta o tapetão.

“O Campagnolo não participou de campanha publicitária da Fiep”, esclarece outro trecho da nota oficial da entidade.

A seguir, a íntegra da nota oficial da Fiep:

1) A questão da aprovação de contas do Sesi e do Senai obedecem a uma dinâmica própria, que não tem a ver com as eleições, as quais são reguladas pelo estatuto da Fiep e pelo regulamento eleitoral.

2) O Campagnolo não participou de campanha publicitária da Fiep. As ações do Sistema Fiep, divulgadas por assessoria de imprensa, tem diversos porta-vozes, além do presidente: vários vice-presidentes e executivos das casas.

3) O estatuto estabelece que o presidente pode designar livremente quais dos vice-presidentes devem representá-lo nos diversos eventos ou outros compromissos da Fiep, ao qual não pode comparecer, não havendo nisso qualquer irregularidade.

4) à€ época, Edson Campagnolo e Carlos Walter não atuavam como presidentes dos Conselhos do Sesi e do Senai.

Comentários encerrados.