Trabalhadores da Sanepar rejeitam greve e aceitam proposta com ‘aumento zero’

Por apenas 64 votos de diferença, trabalhadores aprovaram a proposta da Sanepar: 2.331 votaram na assembleia, sendo que 1.191 favoráveis à proposta sem aumento real e 1.127 saneparianos  foram contra
► Categoria enfrenta defasagem salarial de mais de três anos enquanto empresa distribuiu R$ 267,6 milhões aos acionistas
►Sindicato aponta “vício” na assembleia com interferência da empresa para modificar a vontade dos trabalhadores

Cerca de 4 mil trabalhadores da Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná) decidiram aceitar proposta com ‘aumento zero’ no salário e desistir da greve prevista na segunda-feira, dia 25 de abril.

Se ocorresse, a paralisação poderia deixar a população no estado sem água por tempo indeterminada.

A decisão pelo Acordo de Trabalho Coletivo (ACT) ocorreu na tarde desta quarta-feira (20/04), quando se encerrou a assembleia de votação da proposta de data base da categoria. A informação é de Pedro Luiz Morais, diretor do SAEMAC (Sindicato dos Trabalhadores do Saneamento no Paraná).

De acordo com a Sanepar,  346 municípios dos 399 são atendidos pela Sanepar. Cem por cento da população urbana têm acesso à água tratada e 77,3% tem serviço de coleta e tratamento de esgoto

Ratinho Junior pode enfrentar greves na saúde e educação enquanto crise nas polícias aumenta

Na proposta, a empresa concedeu somente a reposição da inflação do período (10,54%) e nenhum índice de aumento real, o que aprofunda ainda mais a defasagem salarial enfrentada pelos trabalhadores.

– Já são três anos sem aumento real nos salários. Isso, num contexto de descontrole dos preços como estamos passando, faz com que os trabalhadores tenham seus salários totalmente achatados enquanto a empresa anuncia um lucro de R$ 1,2 bilhão e que beneficia somente os acionistas em detrimento dos trabalhadores e da população – diz o presidente do SAEMAC, Rodrigo Picinin.

A diretoria do SAEMAC lamentou a decisão da assembleia, mas avaliou que o resultado apertado mostrou a insatisfação dos trabalhadores com a situação precária com que a empresa é conduzida em relação aos recursos humanos.

– Infelizmente, muitos se sujeitaram a votar contra o aumento do próprio do salário. Mas como a assembleia é soberana, o Sindicato respeita a decisão. O resultado deixou claro a insatisfação com essa diretoria [da Sanepar], que já é uma das piores da história da companhia em relação ao trato com o trabalhador. Só conseguiram aprovar a proposta porque tiveram que fazer um esforço tremendo, liberando trabalhador com o carro da própria empresa para ir até os locais de votação. A apuração dos votos mostrou como a moral dessa diretoria está em baixa – disse o presidente o Sindicato, apontando “vício” na reunião.

Lucro de R$ 1,2 bilhão em 2021 e novo reajuste da tarifa em maio

Em 2021, o lucro líquido da Companhia de Saneamento do Paraná foi de R$ 1,2 bilhão, um crescimento de 18,2% em relação a 2020. Enquanto nega aumento aos trabalhadores e anuncia para a população um novo reajuste de 5% na tarifa de água e esgoto à partir de maio, a empresa distribuiu a quantia de R$ 267,6 milhões aos acionistas da companhia em 2021. “Alguma coisa não cheira bem na Sanepar”, dizem os trabalhadores da empresa.