2 de Abril de 2018
por Redacao
Comente agora

Jean Wyllys: “é preciso reforçar a frente antifascista”

O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) em pronunciamento no “Ato contra o fascismo no Rio” declarou que é necessário reforçar a frente antifascista.  “A democracia é um tecido que vem sendo construída pela sociedade, movimentos sociais, coletivos. E agora se encontra esgarçada com o golpe de 2016”, declarou o parlamentar. Leia mais

3 de Março de 2018
por esmael
Comentários desativados em Guilherme Boulos será lançado hoje à Presidência da República pelo PSOL

Guilherme Boulos será lançado hoje à Presidência da República pelo PSOL

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) vai lançar neste sábado (3), em São Paulo, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) Guilherme Boulos à Presidência da República. O ato político ocorrerá às 18 horas na Casa das Caldeiras, onde reunirá artistas e intelectuais na batizada “Conferência Cidadã”. Leia mais

3 de Março de 2018
por esmael
Comentários desativados em Guilherme Boulos será lançado hoje à Presidência da República pelo PSOL

Guilherme Boulos será lançado hoje à Presidência da República pelo PSOL

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) vai lançar neste sábado (3), em São Paulo, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) Guilherme Boulos à Presidência da República. O ato político ocorrerá às 18 horas na Casa das Caldeiras, onde reunirá artistas e intelectuais na batizada “Conferência Cidadã”. Leia mais

14 de Fevereiro de 2016
por esmael
9 Comentários

Lava Jato vira central de fofocas, enquanto o país é saqueado

A força-tarefa coordenada pelo juiz Sérgio Moro, a partir de Curitiba, transformou-se numa verdadeira central de fofocas da qual se esbaldam os barões da mídia e adversários do ex-presidente Lula.

Funciona mais ou menos assim: a velha mídia promove devassa na vida dos petistas, aí Moro dá a chancela, independente da veracidade ou não das “suspeitas” sem provas veiculadas nos veículos de comunicação.

A Operação Lava Jato virou fofoca tucana contra o PT. E, por essa e outras, a força-tarefa do “justiceiro” Moro perdeu fôlego e já cansou o distinto público.

O diabo é que setores petistas e da esquerda em geral caíram na pauta (armadilha) da velha mídia ao discutir essas bobagens de triplex (Lula), apartamento em Paris (FHC), sítio (D. Marisa) e mansão (dos Marinhos).

Enquanto os barões da velha mídia promovem um divertere supostos bens ocultos, como sempre frisa o senador Roberto Requião (PMDB-PR), no sentido de desviar do que realmente é essencial, o Brasil vai sendo saqueado aceleradamente.

Para o país, mais essencial que a pauta (armadilha) do falso moralismo, algo udenista, seria reduzir os juros do cartão de crédito que bate na casa dos inacreditáveis 431% ao ano (nos EUA é de 20% ao ano), bem como os lucros pornográficos que os bancos vêm obtendo (em 2015: Itaú R$ 23,32 bilhões, Bradesco R$ 17,19 bilhões, Santander R$ 6,62 Bilhões…).

Nessa linha do divertere, do desviar da atenção ao que realmente interessa, o Congresso Nacional deverá retomar o projeto das terceirizações, a quebra do monopólio no pré-sal, e o governo Dilma colocará na pauta as reformas da Previdência e dos sindicatos. Enfim, pautas contra os trabalhadores.

Volto à vaca fria, ou seja, às fofocas dos lavadeiros e das lavanderias da Lava Jato.

Quem melhor narrou esses factoides (fofocas) da Lava Jato com o excelente jornalista Luís Nassif, que disseca o modus operandi da força-tarefa comandada pelo juiz Moro.

“O bordão anterior de que “a Lava Jato investiga fatos, e não pessoas” é substituído por insinuações graves contra as “altas esferas do Governo Federal”, modo pouco sutil de se referir a Lula”, anotou Nassif neste domingo (14).

O jornalista ainda observou que “o caso Solaris, o edifício que tem o tal tríplex que pretendem atribuir a Lula”, teve a pauta derruba após o DCM (Dário Centro do Mundo) publicar uma matéria sobre a casa da família Marinho em Parati. Recupera uma reportagem da Bloomberg de 8 de março de 2012. A reportagem narra os crimes ambientais da família Marinho.

Por causa dos factoides — fofocas histéricas — contra Lula, como no caso das cachaças do ex-presidente transportadas para o sítio ou os pedalinhos em Atibaia, a Lava

7 de outubro de 2014
por esmael
12 Comentários

Freixo, do PSOL, é o primeiro líder de esquerda a aderir a Dilma

do Brasil 247
A presidente Dilma Rousseff telefonou para o deputado estadual Marcelo Freixo, do PSOL do Rio de Janeiro, num gesto demonstrou a importância com que a presidente e seus estrategistas de campanha veem a adesão de Freixo à  candidatura dela. Campeão nas eleições do Rio para deputado estadual, com 350.408 de votos, Freixo é uma das marcas registradas do PSOL, assim como a ex-presidenciável Luciana Genro o deputado federal baiano Jean Wyllys. Juntos, eles compõem a chamada alma da agremiação.

Para o PT, o apoio de Freixo é uma conquista em si, mas também foi visto como um sinal da aproximação da legenda, formalmente, ao campo de Dilma.

Nas contas dos estrategistas do partido, a presidente terá de conquistar 9 milhões de votos para vencer Aécio Neves nas urnas de 26 de outubro. Neste sentido, acreditam que um posicionamento claro de Luciana poderá render a Dilma a grande maioria do 1,4 milhão de votos que ela conseguiu no dia 5.

– Não admito o retrocesso que acredito que um governo tucano poderá representar, justificou o deputado. “Independentemente da posição que o partido vier a tomar, eu votarei em Dilma nesse segundo turno”.

Emissário do PT estão lançando as pontes possíveis ao PSOL. Um dos argumentos é o de que Dilma não apenas não atacou Luciana na campanha, como sua origem política na esquerda dos anos 1960/70 guarda identidade com muitas bandeiras atuais do PSOL.

O partido pretende fazer uma reunião de sua direção nacional para decidir um rumo no segundo turno, ou a abstenção entre as duas escolhas possíveis, entre Dilma e Aécio. O partido, por meio do parlamentar baiano Jean Wyllys, aproximou-se de Marina Silva no primeiro turno, mas quando a candidata do PSB resolveu conciliar com o pastor Silas Malafaia em torno da questão gay !“ apesar de ela não ter admitido esse movimento -, o afastamento foi automático. Agora, o PSOL pode mudar para o lado do PT.