Ratinho não tem coração, diz Requião, ao comentar redução do programa Leite das Crianças

Ratinho não tem coração, diz Requião, ao comentar redução do programa Leite das Crianças

O ex-governador Roberto Requião (sem partido) lamentou nesta segunda-feira (13/12) a redução do programa Leite das Crianças, criado por ele 2004.

O programa “Leite das Crianças” entrega, diariamente, um litro de leite para famílias carentes de todo o estado, que tenham crianças de seis meses a três anos. Além disso, mais de 6.300 produtores de leite participam do projeto no Paraná.

Segundo Requião, o governo Ratinho Junior (PSD) planeja reduzir drasticamente o leite das crianças enquanto fornece R$ 17 bilhões de renúncia fiscal às grandes empresas. “Dezessete bilhões!!!!!!!”, frisou ele.

O projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) do Governo do Paraná para 2022 reduz os investimentos nas áreas sociais.

Além de pretender esmagar o programa leite das crianças, o governo Ratinho Junior ainda trabalha para acabar com o plano de carreira dos professores e conceder apenas 3% de reajuste para os servidores públicos, que reivindicam reposição salarial de 30% defasados desde 2016.

“Não podemos permitir a perda de direitos conquistados após anos de luta por melhorias na Educação! Por isso, protocolamos mais de 10 emendas ao PLC 12/2021”, disse o deputado Arilson Chiorato (PT).

Requião distribui leite para criança do programa criado por ele em 2004.

Enquete de Requião pergunta sobre “defeitos” de Moro e Bolsonaro

José Dirceu com Ratinho Junior

Ratinho Junior mandou “presente de grego” para o adversário Roberto Requião; veja isso

Benefícios do Programa Leite das Crianças

A oferta regular do leite pasteurizado enriquecido com vitaminas e sais minerais às crianças em insegurança alimentar garante nutrientes essenciais ao desenvolvimento e crescimento, ajuda a manter o peso e altura ideais para a idade, melhora a imunidade, previne a desnutrição e a anemia.

Dados do Ministério da Saúde mostram que o custo médio para recuperação infantil é de R$ 1.477,73/dia com internamento médio de 6,4 dias. Já o custo do Programa é de, em média, R$850 por criança ao ano.

Para manter o benefício, é necessário comparecer com frequência aos pontos de distribuição. Três faltas consecutivas podem fazer a família perder o direito ao leite. Assim, é comum que outros membros da família sejam autorizados a retirar o alimento nas escolas, criando uma rede de colaboração.

Além da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, o programa envolve diretamente as secretarias da Saúde, da Educação, e da Justiça, Família e Trabalho. Para participar, o interessado deve procurar o órgão de Assistência Social do município (Cras ou Creas) mais próximo para ser inserido no Cadúnico, comprovar a renda máxima de meio salário mínimo regional/per capita e apresentar a documentação pessoal e a certidão de nascimento da criança entre 6 a 36 meses.