Bolsonaro e Ratinho Junior podem “arregar” e “afrouxar o sutiã” no primeiro turno

A maioria dos adjetivos ao presidente cessante Jair Bolsonaro (PL) é impublicável após, nesta terça (31/05), ele sinalizar que não irá participar dos debates no primeiro turno.

Bolsonaro disse à rádio Massa FM, do Paraná, que os confrontos entre candidatos à Presidência da República deveriam ter “perguntas pré-acertadas” para “não baixar o nível”.

A máxima na política é de que quem deseja debate de “alto nível” é porque tem o rabo preso.

– No segundo turno, vou participar. Se eu for para o segundo turno, devo ir, né, vou participar – prometeu o presidente.

Sobre sua participação nos debates de primeiro turno, Bolsonaro tende a fugir para não levar “pancadas” dos adversários.

– No primeiro turno, a gente pensa. Porque se eu for, os dez candidatos ali vão querer todo o tempo dar pancada em mim. E eu não vou ter tempo de responder para eles. Vai fazer pergunta para outro, vão dar pancada em mim, depois a pergunta para outro – disse o inquilino do Palácio do Planalto.

O presidente Bolsonaro quer perguntas acertadas e respostas previamente combinadas, tipo mamão com açúcar, para não ser desmentido ao vivo.

Leia também sobre Bolsonaro

Jesus me abana! Bolsonaro vai fazer motociata sobre ponte inacabada em Foz do Iguaçu

Requião define Bolsonaro, aliado de Ratinho, como “semi-idiota”

– Vamos analisar isso aí porque eu acho que debate teria que ser para ter perguntas pré-acertadas antes, com os encarregados de fazer o debate, para não baixar o nível – antecipou.

A rádio Massa FM pertence ao apresentador Ratinho, do SBT, que possui várias emissoras de televisão e rádio no Paraná. Ele é pai do governador Ratinho Junior (PSD), que tentará a reeleição.

Veja também  Bolsonaro: ‘Não tenho dado motivo para a PF ir atrás dos meus ministros’

A tática de Bolsonaro parece ser a mesma que Ratinho Junior, que desde a posse não emitiu nenhuma opinião sobre temas polêmicos.

Para evitar críticas e desgastes, marqueteiros do governador paranaense orientaram para que ele submergisse na maior parte do tempo do mandato.

Até agora, a velha mídia corporativa tem comprado a ideia: não fala mal do governador enquanto desconhece possíveis adversários e despreza contraposições à gestão de Ratinho Junior.

O adjetivo mais leve para essa fuga de Bolsonaro e Ratinho Junior, que se desenha à frente, é “arregões”. Ou seja, eles podem “afrouxar o sutiã” no primeiro turno – fugir dos debates entre os candidatos.

O problema para ambos é que a eleição – ao menos a nacional – poderá ser resolvida já no primeiro turno.

Se Bolsonaro perder a eleição para Lula no primeiro turno, como prevê o Datafolha, faltará chão para Ratinho Junior no segundo turno.

Roberto Requião, pré-candidato de uma amplo movimento, por sua vez, disse que vai ganhar com 60% dos votos no primeiro turno a eleição para o governo do Paraná.

A conferir.