Requião usa chapéu chinês durante entrevista

A narrativa do golpe é o próprio golpe, diz Requião [vídeo]

Google News

O ex-senador Roberto Requião (PT), pré-candidato ao governo do Paraná, em entrevista ao programa Roda de Conversa, ligado ao PCdoB, disse nesta quinta (12/05) que a narrativa do golpe é o próprio golpe.

Para Requião, o objetivo do discurso do golpe é para forçar concessão do campo de esquerda que vai eleger Lula.

– A crise na economia, a volta da inflação, vai eleger Lula – avaliou. “É a economia, estúpido”, citou a célebre frase do James Carville, ex-estrategista de Bill Clinton.

Segundo Requião, a celeuma por trás da ameaça de golpe está a disputa pelo controle do petróleo brasileiro.

Em síntese, o pré-candidato ao Palácio Iguaçu disse que o papo de golpe é furado.

– O Lula ganha a eleição, corta a prótese peniana e o Viagra desses generais. Não vai ter golpe nenhum – disse Requião. “Imagina a brochada que eles vão dar!”, ironizou.

Ele também criticou os aumentos das tarifas públicas, a exemplo da água e luz, no governo do Paraná.

– A inflação vai derrubar o Rato [Ratinho Junior] e o Bolsonaro – previu.

Roberto Requião ainda criticou o processo de cassação do vereador de Curitiba, Renato Freitas (PT). “É uma uma cassação racista. A Câmara poupou todos os ladrões que passaram por lá”, comparou.

Sobre as eleições, ele disse que apreciaria a ampliação da aliança no Paraná com o PDT apresentando um bom candidato ao Senado.

Perguntado acerca da candidatura de Ciro Gomes, Requião falou que a pré-candidatura do pedetista ajuda politizar a classe média de cima para baixo. “Mas as classes populares não estão entendendo sua mensagem.”

– E o Moro? – questionou um dos entrevistadores. “Quem?”, devolveu Requião, em tom de ironia.

Assista a íntegra da entrevista

Veja também  Na Bahia, Lula já é considerado "presidente eleito", aponta Paraná Pesquisas